A equipa da cidade do Lis vai com dez vitórias consecutivas e ainda não sabe o que é perder, em 2018.

O extraordinário rendimento da equipa nesta temporada permite que a mesma se coloque no primeiro lugar da série C do Campeonato de Portugal, tendo o seu principal perseguidor a dez pontos de distância. Em 22 jogos, a UD Leiria perdeu apenas dois, contando ainda com dois empates e 18 vitórias. É, juntamente com o Sporting Clube Farense, o grande candidato a lutar pela promoção à Segunda Liga.

A 15 de Agosto de 2011, a equipa de Leiria recebeu a Académica de Coimbra na primeira jornada da competição máxima do Futebol Português. O jogo decorreu sem problemas e terminou com um resultado de 1-2, favorável aos visitantes. O golo da vitória foi marcado por Éder (sim, o Éder do golo à França no Euro, esse Éder). Este jogo não teria particular destaque se não fosse por, naquela noite, os leirienses – sem estarem preparados para tal – testemunharem o último início da participação da sua equipa na Primeira Liga.

O decorrer da temporada deixou em particular evidência os problemas do clube e os conflitos internos na direção, levando a que a equipa descesse de divisão no final da temporada. Também um escândalo que envolve a administração do clube, em particular o então presidente, João Bartolomeu, não ajudou ao desempenho da equipa, que se mostrou muito pobre dentro de campo. Toda esta questão daria para realizar, em outra ocasião, uma revisão mais pormenorizada do passado da UD Leiria, mas o ponto ao qual quero chegar é: devido a conflitos não-futebolísticos, o Futebol Português viu um clube de grande valor histórico desaparecer do panorama desportivo nacional.

O incalculável prejuízo sofrido pela União de Leiria no início desta década foi tão grave que a única solução foi começar de baixo, ou seja, iniciar um projecto a partir do Futebol não profissional.

Anúncio Publicitário

Desde esse momento até hoje, há apenas uma coisa na mente de toda a família unionista: colocar a equipa do Lis onde pertence: entre as melhores do país.

Os leirenses festejam um golo no estádio Dr. Magalhães Pessoa
Fonte: UD Leiria

Nos últimos três anos, o sonho da Segunda Liga escapou por pouco. Com a chegada da nova administração, liderada pelo empresário russo Alexander Tolstikov, o clube evoluiu no Futebol, nos aspectos de comunicação e na promoção de novas disciplinas desportivas.

Ao longo destas últimas temporadas, formou-se um grupo forte que combina bem a experiência com o novo sangue. Para complementar a engrenagem, foi adicionada a última peça no verão passado, o treinador Rui Amorim, que tem sido tão essencial como qualquer elemento de campo para conseguir as tão ambicionadas vitórias.

Tendo já uma equipa a trabalhar a cem por cento para atingir o objectivo, esta temporada trouxe outro aliado: os adeptos. Mérito que se pode dar também à administração leiriense. Este ano, o número de espectadores também aumentou e, como consequência (ou não), o Magalhães Pessoa tornou-se, não literalmente, numa fortaleza. As únicas duas derrotas da temporada foram com o estatuto de visitantes, contra o Sport Benfica e Castelo Branco e CS Marítimo B.

Com um registo imbatível em casa, dez vitórias consecutivas na série C, uma Armada Ultra pronta a apoiar jogo a jogo e uma direcção capaz de gerir um clube desta importância, aliando ainda o excelente Futebol que está a demonstrar, a União de Leiria sonha – mais do que nunca – com a promoção para a Segunda Liga.

A forma de alcançar o objetivo não será fácil. Antes de cumprir o sonho, a equipa de Rui Amorim terá ainda que garantir o acesso à fase final e disputá-la.

Até que chegue a hora da verdade, o sonho irá continuar a ser forjado no sopé do castelo de Leiria, com a ideia intacta nos jogadores, se for necessário, de deixar as suas vidas em campo para que o emblema da UD Leiria volte para o lugar de onde nunca deveria ter saído.

Foto de Capa: UD Leiria

artigo revisto por: Ana Ferreira e Ana Rita Cristóvão