As coisas estão diferentes em Vila Nova de Famalicão. Depois de uma época passada algo atribulada, com a passagem de dois treinadores pelo comando técnico e a permanência assegurada apenas na última jornada, o Famalicão FC parece estar a viver neste momento uma nova fase na sua já longa história desportiva.

É conhecida e reconhecida a dimensão e a força da massa associativa do Famalicão FC, não é por isso de admirar que este seja um clube ‘apetecível’ para investidores dentro do panorama do futebol nacional. É dentro deste contexto que surge o nome do Grupo Quantum Pacific Group, liderado por um israelita erradicado em Inglaterra. Não estamos a falar de um grupo qualquer, este grupo que esta época decidiu investir no Famalicão FC possui também 32% do capital da SAD do Atlético Madrid.

A grande massa associativa do Famalicão FC rapidamente foi chamada a dar a sua palavra sobre este possível negócio e os sócios do Famalicão FC não tiveram dúvidas ao aceitar a venda de 51% das ações ao grupo estrangeiro que prometia trazer muita ambição a um clube que luta desesperadamente para voltar ao topo do futebol português, a Primeira Liga.

Definitivamente as coisas começaram muito bem para a nova administração do clube, liderada por Miguel Ribeiro, ex-diretor geral do Rio Ave. Cinco jogos, quatro vitórias e apenas uma derrota. Um registo praticamente imaculável que começa a deixar água na boca e a fazer sonhar os adeptos famalicenses num futuro próximo junto dos ‘grandes’.

Anúncio Publicitário
Os adeptos famalicenses já sonham com a subida de divisão
Fonte: FC Famalicão

Jogadores bastante experientes, como o defesa-central cabo-verdiano Ricardo, prometem trazer a maturidade suficiente para uma liga longa e competitiva como é a Segunda Liga. Aliado a esta experiência está também o talento reconhecido em jogadores como por exemplo o médio-centro Filipe Oliveira. A nova administração do Famalicão FC conseguiu por isso juntar um plantel bastante competitivo e capaz de lutar pela subida de divisão. O treinador, também ele novo em Famalicão, tem correspondido muito bem e não se podia pedir muito mais ao treinador Sérgio Vieira.

A locomotiva famalicense será, ao longo da época, um osso bem duro de roer para os dois clubes que se julgavam à partida como os super-favoritos à subida de divisão, falo claro do FC Paços de Ferreira e do GD Estoril Praia.

O Famalicão FC já provou que não quer ser apenas o clube do bom arranque e que acaba por perder gás. Se dúvidas houvesse basta olharmos para os adversários dos famalicenses neste arranque da Segunda Liga. FC Penafiel, FC Paços de Ferreira, FC Arouca e Académico de Viseu FC, todos eles saíram derrotados frente ao Famalicão FC. A equipa de Vila Nova de Famalicão apenas perdeu frente ao Farense SC na primeira jornada, desde ai que esta equipa não sabe outra coisa se não ganhar.

É caso para dizer: A locomotiva famalicense está aí com toda a velocidade e em força. Será que são capazes de manter esta velocidade? Só o tempo o dirá. A Segunda Liga já nos habituou a não fazer prognósticos prematuros.

Foto de Capa: FC Famalicão