O palco de todos os sonhos faz, nada mais nada menos, do que 15 anos. 15 anos de histórias, de conquistas, de feitos. 15 anos de aplausos, gritos de golo mas também de nervos. Depois dos 125 anos do clube, amanhã é dia dos 15 anos do Estádio do Dragão e todos os que por lá passaram são já uma parte importante dele.

21 de agosto de 2005. Arrancava a época 2005/2006, o FC Porto recebia o Estrela da Amadora e eu entrava no Dragão pela primeira vez. Começou aí a minha ligação, mas a história do recinto recua até 16 de novembro de 2003, poucos meses antes do arranque do Euro 2004. O conforto, a modernidade, a funcionalidade e até a segurança são pontos que todos já conhecemos e dos quais ouvimos falar associados ao “nosso” estádio, mas a verdade é que mais do que números e características, este é um estádio feito de histórias.

Depois de receber o FC Barcelona na inauguração e de acolher a estreia de Leo Messi, o Estádio do Dragão presenciou também um dos melhores golos da carreira de Cristiano Ronaldo. Não foi uma noite feliz para o FC Porto, que depois do empate a dois na deslocação a Old Trafford viu aquele que viria a ser o melhor do mundo fazer um golo “do outro mundo” e deitar por terra as aspirações de uma passagem às meias. Quem lá estava não vai com certeza esquecer esse golo, assim como quem o viu em casa. Também Cristiano Ronaldo não esquecerá e vai sempre associar o Dragão a um dos seus melhores momentos pessoais.

Também a nível europeu, dificilmente será esquecido um dos capítulos do David a vencer o Golias. Contra todas as expetativas, o FC Porto derrotou por 3-1 o Bayern de Munique e permitiu aos adeptos mais duas semanas de um sonho que acabou por terminar com uma pesada derrota. Mas enquanto aquela noite durou, o Dragão presenciou um momento de união e entusiasmo com mais de 50.000 pessoas em êxtase.

Anúncio Publicitário
Conceição está também de parabéns
Fonte: FC Porto

Mas não é apenas o Estádio do Dragão que está de parabéns. Hoje, Sérgio Conceição comemora também mais um aniversário e a união entre os dois, depois de Sérgio enquanto jogador, está novamente no auge. Depois de quatro anos sem conquistas, Conceição voltou a colocar o dragão ao peito e devolveu a equipa aos campeonatos. No último jogo caseiro da época passada, o FC Porto recebeu o Feirense numa festa já assegurada e o estádio encheu para celebrar o novo título.

A história do Dragão e de Conceição cruzou-se na época 2003/2004 e, hoje, ambos seguem de mão dada e são símbolos do atual FC Porto. Hoje, em dia de aniversário do treinador e amanhã, no aniversário do estádio, os portistas permitir-se-ão continuar a sonhar com o futuro, com as novas conquistas que estão por chegar, com mais momentos de emoção a serem celebrados em conjunto, numa casa que desde novembro de 2003 nos acolhe a todos. Não só a 50.000, mas a todos os portistas.

Foto de Capa: FC Porto

Artigo revisto por: Jorge Neves