spot_imgspot_img

    Inglaterra 2-1 Alemanha (AP): Inglesas quebram enguiço

    A CRÓNICA: INGLESAS TIVERAM MAIS FORÇA FINAL

    Em Wembley, as jogadoras inglesas tinham a oportunidade de ganhar o seu primeiro Campeonato Europeu de Futebol Feminino e terminar. Já a Alemanha, vencedora de oito das 12 edições, podia recuperar o título europeu conquistado pelos Países Baixos com a atual selecionadora inglesa em 2017, último ano em que a competição se realizou.

    No primeiro tempo, a Inglaterra tomou conta da posse de bola a obrigar a Alemanha a recuar as suas linhas. A primeira oportunidade ocorreu logo aos 4´ com Kelly, solta de marcação ao segundo poste, a obrigar a guarda-redes alemã a uma defesa a dois tempos.

    A circulação de bola e a sucessão de cantos conquistados das inglesas persistiam, mas os lances de perigo não apareciam. Pelo contrário, as germânicas raramente conseguiam sair mesmo em contra-ataque.

    Todavia, foi mesmo a Alemanha a estar mais perto de marcar até ao intervalo. Aos 25´, na sequência de um canto, confusão na grande área britânica com a bola a tocar em várias jogadoras, Hengermann desviou a bola para a baliza, mas Williamson não deixou que a bola ultrapasse completamente a linha de golo.

    Até ao descanso, destaque ainda para o remate frontal de White que atirou por cima da baliza alemã depois de uma boa combinação com Mead.

    O segundo tempo começou com a Alemanha a ripostar o domínio territorial inglês na primeira parte. Aos 49´, a médio germânico Magull fez passar a bola perto do poste esquerdo.

    Com a Alemanha por cima no jogo, a selecionadora inglesa respondeu com uma dupla substituição e seis minutos depois surgiu o golo ao contrário da corrente do jogo. Aos 62´, lance de contra-ataque com Walsh a fazer um passe longo ainda longe da linha do meio-campo para Toone que com espaço e velocidade chegou até à grande área e adversária e fez um chapéu perfeito a Frohms com a bola a entrar na baliza.

    A Alemanha continuou a dominar em busca do golo com Magull a ser a maior fonte de problemas para a seleção que jogava em casa. A médio germânica atirou à trave e aos 79´, Magull fez mesmo o empate num remate rasteiro para o poste mais próximo com assistência de Wassmuth que penetrara na grande área.

    Até ao final dos 90 minutos + compensação, o jogo tornou-se muito faltoso sem as equipas a conseguirem desequilibrar.

    Nos primeiros quinze minutos de prolongamento, não houve lances de perigo com as duas seleções a mostrarem mais receio de sofrer do que audácia em chegar ao golo.

    O segundo tempo de prolongamento começou com Toone a rematar e a obrigar Frohms a uma defesa de recurso. As lioness estavam mais perto de marcar do que as germânicas e chegaram novamente ao golo. Na sequência de um canto, muita confusão na grande área alemã e Kelly antecipou-se à guarda-redes e esticou para desviar a bola para o fundo das redes aos 111´.

    Três minutos depois, a Alemanha teve a oportunidade soberana para igualar o marcador com Earps a desviar o cruzamento remate de Gwinn.

    Até final, a Inglaterra ainda teve um lance perigo com um remate de Russo à entrada da área com a guarda-redes alemã a parar o remate. As jogadoras inglesas souberam guardar a bola nos últimos minutos e quebram o enguiço da ausência de grandes títulos que passavam as Seleções principais de futebol de Inglaterra (incluindo a masculina) desde o Mundial 1966.

     

    A FIGURA

    Fonte: UEFA

    Ella Toone – A avançada da Seleção Inglesa entrou na segunda parte e deu a frescura necessária para as leoas conseguirem aguentar a melhor fase alemã no jogo, marcando o golo contra a corrente do jogo de forma muito oportuna a chegar à bola e a rematar com um belo pormenor técnico.

