futebol nacional cabeçalho

• Um olhar sobre os ‘’não-grandes’’ que ficaram na metade superior da tabela classificativa na época transata.

A Liga Zon Sagres não se resume apenas aos três ‘’grandes’’. Porto, Sporting e Benfica são, sem dúvida (até ao momento), as equipas mais fortes do campeonato; certo é que todos os anos existem surpresas, pela negativa e pela positiva. Este meu primeiro texto vai dividir-se em duas partes; esta primeira que vos apresento agora focará os clubes que ficaram na metade superior da tabela na época 2012/2013, à exceção dos três ‘’grandes’’ já referidos. A segunda parte sairá na próxima semana e referenciará os clubes que ficaram na metade inferior da tabela e os que foram promovidos da ex Segunda Liga e agora Liga Cabovisão.

Paços de Ferreira: A melhor época de sempre dos castores parece ter deixado marcas na transição para a época 2013/2014. Com a importante saída do ‘’obreiro’’ Paulo Fonseca, aliada às saídas de pedras basilares da equipa como são os casos de Cássio, Vítor Silva, Josué, Luiz Carlos e Cícero, a equipa do Paços ainda não se conseguiu encontrar esta época.

Costinha, que já foi convidado a sair, parece não ter sido a melhor escolha para a cadeira pacense. Herança pesada? Talvez. Certo é que o Paços é último do campeonato, com apenas 4 pontos, e ainda não venceu nas competições europeias, que também parecem ter sido um tiro no pé para a equipa nortenha. O objetivo da equipa para esta época pode e deve passar pela manutenção, tentando angariar alguns euros na Liga Europa para estabilizar o clube financeiramente e poder, daqui a uns anos, quem sabe, fazer outro brilharete.

Anúncio Publicitário

 

Costinha, treinador do Paços de Ferreira. Fonte: www.tvi.iol.pt
Costinha, treinador do Paços de Ferreira. Fonte: www.tvi.iol.pt

Sporting de Braga: De há uns anos para cá é considerado um ‘’grande’’, mas certo é que nunca o conseguiu provar objectivamente; apesar de conseguir ficar à frente dos ditos três grandes em algumas ocasiões, o Braga apenas conquistou uma Taça da Liga, e esta época mostra que o seu poderio tem vindo a decrescer.

A acrescentar a isto, a não presença na Liga dos Campeões implica um corte no orçamento, que se traduz em menos capacidade de pagar elevados salários e consequentemente perder jogadores importantes e não conseguir contratar outros que poderiam vir a ser importantes.

Ao perder com o Sporting e com o Nacional, o Braga perdeu posições na tabela classificativa e aparenta ter perdido também o apelido de ‘’grande’’ do futebol português.

Jesualdo Ferreira tem uma vida difícil e é muito pressionado por um presidente e adeptos exigentes. É outro caso de um treinador que pode ter uma herança pesada; ironia ou não, certo é que também a ajudou a construir.

Estoril Praia: Depois da impressionante subida à 1ª divisão e da excelente época conseguida que lhe valeu um lugar na Liga Europa, o Estoril apresenta-se para esta nova época com objetivos bem traçados eum lugar confortável na tabela, nunca desprezando a possibilidade de ascender a lugares que deem acesso a competições europeias.

Com Marco Silva no leme, o Estoril segue em 6º lugar, com 11 pontos, a oito do líder Porto, mas já jogou com quatro dos cinco primeiros classificados, Porto (empate), Braga (derrota), Benfica (derrota) e Nacional (vitória).

Marco Silva, treinador do Estoril Praia. Fonte: www.record.xl.pt
Marco Silva, treinador do Estoril Praia. Fonte: www.record.xl.pt

Rio Ave: Uma das principais surpresas da época passada, ficou a apenas três pontos de conquistar um lugar no play-off da Liga Europa e parte para a época 2013/2014 com o mesmo objetivo de sempre: a manutenção. Com orçamento reduzido, como a maioria dos clubes da 1ª divisão, o Rio Ave apresentou bons reforços. Salin, Roderick e Júlio Alves foram os nomes mais sonantes que chegaram a Vila do Conde.

Até ao momento, o Rio Ave apresenta bons resultados, com dez pontos em sete jogos. Nuno Espirito Santo é um treinador certamente satisfeito com o desempenho dos seus atletas.

Nacional da Madeira: A equipa madeirense é uma crónica candidata à presença nas competições europeias, nomeadamente a Liga Europa. O ano passado falhou redondamente esse objetivo.

Manuel Machado é o treinador da equipa madeirense e com 57 anos mostra que a ‘’velha guarda’’ dos treinadores portugueses sabe o que faz, a prova está à vista. Com sete jogos disputados no campeonato, o Nacional é 4º classificado, com 13 pontos, e a apenas seis do líder.

O objetivo da equipa mantém-se intacto de há algumas épocas para cá: conquistar um lugar na Liga Europa – e, com este bom começo, existe uma boa probabilidade de isso acontecer.

Manuel Machado, treinador do Nacional da Madeira. Fonte: irredutivelmaritimo1910.blogspot.com
Manuel Machado, treinador do Nacional da Madeira. Fonte: irredutivelmaritimo1910.blogspot.com

Para a semana serão tratados os seguintes e restantes clubes: Vitória de Guimarães, Marítimo, Académica, Vitória de Setúbal, Gil Vicente, Olhanense, Belenenses e Arouca.