O último mês de julho foi marcado por diversos jogos amigáveis dos clubes da Primeira Liga, com vista ao arranque oficial da temporada (já em curso). Costuma-se dizer que os resultados nestes jogos contam pouco. O que interessa é desenvolver os processos de jogo, rotinizar a equipa, aprimorar a condição física, dando minutos a todos os jogadores do plantel. Mas é evidente que todos preferem trabalhar em cima de vitórias, mesmo que estas não sejam contabilizadas. Nesse sentido, existem notas a tirar acerca do desempenho destes clubes no último mês, onde, certamente, existem aspetos a melhorar na sua globalidade.

Apesar de existirem jogos de menor ou maior grau de dificuldade – dependendo dos adversários que se enfrentam – e dos treinadores poderem rodar sistematicamente as formações, importa analisar os que mais e menos se destacaram nos recentes jogos de pré-época. Neste período, o desempenho e os resultados podem até não ser compatíveis com o que se verá no futuro, mas podem dar uma ideia sobre o estado de uma equipa e do seu comportamento neste início de época.

Iniciando por aqueles que mais se destacaram, isto é, pelos clubes que alcançaram os melhores resultados – apesar das variáveis existentes nos jogos de preparação –, destaca-se desde logo o Vitória FC. Sem jogos frente a adversários da Liga, os sadinos não registaram qualquer derrota durante esta fase e alimentam assim a esperança de conseguir uma época mais calma que as anteriores, a nível geral. Pelo meio, ainda conquistaram a segunda edição do Torneio Internacional do Sado. No último fim de semana para a Taça da Liga, a formação sadina venceu o Moreirense FC e avançou para a ronda seguinte.

Também Vitória SC, CS Marítimo e FC Famalicão estão entre aqueles que obtiveram os resultados mais positivos nos jogos de preparação. O caso dos vitorianos é diferente de todos os restantes clubes, pois iniciaram os jogos oficias mais cedo e, por isso, tiveram uma pré-época mais curta. Ainda assim, registo positivo com uma derrota e três vitórias, todas elas frente a adversários da Liga. O novo timoneiro, Ivo Vieira, também começou da melhor forma a aventura europeia ao avançar para a 3ª pré-eliminatória da Liga Europa. Com o CD Feirense, para a Taça da Liga, nova vitória e presença assegurada na fase de grupos desta competição.

Anúncio Publicitário

Nos madeirenses, salienta-se o facto de terem perdido apenas um jogo em dez disputados e de terem empatado com o Lille, vice-campeão francês. Entretanto, a turma de Nuno Manta Santos foi a Matosinhos vencer o Leixões SC e avançou para a fase seguinte da Taça da Liga. Os famalicenses, com João Pedro Sousa agora ao comando, apresentaram-se em bom nível nos jogos amigáveis, tendo defrontado quatro equipas da Liga e vencido três, num total de cinco triunfos e duas derrotas. Com muitas mexidas no plantel entre saídas e entradas, a primeira desilusão surgiu logo ao primeiro jogo oficial com o afastamento da Taça da Liga frente ao SC Covilhã.

O V. Setúbal prepara a sua 16ª participação consecutiva na Liga Portuguesa
Fonte: Vitória FC

Nota ainda para os registos mais negativos em termos de resultados. O Rio Ave FC, que tem conseguido boas prestações nos últimos campeonatos, saiu derrotado frente a V. Guimarães, Famalicão, FC Penafiel e GD Chaves e apenas venceu dois jogos e empatou outro. Um cenário pouco positivo com Carlos Carvalhal ao leme, embora tenham existido várias mudanças no plantel. A equipa redimiu-se no encontro da Taça da Liga ao golear a UD Oliveirense por 6-1 e acalenta esperanças de realizar uma boa temporada, ao nível do que já tem habituado.

Quem também desiludiu nos seus jogos preparatórios foi o Boavista FC, onde apenas venceu um encontro, empatou dois e perdeu três. A falta de golos também marcou esta fase de preparação – apenas se marcaram dois – e Lito Vidigal deve estar preocupado com esta vertente que precisa de maior afinação. O recente jogo da Taça da Liga veio confirmar esta tendência negativa, onde os axadrezados foram afastados pelo Casa Pia AC que milita no escalão secundário.

O Portimonense SC de António Folha também não sai com um registo muito positivo em termos de resultados, pois apenas venceu um jogo em sete disputados. Com vários confrontos internacionais, os algarvios empataram com o Getafe CF e foram derrotados por Bétis, Lille e Al Duhail. No entanto, a manutenção de Jackson Martínez e a aquisição por empréstimo de Marlos Moreno são duas das atrações deste mercado de verão.

Finalmente, o CD Tondela que procedeu a várias alterações no plantel, desde logo, com a chegada do técnico espanhol Natxo González, o segundo estrangeiro na Liga. O conjunto beirão só venceu um de seis jogos realizados e caiu frente ao Penafiel na Taça da Liga. A intenção passa por realizar um campeonato mais tranquilo que o anterior, onde só se salvou na última jornada.

Os resultados na pré-época podem não significar muito, ou seja, uma equipa que seja muito vencedora nesta fase pode não apresentar o mesmo rendimento nas competições oficiais ou vice-versa, mas pode ser sempre um indicador da preparação de uma equipa ou do estado em que esta se encontra, sendo por isso, viável, algumas apreciações e previsões sobre aquilo que pode oferecer determinada equipa, pelo menos, neste início de temporada.

Gosto de pensar que os resultados na pré-época são importantes, pois os triunfos encaixam sempre bem e ajudam a fortalecer o espirito de grupo numa fase em que se trabalham os processos e rotinas de jogo e vários elementos ainda se dão a conhecer para uma temporada sempre longa e difícil, logo, interessa sempre começar bem, desde a pré-época.

Foto de capa: Rio Ave