O mercado de transferências 2019/2020 marca uma viragem no FC Porto, sendo, assim, o mais significativo dos últimos anos. O FC Porto, depois de vários anos a tentar fazer contratações precisas para colmatar as falhas em algumas posições, também condicionado pelas restrições do mecanismo de fair-play da UEFA, vê-se obrigado, neste desfecho, a investir de uma forma mais profunda na contratação de novos jogadores para o plantel azul e branco, face às (prováveis) saídas de vários jogadores da atual equipa.

Só no dia de hoje, 30 de junho, expiram contratos de seis jogadores: Héctor Herrera, Yacine Brahimi, Adrián López, Maxi Pereira, Fabiano e Hernâni. Além destes, estão já consumadas as saídas dos dois centrais titulares na primeira metade da época 2018/2019: Felipe, vendido ao Atlético de Madrid por 20 milhões de euros e Éder Militão, vendido ao Real Madrid por 50 milhões de euros.

De saída estão ainda, ao que se pode apurar de acordo com a comunicação social portuguesa e estrangeira, o guarda-redes Iker Casillas, devido ao problema cardíaco detetado no final da época passada, Moussa Marega, pretendido na Premier League, sendo o principal pretendente o West Ham, e Tiquinho Soares, que parece ter propostas provenientes da China.

Vendo, então, num panorama geral, o FC Porto perderá, à partida, sete titulares, restando apenas Danilo Pereira, Corona, Alex Telles e Pepe, embora este último não esteja apto no início da temporada que se avizinha devido a uma lesão no ombro, contraída na meia-final da Liga das Nações.

Brahimi é um dos jogadores que termina hoje o contrato com o FC Porto
Fonte: FC Porto

Assim sendo, vou traçar um esboço do que poderão ser as opções de Sérgio Conceição para 2019/2020:

Para a baliza portista tem sido apontado Greif, um gigante eslovaco de 22 anos com 1,97 metros, titular do Slovan Bratislava, da Eslováquia. Além deste eslovaco, os dragões contam com Vaná, Diogo Costa e João Costa, que esteve emprestado ao Cartagena, da segunda divisão espanhola.

Para fortalecer a defesa portista foi contratado Renzo Saravia, lateral direito de 26 anos, internacional pela Argentina, que poderá lutar com Manafá pela posição. Além deste reforço, a imprensa nacional afirmou que o FC Porto está atento a Marcano, que saiu o ano passado para a Roma, mas que não teve um ano fácil em Itália e pode voltar à Invicta, caso Paulo Fonseca (treinador atual da Roma) dispense o espanhol. Há também Diogo Leite e Diogo Queirós, “reforços” vindos da formação que vão lutar por um lugar na equipa principal dos dragões, em que Pepe e Alex Telles deverão ser titulares absolutos. Não esquecer Mbemba, que terá a hipótese de lutar também pelo lugar a titular que lhe fugiu na última época.

No meio-campo, poderá ser o ano de afirmação de Óliver Torres, que, com a saída de Herrera e moldado “à moda” de Conceição, terá, à partida, mais preponderância que nas épocas anteriores. Danilo manter-se-à,ao que tudo indica, como titular nos azuis e brancos e o FC Porto tem ainda o regressado Sérgio Oliveira, Otávio, Loum e Bruno Costa como opções para o setor intermédio.

Para o último terço do terreno, há o regresso de Galeno, a possibilidade da contratação de Nakajima, ex-jogador do Portimonense, e/ou Roger Guedes, que atua no Shandong Luneng, da China,ou ainda Pavón, do Boca Juniors, para o lado esquerdo da ofensiva portista, há Corona para o lado direito do ataque e Aboubakar, Fernando Andrade, Marius, André Pereira e a possibilidade de contratação de Zé Luís, avançado cabo-verdiano do Spartak de Moscovo para o eixo ofensivo da equipa da Invicta.

Fazendo uma análise geral, o FC Porto, versão 2019/2020, em relação à época transata, terá menos experiência, mas mais jovens talentos na baliza; uma defesa aguerrida com jogadores que sabem o que é o FC Porto, casos de Pepe, Alex Telles, os “Diogos”, eventualmente Marcano se se confirmar; um meio-campo menos físico, mas mais técnico, com a saída de Herrera mas a provável afirmação de Óliver Torres na posição do mexicano; uma frente de ataque possante, à imagem de Sérgio Conceição, mas muito incerta, face às várias possibilidades de entradas e saídas neste setor.

Foto de Capa: FC Porto

artigo revisto por: Ana Ferreira

Comentários