Anterior1 de 3Próximo

Cabeçalho Futebol NacionalVivemos num país exportador de jogadores. Para além do futebol formação português ter crescido exponencialmente nesta década, o nosso campeonato começou a ganhar visibilidade neste século pela capacidade de prospecção de jogadores (portugueses e estrangeiros) que depois são vendidos a clubes das principais ligas europeias por bons preços.

Algumas pessoas provavelmente até pensarão como é que este país pequenino plantado à beira-mar pode produzir tantos jogadores talentosos, mas se fomos a ver, não somos um caso único nesse aspecto: a Bélgica e a Holanda, países com uma área semelhante à do Alentejo também têm talento para dar e vender.

O factor mais relevante neste aspecto, é que entre os países europeus situados no top-10 do ranking da UEFA, Portugal é certamente um dos que tem uma economia menor, o que dá mais relevância aos feitos que o nosso futebol consegue.

Mas, será que alguém já pensou de forma mais aprofundada sobre a capacidade de revelar jogadores que o nosso futebol tem? Ora, sigamos o seguinte raciocínio: os treinadores destacam-se ao potenciarem os jogadores, são os presidentes que dão o dinheiro para contratar os jogadores, são os dirigentes e os empresários que os negoceiam. Mas, quem é que descobre os jogadores e dá as primeiras indicações sobre eles?

Cristiano Ronaldo foi descoberto pela rede de recrutamento liderada por Aurélio Pereira Fonte: Sporting Clube de Portugal
Cristiano Ronaldo foi descoberto pela rede de recrutamento liderada por Aurélio Pereira
Fonte: Sporting Clube de Portugal

Falo dos olheiros. Daqueles homens que observam os jogos num canto discreto do estádio, que em muitos casos atravessam o oceano para observar um jogador, uma região, um país ou uma competição onde possa recolher informações sobre aqueles que podem ser os futuros craques do clube que representam.

E, apesar dos olheiros trabalharem na sombra, as suas capacidades também são fundamentais para assegurarem um futuro de sucesso no clube para o qual trabalham. Têm de ter capacidade para detectar e selecionar os jogadores e precisam de ser ágeis no seu recrutamento, de modo a anteciparem-se a outros clubes e também aos empresários, que nos dias de hoje têm cada vez mais peso no futebol e no mercado.

Os olheiros andam muitas vezes em cantos discretos dos estádios para observar jogadores que correspondam ao perfil que se pretende. Esses olheiros não se preocupam com o resultado que o placard indica mas sim com o desempenho individual do jogador que observam: a sua habilidade, a forma como trabalha com e sem bola, como ele se comporta em situações de pressão, etc. Sendo que os olheiros recolhem toda essa informação num relatório posteriormente é enviado para o departamento de futebol do clube.

Ser olheiro é uma tarefa bem mais difícil do que parece, porque é uma tarefa que exige um conhecimento minucioso de todos os perfis de um jogador e de todos os aspectos de jogo, de modo que posa avaliar os jogadores consoante as várias situações de jogo.

Anterior1 de 3Próximo

Comentários