    Teve mais oportunidades até ao final do tempo regulamentar e durante o prolongamento, não perdendo a oportunidade de alvejar a baliza adversária quando tinha espaço. Destaque também para a médio germânica Lina Magull que foi a jogadora mais esclarecida especialmente depois do 1-0 e que permitiu chegar ao golo do empate.

     

    O FORA DE JOGO

    Kathrin Hendrich – A central alemã não esteve bem nalguns momentos da partida. O mais decisivo foi no primeiro golo das inglesas ao dar muito espaço a Toone e a não conseguir acompanhar a jogadora adversária, tendo que a sua colega de posição a tentar compensá-la sem sucesso. Pareceu algo desgastada, não conseguindo controlar os movimentos ofensivos pelo seu lado da defesa e acabou por sair já no final da primeira parte do prolongamento.

    ANÁLISE TÁTICA – INGLATERRA

    Sarina Wiegman apostou num 4x2x3x1 com White na frente de ataque. Em apoio à ponta de lança estavam a goleadora Mead e Hemp nos corredores com muitas trocas entre si e Kirby pelo meio. Na lateral esquerda, Bronze aparecia muitas vezes adiantada e deslocada para a área nas bolas paradas, aproveitando a sua capacidade no jogo aéreo.

    Depois de uma primeira parte com mais posse de bola, as inglesas foram surpreendidas com a entrada a todo o gás da Alemanha depois do intervalo. As entradas de Toone, autora do golo de Inglaterra, e de Russo foram importantes para refrescar e aproveitar o espaço livre nas costas da defesa adversária. Curiosamente, os golos foram marcados por duas jogadoras que entraram no decorrer da partida. A selecionadora acertou nas substituições.

     

    11 INICIAL E PONTUAÇÕES

    Earps (7)

    Bronze (7)

    Bright (6)

     Williamson (7)

    Daly (6)

    Stanway (6)

     Walsh (7)

    Mead (7)

    Hemp (7)

     Kirby (6)

    White (7)

    SUBS UTILIZADOS

    Russo (7)

    Toone (8)

    Kelly (8)

    Greenwood (6)

    Scott (6)

    Parris (-)

     

    ANÁLISE TÁTICA – ALEMANHA

    Martina Voss-Tecklenburg viu-se limitada com Popp, melhor marcadora do Euro à partida para a final e decisiva na meia-final frente à França, a sair do onze inicial poucos minutos antes de o encontro começar por sofrer uma lesão no aquecimento. As alemãs apresentaram-se  em 4-3-3 com Schuller a entrar para o lugar de Popp.

    Perante a dificuldade de lidar com a teia ofensiva britânica até ao intervalo, para a segunda parte, Brand ficou nos balneários sendo substituída Wassmuth, dando mais uma solução para o centro do ataque germânico.

     

    11 INICIAL E PONTUAÇÕES

    Frohms (6)

    Rauch (6)

    Hegering (5)

    Hendrich (5)

     Gwinn (6)

    Oberdorf (6)

    Dabritz (6)

    Maguli (8)

    Brand (5)

    Huth (6)

    Schuller (5)

    SUBS UTILIZADOS

    Wassmuth (7)

    Anyomi (6)

    Lohmann (6)

    Dallmann (5)

    Doorsoun (5)

    Rauch (-)

    - Advertisement -
    spot_img

    Subscreve!

    Artigos Populares

    Moreirense FC de luto: faleceu Joaquim Pereira da Silva

    A formação de Moreira de Cónegos está de luto....

    Sérgio Conceição confirma ausências para o jogo da Taça de Portugal

    Sérgio Conceição, treinador do FC Porto, confirmou que alguns...

    A folha salarial do agora aflito Manchester City FC

    A vida não está fácil para o lado azul...
    Pedro Filipe Silva
    Pedro Filipe Silvahttp://www.bolanarede.pt
    Curioso em múltiplas áreas, o desporto não podia escapar do seu campo de interesses. O seu desporto favorito é o futebol, mas desde miúdo, passava as tardes de domingo a ver jogos de basquetebol, andebol, futsal e hóquei nacionais.
    Bola na Rede