A CRÓNICA: EFICÁCIA E ACERTO DEFENSIVO

O Belenenses SAD derrotou esta noite o CS Marítimo graças a um golo solitário de Licá ainda na primeira parte. Com esta vitória, a segunda consecutiva, a equipa de Petit chega aos 24 pontos e alcança os insulares na classificação, estando agora mais longe da zona de despromoção.

Na primeira parte, foi o Belenenses SAD a ter mais posse de bola mas os azuis não conseguiam transformar essa posse em lances de perigo. O Marítimo ia sendo a equipa mais perigosa, mas os insulares foram algo perdulários na hora de visar a baliza de André Moreira. O jogo foi perdendo qualidade a partir dos 15 minutos, com ambas as equipas a falharem muitos passes e a não conseguirem ligar os setores. Aos 39’, num lance que foi um oásis no deserto de ideias da primeira parte, Licá foi bem desmarcado por Show, dominou com categoria e atirou cruzado para o fundo das redes, colocando o Belenenses SAD em vantagem.

Na segunda parte, José Gomes mexeu cedo e colocou o Marítimo a jogar com dois pontas-de-lança, lançando Joel e retirando o médio Pelagio. Os verde-rubros subiram as linhas, criaram muitos lances de perigo mas a pontaria nem sempre foi a melhor. Até final do jogo, o Belenenses SAD soube gerir bem a vantagem e mostrou-se muito compacto a defender, revelando um acerto que tantas vezes tem faltado durante a época.

Anúncio Publicitário

 

A FIGURA

Fonte: Belenenses SAD

Show – É dele a assistência para o único golo do jogo mas a exibição do médio não se ficou por aí. Esteve em todo o lado, tanto a defender como a atacar, sempre solidário com a equipa e nunca virando a cara à luta. Foi um autêntico polvo no meio-campo azul, acabando por sair aos 88’, visivelmente esgotado.

 

O FORA DE JOGO

Fonte: CS Marítimo

Ataque do CS Marítimo – Os verde-rubros estiveram muito pouco eficazes na hora de rematar à baliza, visando o alvo 18 vezes mas sem conseguir fazer a rede balançar. Assim é difícil.

 

ANÁLISE TÁTICA – BELENENSES SAD

Os azuis jogaram no seu habitual 3-4-3, que passava a 5-3-2 no momento defensivo. A atacar, o Belenenses SAD tinha na primeira linha de construção Chima, Nuno Coelho e Phete, com Nilton e Esgaio a surgirem na linha média ao lado de André Santos e Show. No tridente ofensivo não houve novidades, com Licá e Varela a surgirem nas alas, no apoio ao ponta-de-lança Cassierra. Quando estava a defender, o Belenenses apresentava uma linha traseira compacta, com Nilton e Esgaio a descerem e juntarem-se aos três centrais, enquanto um dos extremos fechava ao lado de André Santos e Show, ficando o outro ao lado de Cassierra na primeira linha de pressão.

 

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

André Moreira (7)

Nuno Coelho (7)

Chima (7)

Esgaio (6)

Nilton (6)

Show (8)

Phete (7)

André Santos (6)

Varela (5)

Licá (8)

Cassierra (6)

 

SUBS UTILIZADOS

Marco Matias (5)

Dieguinho (4)

Pina (-)

ANÁLISE TÁTICA – CS MARÍTIMO

José Gomes escalou a sua equipa em 4-3-3, com a baliza entregue a Abedzadeh, linha defensiva composta por Nanu, Zainadine, Rene Santos e Rúben Ferreira e um meio-campo a três com duplo pivot defensivo, Pelagio e Bambock. Xadas era o terceiro elemento da linha média dos insulares, mas acabava muitas vezes por surgir entrelinhas ou até mais próximo do tridente atacante, constituído por Maeda, Correa e Rodrigo Pinho. Na segunda parte, já com a equipa em desvantagem, José Gomes retirou Pelagio e fez entrar Joel, passando a equipa a jogar em 4-4-2.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Abedzadeh (5)

Nanu (7)

Zainadine (5)

Rene Santos (6)

Rúben Ferreira (6)

Pelagio (5)

Bambock (5)

Correa (6)

Xadas (6)

Rodrigo Pinho (5)

Maeda (6)

SUBS UTILIZADOS

Joel (6)

Getterson (4)

Erivaldo (4)

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

Belenenses SAD

BnR: Petit, normalmente perguntam aos treinadores depois de uma derrota o que disseram aos seus jogadores no balneário no fim do jogo para levantar a moral. Hoje que venceu pela segunda vez consecutiva e deu um passo importante na luta pela manutenção, pergunto-lhe se o que disse no balneário aos seus jogadores foi para manterem os pés assentes na terra?

Petit: “Sim, claro. Estávamos ansiosos para conquistar pontos e vamos defrontar agora uma das equipas que melhor joga em Portugal. Demos um passo importante na tabela classificativa e agora temos seis dias para preparar o próximo jogo com uma grande equipa. O Esgaio está limitado, o Nuno e o Show têm o quinto amarelo… Desde que cheguei aqui não tive dois jogos seguidos com a mesma equipa, a mesma estrutura, há sempre lesões e castigados.”

CS Marítimo

BnR: José, o Marítimo tem um registo fora de casa que é fraco. São 11 jogos, só duas vitórias, seis golos marcados apenas, é o segundo pior registo do campeonato. Como é que vê esta dificuldade da equipa em jogar fora de casa?

José Gomes: “Aqui há que separar as coisas. O que tivemos aqui hoje foi dificuldade em concretizar as oportunidades. Nós temos de tentar criar oportunidades, não dando espaço a que a margem da falta de eficácia nos complique as coisas. Esta é uma questão numérica, é fria, são factos. Temos que começar a criar mais oportunidades sistematicamente porque é uma questão de números.”

Foto de Capa: Bola na Rede

artigo revisto por: Ana Ferreira

Comentários