Anterior1 de 4Próximo

O Vitória FC recebeu o CD Feirense no Bonfim esta tarde para o jogo do dia: jogo de possíveis decisões. Com a possibilidade de garantir já a manutenção, os sadinos abriram as portas do seu estádio para receber todos os seus adeptos livremente num dia em que se celebra também o Dia do Vitoriano. Nas bancadas o jogo já estava ganho e em campo a vontade era muita.

Ambas as equipas entraram à procura do golo, atrevidas, com um jogo intenso. A primeira metade foi digna de nos levar até aos relatos do domingo à tarde, onde três ou quatro equipas estão a jogar para subir à primeira divisão na última jornada do campeonato. O ambiente do Bonfim estava algo de incrível, como não se via há muitos anos (provavelmente desde que o Vitória subiu ao principal escalão pela última vez).

Aos 16 minutos de jogo surgiu a primeira grande oportunidade do jogo com Cristiano a impedir o primeiro golo da partida, com uma excelente defesa.

Apesar de o Vitória ter sido a equipa mais controladora e intensa, os fogaceiros detiveram as maiores oportunidades de golo, como consequência de serem a equipa mais agressiva no ataque.

Aos 35′, André Pereira ainda tentou a sua sorte, mas a bola passou por cima da baliza de Caio. O Feirense aproveitou e Edson Farias, com todo o espaço do mundo, correu até à baliza sadina, mas no momento do remate, a bola embate da defensiva do Vitória e o lance, que poderia representar grande perigo, morreu ali.

Para o Vitória houve somente mais uma oportunidade flagrante de golo. Aos 43 minutos, Edinho é chamado a bater um livre na zona da meia-lua e faz o que só ele sabe fazer: remate direto à baliza. Um verdadeiro tiro do camisola 36 do Vitória que só não deu golo devido à brilhante intervenção de Caio que consegue socar a bola para fora.

As equipas recolheram aos balneários debaixo da forte chuva que se fazia sentir em terras sadinas.

O jogo foi para intervalo a zeros, mas após uma primeira parte bem conseguida por ambas as equipas
Fonte: Bola na Rede

A segunda metade começou com menos intensidade, mas com mais ooportunidades de parte a parte. O Vitória procurou inaugurar o marcador e o Edinho teve, de facto, essa oportunidade aos 54 minutos, mas falhou. Ainda assim, os sadinos não desanimaram e, cinco minutos depois, André Pereira, com Costinha desmarcado, quis tentar a sua sorte, meteu-se “na boca do lobo” e rematou, remate esse desenquadrado com a baliza, para desagrado dos adeptos e do seu colega de equipa. E como quem não marca sofre, o Feirense marcou o primeiro da partida.

O relógio marcava 17 minutos da primeira parte quando João Silva, quase sozinho, domina a bola de peito, depois de um grande passe de Hugo Seco, e remata para o fundo das redes. Cristiano hesitou em sair e ficou a meio caminho, aquando do momento decisivo do avançado fogaceiro. Estava feito o golo da equipa da Feira, com João Silva a brilhar e Cristiano a manchar o lance.

Os sadinos não se deram como derrotados e foram à procura de uma reviravolta no marcador. José Couceiro, inclusive, mexeu na equipa, colocando João Amaral em jogo. Que lufada de ar fresco é o jovem médio! Decisivo, rápido e persistente, Amaral veio dar outra cor ao ataque, mas a equipa do Vitória não estava coordenada e de pouco valeu o esforço e inspiração do camisola 24.

Patrick e Costinha, aos 70′ e 84′ respetivamente, tentaram a sua sorte, mas nenhum deles foi bem sucedido. O remate do defesa ainda rasou a barra da baliza e Caio, mas não passou daí.

João Silva, autor do primeiro golo, voltou a aparecer na frente e, não fez nada mais, nada menos, que bisar. A três minutos dos 90, a equipa da Feira faz o segundo golo e acaba com as esperanças de todos os vitorianos.

Ainda se jogou cinco minutos para lá do tempo regulamentar, mas de nada serviu ao Vitória. Jorge Sousa apitou para o final da partida e o Feirense sai do Bonfim com três importantíssimos pontos na luta pela manutenção. Já o Vitória perdeu uma oportunidade de se distanciar dos seus rivais diretos e complicou a sua própria vida, num jogo com casa cheia e muito apoio.

Como jogou o Vitória FC

Cristiano, Arnold, Nuno Reis, Tavares, Patrick, Nenê Bonilha, Semedo, Wallyson, Costinha (SC), André Pereira, Edinho (C)

Substituições: Wallyson (João Amaral, 61′), Nuno Reis (Emrah, 72′)

Como jogou o CD Feirense

Caio, Diga, Kakuba, Flávio Ramos, Brisaño, Cris Santos (C), Babanco (SC), Hugo Seco, Crivellaro, João Silva, Edson Farias

Substituições: Hugo Seco (Luís Aurélio, 84′), Diga (B. Nascimento, 91′)

Foto de Capa: Bola na Rede

Anterior1 de 4Próximo

Comentários