Anterior1 de 2Próximo

Por momentos dei-lhe esperanças, não foi, caro leitor? Por outro lado, se esperava chegar aqui e ler uma ode ao anime que deliciou qualquer adolescente apaixonado por Futebol nos anos 80 e 90, também não é bem este o artigo que procura. Esta analogia serve, em jeito de brincadeira, para destacar a qualidade de um japonês que nos tem maravilhado ao longo desta temporada.

Mas será que estamos perante uma surpresa? Nada disso. Ainda estávamos em Setembro – pouco tempo depois da sua chegada a Portugal – e já o Bola na Rede destacava aqui aquele que é hoje reconhecido por toda a gente como uma das figuras da temporada, fora do universo dos três grandes. Trata-se, nada mais, nada menos, de Shoya Nakajima, avançado de 23 anos do Portimonense SC.

Nakajima, ao serviço do Tokyo FC
Fonte: pinterest.pt

Nakajima rumou a Portimão no Verão de 2017, proveniente do FC Tokyo, e logo se viu a qualidade presente neste jogador. Pessoalmente, lembro-me de ver o seu primeiro jogo e pensar logo para mim próprio que este não enganava. Dono de uma velocidade supersónica e de uma exímia capacidade técnica, este pequeno japonês é extremamente perigoso, seja em drible curto, seja quando se apanha com espaço, pois também alveja as balizas com bastante facilidade.

É inegável que este jogador tem feito uma temporada absolutamente extraordinária ao serviço do conjunto alvinegro. Para a Primeira Liga, a contribuição de Shoya cifra-se nos nove tentos apontados e cinco assistências, em 19 jogos. Para uma temporada de estreia de um jogador vindo de um campeonato totalmente diferente, para uma realidade diferente, num País com um idioma diferente, isto terá de ser visto como um feito que não está ao alcance de qualquer um. Tal foi o seu impacto, que a SAD portimonense decidiu avançar para a compra dos restantes 80% do passe (recorde-se que Nakajima estava em Portimão por empréstimo do FC Tokyo, com a SAD a deter 20% do passe do jogador).

Anterior1 de 2Próximo

Comentários

Artigo anteriorO estranho desaparecimento de Ding Junhui
Próximo artigoO que falta do campeonato?
Alfacinha de gema e Benfiquista por natureza, Bruno é um obcecado por Futebol e foi através da escrita que encontrou a melhor forma de dar a conhecer essa sua paixão pelo desporto-rei. É capaz de estar desde Segunda-feira até Domingo à noite a ver todos os jogos que passam na TV. Terá sido em pequeno que toda esta loucura futebolística foi despertada pelo seu Pai e pelo seu tio que, respetivamente, o levavam ao Estádio do Restelo e ao Estádio da Luz. Bruno não suporta facciosismos e tenta sempre ser o mais crítico possível para com o seu clube.                                                                                                                                                 O Bruno não escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.