Todos os dias há novos capítulos na novela que é a passagem às meias-finais da Taça da Liga do Porto. Hoje foi a vez de Fernando ter de prestar declarações à Federação Portuguesa de Futebol acerca do motivo do atraso por parte das duas equipas ao intervalo.
O caso em si reflete a falta de rigor e prestígio de uma competição como é a Taça da Liga. Desde o início que a Taça da Liga tem sido ignorada e muitas vezes descreditada por todos os clubes que competem. Esta afirmação aplica-se, sobretudo, aos grandes clubes, para os quais a compensação monetária ou até mesmo o prestígio são extremamente diminutos. Temos, porém, na história recente clubes que viram a época ser salva com a conquista da Taça da Liga…
A questão que está em causa é os cerca de cinco minutos de atraso que se verificaram, no intervalo, no jogo entre o Porto e o Marítimo. Supostamente, ambos os jogos do grupo – sendo o outro entre Sporting e Penafiel – deviam ter início e fim ao mesmo tempo. A questão que fez deste simples atraso um carnaval de acusações e suposições por parte de muitos adeptos ligados, na maioria, ao Sporting, deve-se ao facto de nesses cinco minutos se ter decidido quem passava às meias-finais. Quando terminou o jogo do Sporting, a equipa de Leonardo Jardim estava apurada para as meias-finais. No entanto, no Dragão, o Porto continuava à procura de um golo da reviravolta que lhe desse passagem. No tempo de descontos do Porto-Marítimo, já com o Sporting no balneário, Josué marca, de grande penalidade, o golo que dá a passagem à próxima fase.

O troféu da Taça da Liga que será atribuído ao vencedor Fonte: Record
O troféu da Taça da Liga que será atribuído ao vencedor
Fonte: Record

De imediato, o presidente Bruno de Carvalho, em declarações aos jornalistas, deu a entender que tinham existido razões misteriosas (ilícitas) que haviam ditado a eliminação do Sporting. A quente, aquelas declarações não podiam ter sido bem recebidas. A FPF instaurou um inquérito e chegou até a adiar o jogo das meias-finais entre Benfica e Porto até esta trapalhada ser resolvida. O Futebol Clube do Porto retorquiu que o atraso se deveu a lesão de Fernando. Em cima da mesa estão duas opções: uma multa aplicada ao porto, que é o cenário mais ligeiro, e a possível atribuição de derrota, que coloca o Sporting nas meias-finais.
Personalidades ligadas ao Porto já disseram que preferem a multa. No entanto, não devia haver lugar para preferências nesta situação. O Porto, como já afirmou e está no processo de provar, não se atrasou propositadamente. Como tal, a única preferência deve ser o apuramento da verdade e a disputa, por parte do Porto, das meias-finais com o Benfica. Todos os dias, jogadores do Marítimo e Porto são chamados a prestar declarações de modo a apurar a verdade. Hoje, Antero Henrique, membro da direção portista, veio a Lisboa defender, perante a Federação, a legitimidade do atraso do Porto. O processo está aberto e a ser investigado.

Antero Henrique dirigiu-se hoje à Lisboa para prestar declarações à FPF  Fonte: Reflexão Portista
Antero Henrique dirigiu-se hoje à Lisboa para prestar declarações à FPF
Fonte: Reflexão Portista

Até se chegarem a conclusões finais que ditem uma medida de acção, qualquer acusação de manipulação, má vontade ou até mesmo corrupção deve ser evitada. São já várias as pressuposições de que este atraso se deve a uma jogada combinada entre Pinto da Costa e a equipa de arbitragem para beneficiar o Porto, ou que o atraso foi planeado para o Porto ter a certeza do resultado do Sporting de modo a modificar o seu. Todas estas pressuposições que se foram ouvindo desde o início desta marosca são posições baseadas na má fé, sem qualquer tipo de prova ou até mesmo sentido, por vezes.
Situações como estas enfraquecem o já débil estatuto da Taça da Liga. Uma competição sem grande prestígio que está em foco pelas piores razões. Sinceramente, a cada ano que passa tenho menos e menos vontade de assistir ou até de ver o meu Porto participar. Porém, gostaria de ver o Porto erguer o troféu uma vez… Nem que fosse para pôr no palmarés.

Comentários