A CRÓNICA: A PARTIDA FOI DE TARDE, MAS O JOGO FOI PARA ADORMECER

O complexo desportivo do Real SC recebeu o duelo entre Real SC e a Belenenses SAD, a contar para os 32avos de final da Taça de Portugal. Ambas os treinadores promoveram algumas mexidas nos onzes habituaiS. Tiago Silva assumiu o comando do Real SC, neste jogo, após a saída de Hugo Martins, mas Luís Pinto vai assumir a equipa a longo prazo.

O jogo começou muito parado, mas como seria de espera a Belenenses SAD assumiu a iniciativa no jogo. Aos 13’ minutos a equipa azul abriu o marcador. Afonso Sousa, na esquerda, desequilibra e tira Marcos Barbeiro da frente e cruza apara o interior da área. Tiago Esgaio apareceu dentro da área e encostou para o fundo das redes.

O Belenenses foi mantendo o domínio, mas sem conseguir criar grandes oportunidades. O Real SC fez algumas saídas interessantes, mas os jogadores da equipa de Queluz falharam sempre na definição no último terço.

Anúncio Publicitário

Uma primeira parte sem grande história. Um Rela com vontade, mas sem capacidade. Uma Belenenses SAD quanto baste, mas muito fraca.

Na segunda parte a toada manteve-se. O Real até entrou com mais dinamismo, mas foi a Belenenses SAD a voltar a marcar. Um erro no meio campo do Real, permitiu a Ruben Lima ganhar muito espaço na ala esquerda. O lateral português isolou Miguel Cardoso que passou facilmente por Catalin Moraru e avolumou o resultado, ao minuto 49’. Logo de seguida Cassierra acertou no poste.

A única oportunidade do Real SC surgiu de um remate de fora da área de João Lameira, aos 64’ minutos, que assustou André Moreira.

A meio da segunda parte o Real SC cresceu bastante no jogo e até dispõe de algumas oportunidinades, mas nunca conseguiu visar a baliza de André Moreira. Um jogo muito pouco animado e com pouquíssimo para relatar.

 

A FIGURA

Miguel Cardoso – Bom jogo do extremo português que coroou a exibição com um golo. O regresso a Portugal parece ter sido a decisão acertada. Nota para a boa exibição de Afonso Sousa.

 

O FORA DE JOGO

Ritmo de jogo – O único adjetivo que me ocorre para descrever o jogo é aborrecido. Um jogo sempre muito lento, pautado pelas dificuldades técnicas do Real e pelo fraco estilo de jogo da equipa de Petit. Jogo para adormecer.

ANÁLISE TÁTICA – REAL SC

O Real SC alinhou com um esquema de 4-2-3-1. No meio campo Ibra e Cassamá e Carlos David formavam o duplo pivot mais defensivo. Ibra era o jogador mais participativo na construção, descendo muitas vezes para juntos centrais. Mateus Fonseca era o médio mais avançado. Na frente Diogo David era o homem mais adiantado. O Real SC procurava sobretudo sair de forma longa, mas teve algumas boas jogadas de envolvimento sobretudo quando Ibra Cassama se envolvia no jogo.

 

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Catalin Moraru (5)

Vitor Sanches (5)

Romário Carvalho (5)

Daniel Almeida (4)

 Barbeiro (6)

 Ibra Cassamá (6)

Rui Batalha (5)

 Matheus Fonseca (4)

Diogo David (4)

João Gabriel (5)

 Carlos David (4)

SUBS UTILIZADOS

 Ballack (6)

João Lameira (5)

Rodrigo Martins (4)

André Salvador (-)

Tkalcic (-)

ANÁLISE TÁTICA – BELENENSES SAD

A equipa de Petit alinhou no habitual esquema hibrido entre um 4-4-2 e um 3-5-2. Cafu Phete era o jogador que derivava do meio campo para o centro da defesa, deixando Cauê e Bruno Ramires como a dupla de médios. Com a saída de Ramires as dinâmicas mantiveram-se, mas mais numa relação entre o 3-4-3 e o 4-3-3. Na frente, Varela e Miguel Cardoso eram a dupla móvel de avançados. Afonso Sousa fazia o corredor esquerdo, enquanto Tiago Esgaio fazia toda a ala esquerda.

 

11 INICIAL E PONTUAÇÕES 

André Moreira (6)

Tomás Ribeiro (6)

Ruben Lima (7)

Bruno Ramires (4)

Cauê (5)

Varela (6)

 Miguel Cardoso (7)

Tiago Esgaio (7)

Cafu Phete (-)

Henrique Buss (-)

Afonso Sousa (8)

SUBS UTILIZADOS

Cassierra (6)

Richard (5)

 Jordan Van der Gaag (5)

 Calila (-)

Sithole (-)

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

Belenenses SAD

BnR: A que se deveu a saida do Bruno Ramires e a entrada do Cassierra tão cedo no jogo?

Petit: O Bruno teve uma pequena lesão no aquecimento, tentamos ver como ele estava mas acabou por não conseguir. Preparamos logo o Cassierra par a frente de ataque e o Sousa como segundo médio. O Sousa também teve um traumatismo no joelho. Os dois vão ser reavaliados amanhã.

Real SC

BnR: Jogo difícil contra uma equipa de outra valia, ainda assim o que é que retira de positivo deste jogo?

Tiago Silva: O profissionalismo que a equipa teve. Tivemos pouco tempo de recuperação. Éramos inferiores do ponto de vista individual e técnico. Demos o nosso melhor.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome