O Boavista FC sofreu na última segunda-feira a primeira derrota no campeonato ao fim de dez jornadas, não havendo agora qualquer equipa invicta na Primeira Liga. Ontem perdeu novamente frente ao FC Porto. Ainda assim, os axadrezados têm tido um arranque de época interessante, o que lhes confere um sétimo lugar na tabela classificativa com 15 pontos, mas com possibilidade de sonhar mais alto. O Vitória SC tem apenas mais um ponto e ocupa a quinta posição. Já o Sporting CP, que ocupa o quarto lugar da tabela classificativa, tem mais cinco pontos.

Até ao deslize frente ao Vitória FC (onde perdeu por 1-0 com um autogolo), o Boavista não sabia o que era perder no campeonato, sendo umas das únicas equipas na Europa que não contabilizava qualquer derrota. Mesmo nesta partida, não faltaram oportunidades para reverter o resultado e manter o estatuto de invictos: os boavisteiros dispuseram de 27 remates, algo nunca antes alcançado no campeonato este ano. Estes dados indicam claramente um problema de finalização da equipa de Lito Vidigal, que se tornam ainda mais uma realidade se analisarmos pelo menos os dados dos últimos jogos fora de casa nesta época – contam com 71 remates, mas apenas três foram parar ao fundo das redes (um deles, o autogolo frente ao Vitória FC).

É necessário recuar 20 anos para encontramos outro Boavista que também não conhecia o sabor da derrota à nona jornada. Na altura, a equipa liderada por Jaime Pacheco terminou na segunda posição, numa época inserida naqueles que foram os anos dourados da equipa axadrezada. Nem mesmo quando foi campeão em 2000/01 conseguiu tal registo, uma vez que perderam em casa à quarta jornada contra o SC Braga.

Contudo, o bom momento prende-se apenas ao campeonato, porque nas restantes competições o sonho já acabou: foram eliminados pelo Casa Pia AC na Taça da Liga e falharam, assim, o acesso à fase de grupos; já a permanência na Taça de Portugal fugiu-lhes no prolongamento. O presidente do clube, Vítor Murta, indicava o mês passado que já tinha “mandado limpar um espaço no museu destinado a uma taça”, mas parece que poderá ter de o deixar vago, pelo menos por mais uns tempos – a não ser, claro, que ganhe a Primeira Liga.

Lito Vidigal é um dos principais responsáveis pelo bom momento da equipa
Fonte: Boavista FC

Apesar dos já mencionados problemas de finalização e das eliminações precoces nas taças, o Boavista tem, sem dúvida, surpreendido os críticos. O treinador Lito Vidigal, poderá ser um dos principais responsáveis pelo bom momento da equipa, uma vez que são notórios os progressos face ao período homólogo – no ano passado, estava em penúltimo lugar e apenas dois pontos acima do último classificado -, traduzidos na subida de rendimento da equipa e nos resultados alcançados até então.

Já no final da temporada passada, Vidigal afirmou convictamente que “se a época tivesse começado quando começámos a trabalhar, estávamos em quarto lugar”, transmitindo total confiança nos seus jogadores e no trabalho desenvolvido. A perfeita sintonia entre presidente e treinador/equipa será outro dos fatores. Vítor Murta declarou total crença em Lito Vidigal, demonstrada quando recentemente mencionou que “com o Lito mais cedo, estaríamos seguramente na Liga Europa a fazer melhor figura do que muitos”.

Com um início de época claramente promissor, leva-nos a questionar até onde chegarão os pupilos de Lito Vidigal no campeonato. O Boavista defrontou o FC Porto no eterno dérbi da cidade do Porto. Os boavisteiros queriam manter a boa forma no campeonato e, para tal, teriam de roubar pontos ao rival no Estádio do Bessa, algo que já não conseguem há mais de dez anos.

Além disso, os axadrezados poderiam ainda ter aproveitado o momento complicado que o FC Porto atravessa, com a equipa de Sérgio Conceição a ser muito criticada pelas suas recentes exibições, além de estar envolta em problemas internos, com jogadores castigados disciplinarmente.

Ainda assim, e tendo em conta o percurso até cá, os boavisteiros têm toda a legitimidade para sonhar com o regresso às competições europeias, apesar de terem fortes adversários nesta corrida. Será que estamos a assistir ao regresso do Boavistão?

Foto de Capa: Boavista FC

Artigo revisto por Joana Mendes

Comentários