Cabeçalho Futebol FemininoOs primeiros 45 minutos decorreram de forma normal no seu início, com uma fase de estudo mútuo por parte das duas formações, mas convém referir que o resultado ao intervalo (1-0 para as minhotas) se justificava plenamente, em face da grande primeira parte realizada pelas guerreiras do Minho. Tirando esses minutos iniciais, o SC Braga foi sempre mais perigoso e esteve mais perto de poder marcar mais golos do que propriamente o Sporting CP de empatar. Assim, surgiu um golo, que à primeira vista parecia duvidoso, de uma grande penalidade, mas o auxilio do vídeo-árbitro serviu para dissipar as dúvidas e confirmar que efetivamente houve falta para grande penalidade, que foi convertida por Vanessa, num penálti clássico, ou seja, guarda-redes para um lado e bola para o outro.

O leão estava sonolento e bem pode agradecer a Patrícia Morais, que fez uma série de boas defesas para evitar a ampliação da vantagem minhota. A segunda parte foi bem diferente, pois vimos já um Sporting muito melhor e mais perigoso, a tentar inverter o resultado o mais rapidamente possível. Essa atitude mais guerreira das lisboetas foi premiada com um golo de Diana Silva aos 57 minutos, numa boa jogada coletiva superiormente executada pela grande figura leonina. Daqui em diante, nenhuma das equipas arriscou demasiado, com algum receio de sofrer um golo que hipotecasse em definitivo a vitória final.

No prolongamento, vimos um Sporting de Braga a criar mais oportunidades de golo e com iniciativa de jogo, estando por isso sempre mais perto da baliza de Patrícia Morais. No entanto, foi o Sporting Clube de Portugal que marcou o 2-1, através de Ana Capeta, obrigando a que fosse o Braga a ir à procura do golo que voltasse a empatar as contas.

Diana Silva apontou o único golo do Sporting no tempo regulamentar Fonte: Diana Silva
Diana Silva apontou o único golo do Sporting no tempo regulamentar
Fonte: Diana Silva

Uma palavra para o recorde absoluto de espetadores num jogo do futebol feminino disputado em Portugal, com 13.200 adeptos a presenciarem o jogo ao vivo, ultrapassando a fasquia alcançada na final da Liga dos Campeões em 2014, no Estádio do Restelo.

Portanto, o Sporting fez assim a dobradinha, juntando a Taça de Portugal ao campeonato, naquela que foi a primeira taça do seu historial. As arsenalistas fizeram um grande jogo e também merecem o reconhecimento de toda a gente. Os seus adeptos podem estar algo desiludidos por não terem ganho o troféu mas têm de ver o grande jogo que as meninas fizeram e só se podem orgulhar disso.

Anúncio Publicitário

Foto de Capa: SC Braga