Se há jogadores da nossa Liga que este ano têm provado todo o seu valor que estaria, talvez para os menos atentos, um pouco escondido, têm sido os dois Tós do nosso Campeonato. Falo pois de Tó(mané) e Tó(zé).

Tomané (António Manuel Fernandes Mendes)

Nunca achei o actual avançado do CD Tondela um grande jogador. É e sempre foi raçudo, dá tudo o que tem, mas nunca o vi como um goleador. Nunca achei que fosse para além da mediania. No entanto, dou a mão à palmatória: Tomané é um excelente avançado. Tomané é um matador. Tomané é muito mais que ‘mais um jogador’. Tomané é, a meu ver e sobretudo na sua actual equipa, ‘o jogador’.

Tendo já um longo percurso no nosso futebol e também além fronteiras, Tomané, acredito, terá crescido também em aspectos importantes para um qualquer jogador de futebol. Para além da sua qualidade futebolística, os anos terão transformado o avançado num jogador mais maduro, mais ciente das suas características, mais tranquilo até. Agora, sempre que vejo Tomané jogar, canso-me: de o ver correr e consequentemente de, por vezes, parecer que ele está em todo o lado, no que à linha avançada diz respeito. E depois tem aquele faro de goleador: aparece no sítio certo, remata com facilidade e até o cabeceamento não é nada mau, ele que não é, bem pelo contrário, um avançado alto.

Tomané está a fazer a melhor época da sua carreira
Fonte: CD Tondela

Tomané estará a fazer a sua melhor época de sempre. Para isso terá contribuído também Pepa e a ‘aparente tranquilidade’ que se vive em Tondela. Resta-me pois aguardar que Tomané possa dar o salto que, a meu ver, merece na íntegra. Se o vejo num clube com outras pretensões? Sim, claro! Sei que já esteve em Guimarães e acima do clube da cidade berço não há muito no nosso país. Mas consigo perfeitamente visualizar Tomané num SC Braga e não para passar o tempo no banco de suplentes.

Tozé (António José Pinheiro Carvalho)

Tozé, ao contrário de Tomané, sempre me encheu as medidas. Raçudo, tal como Tomané, o actual médio do Vitória SC é um jogador que acredito ter, ainda, muito para dar ao nosso futebol.

Tozé fez-se jogador no FC Porto, ou pelo menos as bases desse jogador que é hoje. Andou por vários clubes até o ano passado ter estacionado em Moreira de Cónegos por empréstimo do Vitória SC. E, tal como noutros lugares deste nosso Portugal, Tozé brilhou: brilhou pela entrega, intensidade, objectividade e pelo golo, que é, a meu ver, o que faz dele um médio ‘especial’.

Tozé tem no seu poderoso e colocado remate a sua arma mais forte
Fonte: Vitória SC

Tozé tem essa característica que entendo ser a que faz a diferença quando comparado à maioria. Dono de um remate poderoso e colocado, não poucas vezes faz uso dele, tentando e tentando… até ao golo que vai acontecendo bastantes vezes para um médio de uma equipa ‘europeia’. Tozé é também esclarecido no passe, mesmo no passe médio/longo, sendo as suas aparições na grande área adversária também uma constante.

O futuro? A meu ver, Tozé poderá vir a fazer parte de um plantel como o do SC Braga ou, quiçá, de um dos três grandes, e se não para jogar sempre, pelo menos para jogar minutos com regularidade. Imagino-o perfeitamente no clube arsenalista, mas até no Sporting CP eu consigo visualizar uma dupla de médios formada por ele e Bruno Fernandes, à frente do médio defensivo leonino. Pode parecer exagero, mas aguardo que o tempo me possa dar razão.

Tomané e Tozé: dois jogadores que vão a tempo de fazer ainda mais figura no nosso futebol. Assim a sorte e a qualidade de ambos o queira.

 

Foto de Capa: Liga Portugal

Artigo revisto por: Rita Asseiceiro

Comentários