Antes do Clássico, há que passar no Fontelo

Terça-feira de Taça trará até Viseu um dos grandes do futebol português: o FC Porto. Após um desfecho negativo na outra taça nacional, a turma de Sérgio Conceição vê nesta competição a oportunidade de amenizar uma hipotética (e bem possível) perda do campeonato para o maior rival.

E, por falar em maior rival, o clássico do próximo sábado é um dos temas quentes dentro do universo azul e branco, remetendo quase que para segundo plano esta partida da prova rainha.

UMA SURPRESA EM VISEU DÁ DIREITO A ODD’S ALTÍSSIMAS. VITÓRIA DO ACADÉMICO VISEU A 9.25 E EMPATE A 5.15. EM QUEM APOSTAS?

Anúncio Publicitário

Pelo contrário, ninguém estará mais focado que a equipa da casa. Com dois dias de “descanso” a mais, a formação viseense vai a jogo após uma derrota em Coimbra, derrota essa que impediu a aproximação da equipa treinada por Rui Borges às posições mais cimeiras da tabela. Todavia, em nada este percalço deverá afetar aquela que será a abordagem do Académico a este jogo, uma vez que uma hipotética ida ao Jamor seria, sem qualquer dúvida, o ponto alto da época para esta equipa do segundo escalão.

Indiscutivelmente, um jogo onde um tem tudo a perder, enquanto que o outro só tem a ganhar. Um verdadeiro David contra Golias, onde o facto da eliminatória ser disputada a duas mãos complica ainda mais a já difícil tarefa de David.

COMO JOGARÁ O ACADÉMICO DE VISEU FC?

Tradicionalmente, o Académico opta por apresentar-se em 4-4-2, contudo é possível que ocorram variações no momento ofensivo. Não é uma equipa conhecida, particularmente, pela sua capacidade de finalização (o facto de possuírem o terceiro pior registo ofensivo na Segunda Liga demonstra-o), contudo, em termos defensivos, não costuma facilitar a vida aos adversários. É comum que os laterais participem na construção ofensiva da equipa, contudo, dado a natureza do desafio, é expectável que as linhas média e defensiva se encontrem mais baixas e compactas, impedindo tais liberdades aos homens mais recuados.

JOGADOR A TER EM CONTA

Fonte: Académico de Viseu FC

Félix Mathaus – Do lado da equipa da casa, espera-se um jogo atarefado, sobretudo no aspeto defensivo do jogo. Tendo isso em mente, será obrigatório, de modo a manter as esperanças dos beirões intactas, que o setor mais recuado se mostre a um nível elevado. E, nesse sentido, Félix Mathaus poderá ser uma peça importante, não só pelas recentes boas exibições, como também pelo sucesso da dupla formada com o experiente Pica, no centro da defesa, responsável por três clean sheets nos últimos cinco jogos.

XI PROVÁVEL:

4-4-2: Ricardo Fernandes; Rui Silva, Pica, Félix Mathaus, Jorge Miguel; Bruninho, Zimbabwe, João Oliveira, Jean Patric; Latyr Fall, João Mário

COMO JOGARÁ O FC PORTO?

Apesar de estar a meio de uma sequência apertada de jogos, acredito que Sérgio Conceição optará por não fazer mudanças radicais no onze inicial dos visitantes, até pela falta de opções no seu plantel para efetuar essa tal rotatividade. O desenho tático poderá, todavia, variar: o técnico portista pode optar por alinhar com dois atacantes, num 4-4-2 semelhante àquele utilizado por várias ocasiões recentemente, ou então por alinhar apenas com um ponta de lança, assim como em Setúbal, deixando um jogador mais criativo atrás deste.

JOGADOR A TER EM CONTA

Fonte: Diogo Cardoso/Bola na Rede

Tiquinho Soares – Caso Sérgio Conceição opte pela inclusão do atacante brasileiro no onze inicial, Soares será um dos homens mais vigiados pela defesa do Académico, não fosse o registo impressionante de doze golos nos últimos doze jogos a titular motivo suficiente para deixar Rui Borges de sobreaviso.

XI PROVÁVEL:

4-4-2: Diogo Costa; Manafá, Mbemba, Diogo Leite, Alex Telles; Otávio, Matheus Uribe, Sérgio Oliveira, Corona; Marega, Soares

Foto de Capa: Diogo Cardoso/Bola na Rede

Artigo revisto por Joana Mendes

Comentários