A lesão de Marega e a sua respetiva recuperação têm sido um assunto amplamente discutido no panorama do Futebol Português na última semana. Moussa Marega sofreu uma rotura muscular no confronto diante o Vitoria SC, no dia 3 de Fevereiro, e o prognóstico era muito preocupante podendo o internacional maliano estar ausente da competição durante dois meses.

Foi então que o departamento médico azul e branco decidiu recorrer aos serviços de Eduardo Santos, conhecido no mundo futebolístico por “Dr. Milagre”. Os seus tratamentos costumam resultar numa redução do tempo de paragem de forma significativa. Falcão, Hulk, Quaresma, Mangala, David Luiz, Moussa Dembélé e Wilfried Bony são alguns jogadores que já passaram pelas mãos do brasileiro.

Eduardo Santos trabalha no departamento médico do Shanghai SIPG, equipa orientada pelo ex treinador portista Vítor Pereira, o que facilitou todo o processo que foi acompanhado por Nelson Puga – diretor clínico do FC Porto.

É certo que Marega ainda não foi utilizado mas, na última partida diante o SC Braga, já esteve no banco dos suplentes, pronto para jogar caso o treinador portista assim entendesse. Após 23 dias de ter sofrido a lesão, Marega está pronto a competir e, não surgindo qualquer recaída, pode-se mesmo dizer que Eduardo Santos faz milagres. Acredito que, na próxima partida diante o SL Benfica, já possamos ver Marega em ação pelo menos alguns minutos. Penso que o principal objetivo é ter Marega a 100% no confronto diante a AS Roma.

Marega é preponderante neste FC Porto
Fonte: FC Porto

É verdade que a resposta dada pela equipa na ausência de Marega foi excelente, e outros jogadores como Fernando Andrade ou Adrián mostraram ser opções muito válidas. Sérgio Conceição foi extremamente inteligente e, não tendo Marega e o ataque à profundidade que ele permite, mudou um pouco o registo tático do FC Porto.

Explorou mais o jogo interior, controlou melhor os ritmos de jogo, desgastou os adversários com posse, tornando a equipa mais “Guardiola” com um  tik-tak constante entre os “baixinhos” tecnicamente muito evoluídos que tomaram conta da batuta. Jogar com Óliver, Herrera, Corona e Otávio muito próximos no corredor central e dando largura com Telles e Manafá, permitiu ao FC Porto duas magníficas exibições nas últimas partidas e faz pensar que este FC Porto não precisa de estar tão depende da profundidade que Marega oferece.

Mais uma vez este plantel mostrou ter profundidade e soluções mais que suficientes para atacar todas as frentes. E Sérgio Conceição mostrou mais uma vez toda a sua qualidade encontrando sempre soluções para todas as adversidades.

Foto de Capa: FC Porto

artigo revisto por: Ana Ferreira

Comentários