fc porto cabeçalho

Confesso que sou dos portistas que consideram que o campeonato já não é uma realidade para o FC Porto. Nem o golo de Kelvin consegue provocar-me alguma expectativa e otimismo para o que resta do campeonato. Isso diz muito sobre a qualidade de jogo que os Dragões apresentam. Ao que tudo indica, Pinto da Costa será novamente o eleito para presidir e dignificar a imagem do clube e, na minha opinião, os olhos da SAD devem estar postos no Jamor e no campeonato da próxima época porque se falhar pelo 4.º ano consecutivo será algo muito mau e incomum na história recente do clube.

Para que o sucesso regresse à Invicta, é necessário que haja uma gestão mais pensada do que nos últimos anos. Os adeptos têm visto chegar ao clube jogadores pobres em qualidade e em espírito e isso reflete-se na tabela classificativa. É urgente a chegada de dois centrais que entendam o que é o campeonato português, consigam interiorizar o que é jogar no FC Porto e, acima de tudo, tenham qualidade. Não é necessário que sejam centrais da casa ou que tenham tanta raça como Jorge Costa ou Bruno Alves. Quem não se recorda de centrais como Otamendi e Mangala? Jogadores que não são da casa mas que apresentaram uma consistência e uma qualidade acima da média na zona mais recuada do terreno? Já na baliza não há qualquer problema. Iker e Helton são bem capazes de dar conta do recado durante a próxima época mas é essencial que a SAD tenha em mente o desenvolvimento de algum jovem guarda-redes com qualidade, como Gudiño ou José Sá.

Já no miolo, os Dragões têm muito talento. Mesmo que um dos jogadores do meio campo da equipa azul-e-branca saia durante o Verão, o plantel continua rico em soluções. Apesar dessa abundância, o plantel sentiu a saída de Oliver e é urgente que venha um médio criativo capaz de solucionar qualquer entrave que o meio-campo apresente na fase de construção de jogo e no último passe.

Brahimi e Corona pode ser peças chaves no ao título Fonte: FC Porto
Brahimi e Corona pode ser peças chaves no ao título
Fonte: FC Porto

Desde que José Peseiro chegou ao FC Porto, a equipa soube produzir e marcar mais. O tridente atacante do FC Porto não é mau de todo: Brahimi e Corona têm qualidade, mas Aboubakar não tem mostrado que tenha faro para ser um goleador como Falcão ou Jackson. É crucial que venha mais um sul-americano que faça os adeptos vibrar e sonhar com a sua veia goleadora como já tantos o fizeram.

Anúncio Publicitário

Outra situação a resolver no plantel é o banco. Nenhum portista consegue explicar a saída de Quaresma e a entrada de Varela e muito menos as contratações de Marega e Suk. É disto que é feito o banco do FC Porto. Um banco de fraca qualidade e que oferece poucas soluções para o ataque e para a defesa. É crucial que a SAD saiba equilibrar a balança e consiga formar uma equipa competitiva como fez no ano passado.

Ao contrário do que muitos dizem, o FC Porto não tem o plantel mais forte do campeonato e isso deve-se à péssima gestão que tem vindo a ser feita. O próximo mandato de Pinto da Costa tem que fazer esquecer este último ou é tempo de dar lugar a novas ideias.

Foto de capa: FC Porto