logo-BnR.png

ÚLTIMA HORA:

Lusitano FCV x SL Nelas

Lusitano FCV 3-1 SL Nelas: Cinco minutos de poder fecham vitória

A CRÓNICA: HOUVE MUITO ESPAÇO PARA ATACAR

Sem margem de manobra, o Lusitano necessitava de ganhar para se aproximar ao duo da frente. Já o Nelas, com os objetivos alcançados e com a primeira vitória na fase de Campeão, vinha motivado e sem nada a perder.

Os primeiros dez minutos foram os mais intensos da primeira parte. Ainda no primeiro minuto, Chisom cruzou para a cabeça de Junior e obrigou Tony a esticar-se para agarrar o esférico.

Já do lado do Lusitano, os jogadores também entraram com a pontaria afinada. Primeiro, Luís Almeida lançado por Gonçalo Santos, desmarcou-se e atirou para defesa atenta de Alfaiate. Depois, foi Hélder Rodrigues que à entrada da grande área adversária, atirou à meia volta para defesa incompleta do guarda-redes visitante.

Depois da fase inicial, o jogo arrefeceu, havendo um equilíbrio. O Lusitano, com espaço nas costas da defesa do Nelas, ia conseguindo aproximar-se da baliza adversário. Por outro lado, os visitantes ameaçavam de bola parada e na sequência de um dos vários cantos que usufruíram na primeira parte, o central Alex rematou rasteiro para defesa para a linha de fundo do guarda-redes Norte-americano.

Já à beira do minuto 45, num lance algo confuso, o árbitro considerou que Luís Almeida foi derrubado por um dos defesas do Nelas que o rodeavam na grande área adversária. Hélder Rodrigues não tremeu na cobrança e deu a vantagem à sua equipa antes do intervalo.

Na etapa complementar, as equipas entraram mais fechadas e mais lentas de movimento, com o Lusitano a ter um ligeiro ascendente sobre os visitantes. Miranda deu o aviso de meia distância que a vantagem iria ser alargada e obrigou Alfaiate à defesa da tarde.

Aos 57´, Barry, à entrada da área, lateralizou para Luís Almeida que recebeu a bola à esquerda e contou com um desvio de um jogador do Nelas para que o seu remate enganasse o guarda-redes adversário. Sem tempo para respirar depois do 2-0, o recém-entrado Simão Pipo rematou de fora da área para o golaço da tarde, sem hipóteses para Alfaiate.

Depois da vantagem robusta e da mudança tática do Nelas, a equipa da casa recuou bastante e apanhou vários sustos. O Nelas viria mesmo a reduzir depois de um cruzamento rasteiro mas tenso de Chisom para o coração da área e, depois de disputas de bola algo confusas, Junior atirou à meia volta para o fundo da baliza de Tony.

Até ao fim, destaque ainda para Bruno Loureiro que obrigou o guarda-redes do Nelas a uma defesa apertada já nos descontos da partida.

Numa das melhores exibições da época e com mais remates à baliza adversária, o Lusitano consegue uma vitória importante para a consolidação do terceiro lugar e na perseguição do duo da frente, Mortágua e Resende.

 

A FIGURA

Luís Almeida Lusitano FCV
Fonte: Lusitano FCV
Luís Almeida – O avançado do Lusitano teve algo que lhe tem faltado na maioria dos jogos esta época: espaço nas costas da defesa. Sabendo do seu virtuosismo, os seus colegas da equipa confiaram-lhe muitas vezes a bola nos seus pés. Sofreu a falta que deu o penalti que colocou a equipa em vantagem e fez ainda o 2-0.

 

O FORA DE JOGO

Fábio Andrade – O defesa do Nelas teve algumas dificuldades durante a primeira parte, nomeadamente na ocupação de espaços durante o processo ofensivo do Lusitano. Na segunda parte, em cinco minutos, o Nelas sofreu dois golos, numa zona que seria sua e onde os marcadores tiveram tempo e espaço para visar a baliza dos visitantes.

 

ANÁLISE TÁTICA – LUSITANO FCV

Sérgio Fonseca apostou inicialmente no 3x5x2, com Tomé e Hélder Rodrigues nas alas e Leal a central.

Cedo percebeu que o xadrez tático estava a dificultar a ação da equipa e, ainda na primeira parte, alterou para o habitual 4x3x3, com o trio ofensivo composto por Luís Almeida à esquerda, Hélder Rodrigues à direita e no centro Barry. No meio campo, Miranda era o homem mais próximo dos centrais, Calico e Tatiano. Bruno Loureiro era o médio mais ofensivo e Gonçalo Santos, mais recuado do que o colega, era quem lançava muitas vezes os ataques do Lusitano.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Tony (6)

Tomé (7)

Calico (6)

Tatiano (6)

Leal (6)

Miranda (6)

Gonçalo Santos (7)

Bruno Loureiro (7)

Hélder Rodrigues (6)

Luís Almeida (7)

Barry (7)

SUBS UTILIZADOS

Túlio (6)

Simão Pipo (7)

Kiku (-)

Muna (-)

Salú (-)

 

ANÁLISE TÁTICA – SL NELAS

Paulo Listra apostou num 3x6x1, com Xico Clemente, Alex e Pedro. Chisom e Fábio Andrade funcionavam como alas à esquerda e à direita, respetivamente. O capitão José Lopes era o homem mais recuado do meio campo. Rui Pipo e Thales eram os médios ofensivos, sendo que Pipo derivava muitas vezes para a direita. Já Junior era o homem mais adiantado, mas sem ser a referência na área porque ia muitas vezes para a lateral direita. Por vezes, Thales substituía Junior como homem mais adiantado do Nelas.

A perder por 2-0 perto da hora de jogo, Paulo Listra alterou o esquema tático para um 4x3x3, com o recém-entrado Bruno Ferreira a ser a referência ofensiva no centro e Junior a recuar para o meio campo. Já Chisom passou a funcionar como extremo esquerdo e Pedro Mota, também saído do banco, ficou como extremo direito.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Alfaiate (7)

Pedro (5)

Xico Clemente (5)

Alex (6)

Fábio Andrade (5)

José Lopes (6)

Thales (5)

Rui Pipo (6)

Chisom (5)

Zé Manuel (5)

Junior (6)

SUBS UTILIZADOS

Bruno Ferreira (6)

 Pedro Mota (6)

Carlos Ferreira (-)

 

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

Lusitano FCV

BnR: O Lusitano consegue uma vitória importante, numa das melhores exibições da época. Que achou da partida?

Sérgio Fonseca [técnico principal]:  Todas as vitórias são importantes. Esta veio no seguimento do nosso último jogo [vitória por 1-0 frente ao Carvalhais]. É importante continuarmos a ganhar. A nossa mensagem tem ido muito nesse sentido: tentarmos terminar da melhor forma possível e isso passava pela vitória hoje.

Não entrámos muito bem no jogo, mas ao longo do jogo fomos crescendo nomeadamente na segunda parte. Depois com o aparecimento dos golos, as coisas foram melhorando.

BnR: O esquema tático e a forma de jogar do Nelas com alas ajudaram o Lusitano a encontrar espaço nos corredores para chegar com perigo à baliza adversária, nomeadamente através do Luís Almeida?

Sérgio Fonseca:  Sim, o Luís é um jogador que se sente muito confortável nas transições. É um jogador que, tendo espaço nas costas da defesa adversária, por norma, costuma ter qualidade nas ações de transição e foi um pouco por aí. Inicialmente entrámos no jogo de uma forma e antes do intervalo alterámos a forma de jogar. Encaixámos mais, o jogo ficou mais partido e, na segunda parte, acabámos por melhorar, entrar melhor no jogo chegar aos golos e justificar a vitória.

