Anterior1 de 2Próximo

O projeto da formação deve ser encarado como um longo processo e os seus frutos devem ser aguardados a longo prazo. Formar implica construir de raiz um atleta, tanto na sua dimensão desportiva, como humana. Tudo o que se afaste desta linha não é formação. Um jovem contratado para os juniores e com uma passagem pela equipa “b” não pode ser considerado produto da formação daquela instituição. Será tudo menos formado pelo clube. Ainda assim, e muito para além das discussões irrelevantes dos dias de hoje, há dividendos a retirar das formações “b” dos grandes clubes.

Tomando a classificação da Segunda Liga como ordenamento, proponho uma viagem pelos plantéis das equipas “b” e destaque para aqueles atletas que podem estar à porta do plantel principal. O oitavo classificado, o FC Porto “B”, tem sido alvo de críticas positivas e elogios pelas recentes classificações e conquistas nas diversas competições secundárias, nacionais e internacionais. Servindo como palco de aquisição de rotinas e ritmos, vários são os atletas que por lá passam antes de pisarem o relvado do Dragão.

Nos últimos anos são relembrados os casos de André Silva, atual avançado do AC Milan, Rui Pedro, emprestado ao Boavista FC ou Chidozie, emprestado ao FC Nantes, entre muitos outros. Atualmente, e com aspirações a cumprir a próxima pré-temporada pelo clube da invicta, destacam-se Diogo Dalot e Bruno Costa. Apesar de tudo, ambos já treinaram várias vezes às ordens de Sérgio Conceição tendo sido mesmo opções, por exemplo para o clássico frente ao Sporting CP ou para o embate em Anfield Road, frente ao Liverpool FC.

Na 9.ª posição, e depois de uma recuperação pontual fantástica, segue a equipa secundária do Vitória SC “B”. Igualmente com legítimas pretensões de chegarem ao palco da equipa principal, destacam-se Xande Silva e Miguel Reisinho. O primeiro, avançado ou extremo proveniente da formação do Sporting CP, passou pelos vários escalões da seleção nacional e já conta com uma participação na Primeira Liga e na Supertaça da presente época.

Anúncio Publicitário

O segundo, que ocupa várias posições no meio campo, passou também pelos sub-18 e sub-19 da seleção nacional e atua maioritariamente pelos juniores do Vitória SC, no campeonato nacional do escalão. Apesar do clube de Guimarães apostar, sem receios, nos seus jovens, a sua entrada no plantel principal pode atrasar-se, uma vez que regressou recentemente de lesão.

João Félix é figura das camadas jovens do SL Benfica
Fonte: SL Benfica

Mais abaixo, no 13.º lugar, encontra-se o SL Benfica “B” e conta com vários jovens talentosos no seu plantel, apesar dos problemas pontuais vividos há uns tempos atrás. Entre todos, destacam-se o defesa Branimir Kalaica, os médios João Félix e Gedson Fernandes e o avançado Chris Willock. O defesa croata destacou-se nas seleções jovens do seu país e já mereceu uma chamada de Rui Vitória ao plantel principal na época passada, tendo mesmo contribuído com um golo no último minuto no empate no Bessa. O maior destaque vai para os médios portugueses Gedson e Félix.

Anterior1 de 2Próximo

Comentários