futebol nacional cabeçalho

Uma visão leonina

Confesso que ainda estou algo perplexo. A confirmar-se que Jorge Jesus vai ser treinador do Sporting Clube de Portugal – e parece mesmo que sim – é uma jogada de mestre por parte de Bruno de Carvalho. Afinal de contas, e é bom que todos se apercebam disto, ainda na segunda-feira, nos festejos da conquista da Taça de Portugal, na Câmara de Lisboa, muitos dos adeptos do Sporting gritavam efusivamente o nome de Marco Silva. Ora bem, a contratação de Jorge Jesus muda completamente o cenário; não tenho grandes duvidas de que por esta altura a nação leonina está em jubilo total. Afinal de contas, Bruno de Carvalho acaba de “roubar” um treinador que conseguiu ser bicampeão nacional pelo eterno rival, o que já não acontecia há 31 anos.

jorge jesus
Várias fontes indicam que Jorge Jesus (na imagem) irá assinar pelo Sporting por 3 épocas.
Fonte: Facebook Oficial Sport Lisboa e Benfica

O Sporting Clube de Portugal é um clube de princípios e, tendo isto em conta, resta saber em que condições e com que promessas o treinador português aceitou assinar pelo equipa leonina. Terá Jesus aceitado treinar o Sporting com o compromisso de aproveitar a academia de Alcochete? Ou, pelo contrario, terá o presidente Bruno de Carvalho prometido mundos e fundos a Jorge Jesus?

Nesta altura poucos terão pensado nisto, mas, e Marco Silva? É bom recordar que o antigo treinador do Estoril ainda é treinador do Sporting e tem um contrato de 3 anos por cumprir; em que condições sai o atual treinador leonino? Terá o Sporting que pagar mais uma vez para despedir um treinador?

Anúncio Publicitário

No entanto, todas as questões que acabei de referir em nada invalidam a genialidade deste trunfo que Bruno de Carvalho acabou de jogar. Sejamos sinceros, mesmo que não se verifique a aposta na formação; mesmo que o Sporting pague uma indeminização bastante alta a Marco Silva; mesmo que o Sporting aumente o seu orçamento para transferências e pague uma fortuna a Jorge Jesus, caso o Sporting se sagre campeão nacional na próxima temporada, nada disto interessará para a massa adepta leonina. Em suma, o Sporting ganha em duas frentes: fica mais forte e enfraquece o eterno rival.

Como adepto do Sporting, e ainda a tentar assimilar todas estas informações, espero apenas que Bruno de Carvalho saiba o que está a fazer e, sobretudo, que esteja a pensar como presidente do Sporting Clube de Portugal e não como adepto de uma das claques de apoio.

Uma visão Benfiquista

Jorge Jesus no Sporting. A ser verdade, é uma das, senão “A” bomba do futebol português do século XXI. É sabido que “JJ” é sportinguista, mas não cabe na cabeça de ninguém ver o treinador que deu o bicampeonato ao Benfica partir para o rival da segunda circular na época imediatamente a seguir ao feito. Caso se confirme a notícia, lá terá de caber.

Posto isto, que será do Benfica?

É importante que isto fique explícito: já existia Sport Lisboa e Benfica antes de Jesus. Apesar de a saída do treinador oriundo da Amadora parecer um duro golpe, o clube continua e terá de se reorganizar de acordo com essa realidade. O homem que tem sido apontado como o escolhido para liderar as águias a novas alturas é Rui Vitória, actual treinador do Vitória de Guimarães.

À partida, parece que não colmata na perfeição a saída de Jesus do comando técnico do Benfica. No entanto, Vitória tem tido um percurso bastante interessante no Guimarães. Desengane-se o leitor que pensa que aquilo que direi a seguir é em jeito de afronta, mas, ao comando do Guimarães, e no que toca a palmarés, Rui Vitória tem tantos títulos quanto o Sporting nos últimos anos. E, porque o fez com o Guimarães, não com o Sporting, só pode ser um indicador positivo.

Rui Vitória é perfeito para o plano de Vieira no que toca ao futuro do Benfica, que é, diga-se, o único que realmente faz sentido, tendo em conta a conjuntura económica do clube. Para além de ter a experiência de trabalhar com poucos recursos e de ter potenciado alguns jovens jogadores (Hernâni, Ricardo Pereira e André André são bons exemplos), Rui Vitória já conhece os cantos à casa, dos tempos em que foi treinador de juniores dos encarnados.

rui vitória
Caso seja escolhido, Rui Vitória (na foto) será uma boa opção para comandar os encarnados ao “Tri”
Fonte: Facebook Oficial Vitória Sport Clube

A pressão de suceder a Jesus será intensa, é certo. “JJ” pegou num Benfica sem cultura vencedora e, em seis anos, fê-lo vencer 3 campeonatos, 1 Taça de Portugal, 5 Taças da Liga e 1 Supertaça. Isto, para não falar das duas finais europeias em que o Benfica marcou presença. O palmarés recente do Glorioso é imponente – mas Rui Vitória terá muito por onde pegar. Vitória terá o privilégio de tomar as rédeas de um Benfica “à Benfica”, com duas excelentes referências no balneário – Luisão e Maxi Pereira -, que farão de tudo para que a equipa não se esqueça da sensação de ganhar. Esses tempos, diga-se, já lá vão.

Quanto a Jesus, esse não terá vida fácil em Alvalade. A pressão de se mudar para o rival directo do Benfica vai, certamente, fazer-se sentir. E mais: Jorge Jesus é conhecido por gostar de ter total envolvimento e controlo das equipas que comanda. À partida isso ser-lhe-á concedido por Bruno de Carvalho, mas veremos se assim continuará a ser se a dada altura a situação ficar mais negra.

Enquanto benfiquista, tenho o máximo de respeito pelo “Mister” Jesus. Mas, agora, o meu mister será outro. E é com esse que todos nós temos de contar. O Benfica há-de continuar a somar e a seguir. Que o Tricampeonato do Benfica se escreva com Vitória.

Autores: Duarte Pereira da Silva (Sporting) e Gonçalo Caseiro (Benfica)

Foto de Capa: Facebook Oficial Sport Lisboa e Benfica

Comentários