Matheus Uribe, jogador do FC Porto, chegou no mês de Agosto aos dragões para suprir uma das várias vagas deixadas em aberto que o plantel portista tinha no setor do meio campo. A estreia com a camisola do clube da invicta foi a meio da partida com FK Krasnodar, na segunda mão da terceira pré-eliminatória da Liga dos Campeões, que acabou por ditar o afastamento do emblema português da competição. Desta forma, com a lesão de Sérgio Oliveira, o médio internacional colombiano não teve problemas em afirmar-se no onze de Sérgio Conceição e tornar-se num dos esteios da equipa lusa.

O futebolista não parece ter tido problemas na sua adaptação e as suas exibições têm sido sempre bem apreciadas junto da opinião pública, ou seja, comentadores, analistas e adeptos. A forma como conseguiu impor o seu futebol na equipa foi impressionante, dando uma grande competência tática ao FC Porto. Além disso, conseguiu formar uma boa dupla com Danilo. Juntos pareciam formar uma parelha intransponível. Porém, o início de sonho que o jogador estava a viver acabou antes do jogo contra o Boavista FC, a contar para a Liga Nos.

E acabou porquê? O motivo para o seu súbito desaparecimento foi devido a uma festa para celebrar os anos da sua mulher, que violou algumas regras do regulamento interno do FC Porto, visto que não só Uribe, mas como também outros jogadores prolongaram a sua noite além das normas emanadas no código disciplinar do clube. Por sua vez, as altas patentes dos dragões, juntamente com Sérgio Conceição, decidiram afastar os atletas do “derby portuense”, de modo a castigar os jogadores pelo sucedido.

A partir desse dia, Uribe nunca mais somou nenhum minuto pela camisola azul e branca e tem-se mantido afastado dos relvados pela formação pela qual tem contrato. Todavia, a razão também não será só a festa dada em sua casa, mas mais uns fatores que são precisos ter em conta, isto é, o “aparecimento” de Loum, a postura rígida do treinador e agora o regresso de Sérgio Oliveira.

Uribe começou bem a temporada mas a festa da sua esposa criou um mal-estar com Sérgio Conceição
Fonte: FC Porto

Em primeiro lugar, quem substituiu o colombiano na partida no Estádio do Bessa foi o seu colega senegalês, Loum, que desde então tem-se apresentado a um bom nível, uma vez que a sua afirmação tem sido plena e o jogador tem ganho a confiança do seu técnico. As suas prestações não têm mentido e o ex-SC Braga até já se estreou a marcar pelo FC Porto.

O segundo motivo é a compostura rígida de Sérgio Conceição, que não gosta de facilidades, nem de dar abébias a nenhum jogador, seja qual for o seu estatuto ou reputação. Aconteceu com Éder Militão, na temporada passada, e aconteceu agora com os futebolistas apanhados na tal festa da mulher de Uribe. Quem não se lembra do afastamento de Casillas por uma alegada descomplacência nos treinos? Todas estas situações provam que Sérgio não olha a nomes e exige de todos os integrantes da sua equipa o mesmo compromisso e dedicação dos demais. Agora, cabe ao reforço dos azuis e brancos conseguir alterar o rumo das coisas e voltar a ocupar um lugar que já foi seu.

Por último, há mais um acréscimo à lista, que é o regresso de lesão de Sérgio Oliveira, que voltou à competição no desafio contra o FC Paços de Ferreira e agora é mais uma opção às ordens do clube da invicta. Toda a gente sabe da admiração que o treinador portista tem pelo internacional português, que certamente quererá também lutar por um lugar no onze do FC Porto. Com este regresso, a luta por um lugar ao lado de Danilo será mais feroz e competitiva e Uribe terá agora de provar o seu verdadeiro valor e justificar perante todos que está 100% comprometido com os dragões.

Foto de Capa: Diogo Cardoso/ BnR

Artigo revisto por Diogo Teixeira

Comentários