Cabeçalho Futebol NacionalLonge vão os tempos em que participavam na Primeira Liga Portuguesa clubes como: Salgueiros, Estrela da  Amadora, Campomaiorense, Felgueiras, Alverca, Beira-Mar, União de Leiria e outros tantos saudosos clubes, que agora estão extintos ou que passaram por períodos complicados, com muito deles a assumirem novos nomes, depois de graves dívidas.

O futebol português, tal como era antigamente, já não existe. Longe vão os tempos em que as condições para se jogar futebol eram mínimas, onde os três grandes temiam pelas visitas ao Capitão César Correia, ao Estádio José Gomes ou ao Dr. Magalhães Pessoa. Longe vão os tempos em que os jogos fora eram o pesadelo de qualquer adepto dos três grandes, onde era normal um grande perder pontos com qualquer equipa. O futebol português está em mutação. Vários clubes, sem tanta tradição como os anteriores citados, vão, aos poucos, surgindo no futebol português, enquanto que clubes com história e tradição se vão deteriorando e entrando em declínio, passando a estar presentes apenas no imaginário dos adeptos que os acompanharam. Mas ainda há esperanças e muitos destes clubes, devido ao apoio dos seus mais fervorosos adeptos, tentam agora renascer para o futebol, tendo como objetivo maior regressar a um passado não muito distante.

O caso mais flagrante é o do Estrela da Amadora. O clube da Amadora foi extinto em 2011, devido a graves dívidas, e foi refundado no ano seguinte sob o nome de Clube de Futebol Estrela, passando a apostar na formação, de modo a conseguir alcançar os voos outrora alcançados pelo clube. O Estrela da Amadora é dos poucos clubes em Portugal que venceu uma Taça de Portugal e que igualmente passou pelas competições europeias. Quem não se lembra do equipamento tricolor, caraterístico do clube da amadora, do sempre complicado estádio José Gomes, da autêntica caixa de sapatos da Amadora, que gerava sempre um ambiente explosivo? Para além do rico palmarés do clube, ficam os vários jogadores que foram lançados ou que passaram pela Amadora, como: Jorge Andrade, Miguel, Abel Xavier, Rodolfo, Dimas, Calado, Paulo Bento, Paulo Ferreira, Chaínho ou de treinadores como:  Quinito, Jorge Jesus, Jesualdo Ferreira, Toni, Lito Vidigal, Álvaro Magalhães, Daúto Faquira, Fernando Santos, entre outros que ajudaram a elevar o nome do Estrela da Amadora.

Salgueiros pretende regressar aos grandes palcos Fonte: Salgueiros FC
Salgueiros pretende regressar aos grandes palcos
Fonte: Salgueiros FC

Mas existem outros casos. No Porto, na freguesia de Paranhos, nascia, em 1911, o Sport Comércio e Salgueiros.  O Salgueiros abandonou o futebol sénior em 2004, devido a algumas dívidas, voltou a aparecer no futebol português, em 2008, com o nome de Sport Clube Salgueiros 08, adoptando este novo desígnio por, devido a dívidas, não poder inscrever jogadores. Na memória dos adeptos ficavam as 24 presenças do clube na primeira divisão portuguesa e a passagem pelo clube de nomes como: Deco, Caneira, Moreira, Moretto, Féher, Sá Pinto, Panduru. Em 2008, com uma formação renovada e com uma estrutura bem preparada, o Salgueiros competiu voltou à competição, participando na 2ª divisão da Associação de Futebol do Porto. Atualmente, o Salgueiros encontra-se  a disputar a fase de subida da zona norte do Campeonato nacional Prio, numa caminhada brilhante e que se pode considerar um verdadeiro case study do futebol português. Este Salgueiros pode estar de volta aos campeonatos profissionais em Portugal, depois de uma verdadeira descida ao inferno. Um regresso que seria de salutar.

Outro clube que também assumiu um novo nome depois de problemas financeiros foi o União de Leiria. De entre os clubes mencionados, o União de Leiria foi aquele que competiu há menos tempo na primeira divisão.  O clube da cidade Liz passou em 2011 aquele que foi o período mais negro da sua história. Devido ao atraso nos pagamentos dos salários dos jogadores do clube, o União chegou a apresentar-se com apenas oito jogadores de campo, num jogo frente ao Feirense em que perdeu por 4-0. Depois disso, e já com os júniores da equipa, o Leiria viria a terminar o campeonato descendo diretamente para a II divisão zona sul. O Leiria, clube que em Portugal tinha grande tradição e que a certa altura era presença habitual nas competições europeias, passava assim por um período negro. Muitos auguravam o fim de um clube histórico e por onde tinham passado: Mourinho, Domingos Paciência, Jorge Jesus; ou jogadores como: Silas, Hélton, Derlei, Nuno Valente, Douala, mas não. O União de Leiria soube reconstruir-se e nos últimos anos tem lutado pela subida aos campeonatos profissionais. Parece que ainda não será este o ano em que a equipa irá subir aos campeonatos profissionais mas os homens da cidade Liz prometem, muito em breve, voltar aos períodos dourados do clube.

Existem outros tantos clubes que mereciam ser aqui mencionados. Como o caso do Beira-Mar, que depois de várias dívidas se tem reconstruindo e que tem contado com o apoio dos seus fiéis adeptos para voltar a ser grande de novo. Ou como o Felgueiras, que voltou a competir em 2006 e que já chegou ao campeonato Prio ou até mesmo o Farense que pretende voltar a competir na segunda liga. Não são todos os clubes que vão conseguir dar a volta, nem serão todos os clubes que irão voltar àquilo que eram no passado. A verdade é que é de salutar que existam projetos destes no futebol português. O futebol português precisa deste bairrismo saudável, deste amor incondicional dos seus adeptos pelos seus clubes, para começar a ganhar o destaque que merece. Que existam mais clubes como estes a quererem demonstrar que o passado pode muito bem vir a ser, de novo, o presente.

Foto de capa: Europlan.de

Artigo revisto por: Francisca Carvalho

 

Comentários