Rúben Amorim, por muitos desconhecidos até há poucos dias atrás, atualmente técnico da equipa principal do SC Braga. A sua carreira enquanto treinador de futebol começou como treinador estagiário no Casa Pia AC na época de 2018/19. No entanto, enquanto jogador de futebol chegou a representar o clube bracarense fazendo excelentes proezas ao serviço do clube, nomeadamente vencer a Taça da Liga e disputou o playoff da UEFA Champions League.

No entanto, será treinador digno de representar um clube com as dimensões do SC Braga? Ser técnico substituto no SC Braga B era uma posição apetecível, após a época medíocre realizada por Rui Santos. No entanto, ser o substituto de Sá Pinto sendo que o antigo jogador está a experienciar a sua segunda história enquanto treinador, depois de estar ao serviço do Casa Pia AC e do SC Braga B. Um típico jovem treinador em Portugal, que aprendeu a observar grandes do futebol internacional e nacional, tais como Jorge Jesus.

Recuperar uma equipa que desceu na época anterior não é trabalho fácil, e disso ninguém tira o mérito a Rúben Amorim. No entanto, a “obrigação” de subir fez da equipa minhota uma das favoritas no Campeonato de Portugal. E assim se realizou, com mais qualidade e recursos, atualmente os minhotos encontra-se na segunda posição da tabela classificativa.

Ao contrário de Sá Pinto, o ex-jogador de 34 anos valoriza mais a posse de bola e prefere jogar de forma apoiada desde a primeira fase de jogo. Em termos de defesa, a equipa pressiona alto e opta por encaminhar os rivais pelos corredores. É a típica de ideia de jogo de controlar a bola e o jogo, utilizando como suporte para isso o corredor central e o espaço entre linhas.

Rúben Amorim esteve vinculado ao Benfica durante nove anos enquanto jogador
Fonte: SL Benfica

Em conclusão, será um desafio, no mínimo dos mínimos, bonito para ser observado. Irá ser necessário tempo e confiança para o jovem treinador, especialmente com uma experiência tão reduzida, tanto para se habituar ao futebol profissional como para colocar o SC Braga nas posições europeias. Ofensivamente são esperadas melhorias, vistas as falhas técnicas que a equipa minhota apresenta e também analisando que esta é a imagem de marca do jovem treinador. No entanto, será que estas lacunas irão ser corrigidas a tempo para jogar contra “os mais pequenos” (que têm sido os maiores deslizes da equipa)?

É de salientar que o sucesso nem sempre é transmitido a partir de uma ideia de jogo atraente, como aquela que Rúben Amorim apresenta, pois os resultados são aquilo que move o futebol. É literalmente impossível prever o futuro do técnico português. Por muito polémica que a decisão de António Salvador tenha sido e muitos discordem, o seu projeto parece ambicioso e com uma identidade estável e forte. Aguardemos pelos frutos do trabalho de Rúben Amorim, de relembrar que o primeiro desafio está já aí contra o Belenenses SAD – aquele que será o primeiro jogo do ano de 2020 do SC Braga. Iremos ter uma surpresa logo no início do ano?

Foto de Capa: SC Braga

 

Comentários