Dois jogos, zero pontos, seis golos sofridos (pior defesa do campeonato) e último posto da tabela classificativa: assim se define a equipa do Paços de Ferreira esta época.

A equipa de Filó, recém-promovida à Primeira Liga, não começou a temporada da melhor maneira. Apesar de ter vencido a primeira partida oficial nesta época (venceu o Estoril Praia SAD nas grandes penalidades na eliminatória da Taça da Liga), os ‘castores’ têm tantos jogos quanto derrotas no campeonato e não se avista uma caminhada nada fácil.

Na primeira jornada, os homens da Capital do Móvel deslocaram-se à Luz e nem luta deram ao SL Benfica. Sem rematar sequer à baliza nesse jogo, os pacenses perderam por 5-0 e começaram assim o campeonato da pior maneira possível.

Uma semana depois, ou seja, na segunda jornada, foi a vez do estádio da Capital do Móvel voltar a sentir a vida de Primeira Liga. Porém, o resultado não foi o melhor para os homens da casa e o CD Santa Clara conseguiu os três pontos graças a um golo de Thiago logo aos 17 minutos.

Dois resultados negativos depois, é preciso analisar esta equipa do Paços de Ferreira. Comecemos pelo treinador. Depois de ter subido de divisão graças ao fantástico trabalho do homem das subidas, Vítor Oliveira, a direção pacense optou por uma decisão arriscada e decidiu contratar Filó ao SC Covilhã. Ora, Filó nunca tinha treinado no primeiro escalão do campeonato português e à partida seria uma aposta de risco total. Tem-se confirmado agora que esta não foi, de todo, a melhor decisão possível, o que se pode confirmar pelo fraco futebol produzido.

Filó estreia-se na primeira liga´
Fonte: FC Paços de Ferreira

Porém, o treinador não aparenta ser o único problema desta equipa. A verdade é que o plantel pacense parece ser escasso em termos de qualidade e são poucos os nomes sonantes nesta equipa. O guarda redes Ricardo Ribeiro, o defesa Marco Baixinho, e os médios André Leão e Luiz Carlos são os jogadores de maior destaque e assim se nota logo a (pouca) qualidade existente neste plantel.

Os números? São claros. Zero golos marcados, apenas três remates à baliza e duas derrotas.

Foto de Capa: FC Paços de Ferreira

artigo revisto por: Ana Ferreira

Comentários