BnR: Pareceu haver uma maior preocupação do lado esquerdo com Hélder Rodrigues a vir ajudar Leal a fechar o seu corredor. Qual foi a razão?

Sérgio Fonseca: Tem muito a ver com o que foi a estratégia e com o sistema em que estávamos a jogar. A preocupação veio daí também. O Hélder não teve uma semana muito positiva, estava com algumas limitações e isso condicionou um bocadinho o que foi a prestação do Leal. Penso que não foi só por aí. Houve uma apatia geral. Faltou entrar com mais intensidade, com mais qualidade nas ações, a bola tinha de circular de forma mais rápida, tínhamos de elevar a nossa velocidade de jogo e isso não conseguimos fazer. Fomos uma equipa muito apática, mas depois com as alterações, eu penso que as coisas foram melhorando.

 

 

SL Nelas

BnR: O Nelas acaba por sair derrotado, mas consegue fazer uma boa primeira parte. Que análise faz este jogo?

Paulo Listra [técnico principal]: A imagem que o Nelas deixou hoje aqui é a que temos deixado no Campeonato. Quem nos acompanha, sabe que somos uma equipa com estas características, uma equipa que procura sempre o golo. Em relação ao jogo de hoje, tivemos uma primeira parte muito boa.  Não sei se alguma equipa conseguiu ter tanta “superioridade”, na casa do Lusitano. Acho que, na primeira parte, fomos realmente melhores, tivemos mais oportunidades de golo e fomos para o intervalo, mesmo assim, a perder. Isso condicionou o resto do jogo.

BnR: Na segunda parte, a equipa acaba por entrar algo apática, com os processos mais lentos. Como sentiu a equipa ao intervalo? A equipa ficou desmotivada depois do golo sofrido à beira do intervalo?

Paulo Listra: A minha equipa dificilmente se desmotiva e viram que, mesmo a perder por 0-3, conseguimos jogar e tentar marcar. O que acontece é que, além de estarmos a perder, do outro lado estava o Lusitano a ganhar. Na segunda parte, o Lusitano começou a ter mais bola e a controlar e estas situações tiram-nos efetivamente a possibilidade de criarmos mais perigo até porque somos uma equipa muito forte na transição. O Lusitano a baixar as linhas, a jogar como jogou, a ter posse de bola, tivemos mais dificuldade, isso é óbvio, mas mais por mérito do Lusitano do que demérito do que Nelas.

BnR: Nos últimos 20/25 minutos, depois do Nelas ter alterado a sua disposição tática [de 3x6x1 para 4x3x3], a equipa acercou-se da baliza adversária, chegando mesmo ao golo. O que pretendia com a alteração do esquema tático?

Paulo Listra: É um jogo em que já estava 3-0. O próprio Lusitano parece que descansou que já tinha o jogo ganho. Nós realmente aproveitámos esse facto, de o Lusitano estar a ganhar, subiu mais. Tendo espaço nas costas do adversário, atacando em profundidade, nós somos mesmo muito fortes. Hoje não fomos tão fortes como costumamos porque não conseguimos atacar essa profundidade. Quando o conseguimos, realmente temos uma equipa muito boa nesse aspeto. Dar aos parabéns ao Lusitano que acaba por ser justa porque quem ganha, acaba sempre por ter mérito na vitória e dar os parabéns aos atletas do Nelas que fizeram tudo para dignificar a camisola que vestem e mais uma vez o conseguiram fazê-lo muito merecidamente.

Curioso em múltiplas áreas, o desporto não podia escapar do seu campo de interesses. O seu desporto favorito é o futebol, mas desde miúdo, passava as tardes de domingo a ver jogos de basquetebol, andebol, futsal e hóquei nacionais.

Curioso em múltiplas áreas, o desporto não podia escapar do seu campo de interesses. O seu desporto favorito é o futebol, mas desde miúdo, passava as tardes de domingo a ver jogos de basquetebol, andebol, futsal e hóquei nacionais.

[my_elementor_post_nav_output]

FC PORTO vs CD TONDELA