Agora que o mercado encerrou (finalmente!), serão com os atuais plantéis que os clubes terão de ir para a ‘’guerra’’, podendo perspetivar novas mudanças apenas na próxima janela de transferências. O que é um alívio para os treinadores, que agora podem contar com os atletas mais frescos mentalmente depois de passado o período sempre turbulento dos negócios.

Estes dias são também marcados pela primeira pausa dos campeonatos para os jogos das seleções. Como tal, e depois de realizadas 35 partidas, isto é, concluídas as primeiras quatro jornadas da Liga – ficando a faltar um jogo –, importa referir os principais destaques até ao momento (com o acrescento dos melhores momentos das jornadas).

Quem olhar para a tabela, não é difícil perceber que existe um conjunto em alta neste início de época. Pelo facto de ser um dos mais recentes primodivisionários e por ter estado ausente dos grandes palcos durante 25 anos, o FC Famalicão arrancou em grande e lidera o campeonato isolado. O ex-adjunto de Marco Silva, João Pedro Sousa, está a ter uma grande estreia como técnico principal e a impressionar o universo futebolístico nacional. Os minhotos são uma das formações que ainda não perderam – tendo até alcançado dois triunfos fora de portas – e tencionam manter este registo de ‘’equipa sensação’’.

Também o Boavista FC e o Moreirense FC iniciaram bem a nova Liga. As “panteras” chegaram a “dormir” na liderança nesta última ronda e ainda não registaram qualquer derrota. O facto de terem realizado uma pré-época aquém das expectativas ajuda a realçar ainda mais este começo positivo. Os cónegos já consentiram uma derrota, em Braga na primeira ronda, mas a partir daí não mais cederam e até conquistaram duas vitórias importantes em casa. A equipa sensação da última Liga continua ‘’viva’’ e a dar trabalho aos adversários.

O Boavista é uma das formações que ainda não perdeu nesta Liga
Fonte: Liga Portugal

Saliento igualmente o triunfo do Gil Vicente FC sobre o FC Porto logo a abrir e que terá espantado muita gente, com Lourency e Kraev a brilharem e a darem-se a conhecer aos adeptos (o búlgaro foi até convocado para a sua seleção).

A turma de Vítor Oliveira ainda não perdeu em casa e já defrontou dragões e bracarenses. Outro dos destaques foi o êxito do Rio Ave FC em Alvalade, que serviu para demonstrar o futebol positivo praticado pelo conjunto de Carlos Carvalhal, já evidenciado na ronda anterior na goleada aos avenses. Noutro plano, a boa imagem do SC Braga em Alvalade e a superioridade do FC Porto no primeiro clássico entre grandes, são outras das distinções deste começo de campanha.

Individualmente falando, destaco Koffi, Davidson e Zé Luís que ‘’bisaram’’ na atribuição dos prémios de melhor em campo, e, claro, o internacional português Bruno Fernandes que arrecadou este prémio em três ocasiões e é por esta altura o melhor assistente do campeonato. Por outro lado, o iraniano Mehdi Taremi logrou um hat trick frente ao CD Aves e inscreveu assim o seu nome na lista de jogadores a seguir, algo que Coates devia ter em atenção, antes de cometer três penáltis sobre este jogador. O benfiquista Pizzi é o artilheiro da prova com cinco golos, tendo arrancado a época em grande e também ele merece nota especial.

Ao mesmo tempo que existem os habituais destaques no princípio de cada época, importa estender um pouco mais essa referência e salientar, também, os melhores momentos nos jogos já disputados. Aqueles que os adeptos tanto aguardam, levam as mãos à cabeça ou empurram o colega do lado. Fiquemos com aqueles que, para mim, justificaram tais ações.

No capítulo das grandes defesas, Marchesín tem-se destacado por belas intervenções em quase todos os jogos. No entanto, foi em Barcelos que se viram as melhores, quando, num livre dos gilistas, efetuou quase ao mesmo tempo duas defesaças! Por sua vez, no encontro entre Sporting CP e SC Braga, Renan foi herói ao travar um suposto remate de Hassan em cima de pequena área. A terceira jornada foi pródiga em grandes defesas, as quais destaco a de Koffi, nos Açores, numa bela estirada depois de um remate de longe; a de Bracali, no Bessa frente ao FC Paços de Ferreira já perto do fim do jogo, a travar um remate forte e rasteiro com o braço esquerdo; e a de Douglas frente ao FC Famalicão a parar um remate de trivela de Fábio Martins.

Por fim, no capítulo dos grandes golos, realço os de Nuno Tavares, Yusupha e Wilson Eduardo na jornada inaugural; a ‘’bomba’’ de Luther Singh e o de Davidson na ronda seguinte; e o golão de Raphinha na terceira jornada. Todos eles de belo efeito, que enchem as medidas a qualquer espetador.

Foto de capa: Liga Portugal

Revisto por: Jorge Neves

Comentários