A CRÓNICA: VANTAGEM AÇORIANA À MORITA

Mais uma quinta feira europeia, mais um jogo da Liga Conferência, no Estádio de S. Miguel, onde o CD Santa Clara marca presença nos play-off contra o FK Partizan. Para este jogo, Daniel Ramos conta com mais alguns jogadores no banco, após o surto de Covid-19 que deixou a equipa açoriana significativamente reduzida. Sem dúvida que tinha tudo para ser um jogo histórico.

Primeira parte, primeiro lance, e Carlos Jr. a deliciar-nos mais uma vez com um golo incrível. O jogo só ia com três minutos quando Jean Patric recebeu e passou para Carlos Jr. que aproveitou a falha de Vujacic e, no momento certo, atirou a redondinha para a baliza fazendo o primeiro golo da partida.

A ser superior e mais organizada estava a equipa da casa, a conseguir manter o domínio e a procurar aproximar-se o mais possível da baliza contrária. O Partizan acabaria por aparecer pouco, o que daria maior liberdade aos Bravos Açorianos para criarem as suas linhas de passe e aproveitar as falhas da equipa da Sérvia.

Segunda parte e o Partizan voltou um pouco mais agressivo. Jean Patric ainda tentou a sua sorte num pontapé de bicicleta, mas foi Morita que fez magia e, contornando tudo e todos, faz o segundo golo da equipa açoriana. O Partizan inconformado com o resultado foi atrás da oportunidade. Uma falta de Morita permitiria ao Partizan chegar mais perto do golo e assim foi. Depois do livre marcado, Scekiv faz o passe e foi Igor Vujacic que faz as honras e faz golo, aos 54 minutos.

Anúncio Publicitário

Após o golo, a partida manteve-se equilibrada e foi sendo possível notar o cansaço da equipa de Daniel Ramos. Ainda assim, estavam atentos e prontos a pressionar. Apesar das mais variadas tentativas até ao apito final, a bola dos vermelhos e brancos teimava em não entrar. No entanto, até ao fim a equipa açoriana não baixou os braços. Ao cair do pano, aos 90 minutos, o CD Santa Clara garantia a vantagem para os playoffs, a realizarem-se já na próxima semana, na Sérvia. Será, sem dúvida, mais um jogo europeu emocionante.

 

A FIGURA
Fonte: Diogo Cardoso / Bola na Rede

Morita – O mágico japonês deixou qualquer um encanto com a sua exibição excelente culminando no golo que daria a vantagem para os Bravos Açorianos.

O FORA DE JOGO

Lazar Markovic – Era o jogador de quem se esperava maior rendimento, mas pouco se viu em campo.

 

 ANÁLISE TÁTICA – CD SANTA CLARA

Santa Clara a jogar num sistema tático de 4-2-1-3. Linha de quatro clássica com Rafael Ramos a abrir na direita, em fase de construção e Mansur a baixar para terrenos mais centrais. Morita e Anderson Carvalho a alternarem na posição de pivot defensivo e Lincoln com mais liberdade, próximo dos avançados. Jean Patric, Carlos Jr. e Rui Costa foram os responsáveis pela profundidade, na frente de ataque.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Ricardo Fernandes (3)

Rafael Ramos (4)

Mikel Villanueva (4)

Kennedy Boateng (3)

Mansur (3)

Anderson Carvalho (3)

Lincoln (4)

Carlos Jr. (5)

Morita (6)

Jean Patric (5)

Rui Costa (4)

SUBS UTILIZADOS

Ricardinho (4)

João Afonso (3)

Allano (-)

 

ANÁLISE TÁTICA – FK PARTIZAN

O Partizan alinhou-se no esquema tático 4-2-3-1. Linha de quatro clássica com Urosevic a baixar mais no terreno. Duplo pivot defensivo bastante posicional e Nathko a atual mais na frente, procurando pressionar o miolo açoriano. Markovic procurou assumir a batuta da equipa sérvia, ora descaído pela direita, ora mais a centro. Enquanto que Holender, enquanto esteve em campo, procurou se fixar na ala. Ricardo Gomes foi um autêntico vagabundo na frente de ataque, procurando, sobretudo, os espaços concedidos pela defesa encarnada.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Aleksandar Popovic (2)

Sinisa Sanicanin (4)

Igor Vujacic (5)

Bibras Natcho (3)

Filip Holender (4)

Ricardo (3)

Aleksandar Scekic (4)

Aleksandar Miljkovic (3)

Slobodan Urosevic (3)

SUBS UTILIZADOS

Aleksandar Lutovac (4)

Seydouba Soumah (3)

Milan Smilijanic (3)

BNR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

BnR: Abordagem e exibição de qualidade com muito mérito da equipa. Sente que faltou alguma coisa ou fica satisfeito com este resultado ?

Daniel Ramos: Se dependesse de mim, o resultado seria mais volumoso pois tivemos oportunidades para mais. Estou satisfeito com exibição, satisfeito por ser treinador desta equipa e por perceber que os jogadores estão a dar tudo e todos saem valorizados. Estou semi satisfeito como resultado. Olhando para o jogo satisfeito porque  sabíamos que podíamos ter um jogo mais vantajoso. O resultado não traduz o que foi feito em campo.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome