cabeçalho fc porto

O mundo desportivo, em especial o do futebol, tem diversos momentos que transcendem a emotividade para começar a cair no ridículo. Durante a época desportiva, tudo serve para desculpar os insucessos de várias equipas desportivas. Os árbitros, a má forma, os maus treinadores… Findo o tempo competitivo, chega a tão afamada “silly season”, onde os três grandes de Portugal chegam a estar interessados em meia Europa. Assim se vai alimentando a especulação, assim se vão vendendo jornais. Nesta altura, se pudéssemos quantificar a credibilidade dos jornais desportivos, um valor abaixo de zero talvez fosse o mais apropriado.

Mas essa não é a razão de cá estarmos hoje. Hoje quero falar-vos das divas do futebol que chegaram ao FC Porto. Já ninguém pensa na qualidade deste ou daquele jogador. Se o jogador é bom, se tem boa técnica, se tem intensidade, se é profissional… Agora é diferente. Agora, quando começar a nova época competitiva, os adeptos vão comprar bilhetes para ver os jogadores a desfilar, qual ModaPorto. Ora, parece que o último grito da moda chegou ao Estádio do Dragão. Um equipamento castanho, cor de cacau, afirma o clube.

Cor de cacau… da terra, do trabalho, do esforço. Fonte: Facebook FC Porto
Cor de cacau… da terra, do trabalho, do esforço.
Fonte: Facebook FC Porto

O novo equipamento tem sido alvo da mais diversa chacota e de várias críticas, tanto nacionais como internacionais. É feio, é um dos piores de sempre, ouve-se. Mas que bela estratégia de marketing para a New Balance, já viram? A época ainda não começou e já falam de nós por esse mundo fora. Faz lembrar uma famosa frase que diz: “não me interessa se falam bem ou mal de mim. Interessa-me que falem”.

Eu gosto mais de olhar para a camisola como algo arrojado. Nem bem nem mal. Pessoalmente, não me agrada. Mas… e então? Vou dizer-vos uma coisa que talvez não saibam. Nenhum dos equipamentos do FC Porto, este ano, é bonito. E escrevo isto a poucos dias da revelação do terceiro equipamento. Nenhum deles é bonito. Nem mesmo os do ano passado foram bonitos. Há duas coisas que fazem com que um equipamento seja apetecível. Em primeiro lugar, tem de ostentar o escudo de campeão. Depois? Tem de valer conquistas. Sem conquistas não há equipamento que valha a pena. No final da próxima época poderemos dizer se o equipamento é bonito ou não. Ou melhor… memorável?

Anúncio Publicitário
Bonito? Só com isto. Fonte: mundododesporto
Bonito? Só com isto.
Fonte: mundododesporto

PS: Na última quinta-feira não consegui escrever a minha crónica semanal devido a alguns imprevistos de última hora. No entanto, quero deixar aqui aquilo que serviria de mote para mais um dos meus textos de opinião.

No jornal A Bola do passado dia 18 de junho podem ler-se alguns comentários de Helton à tão comentada perda da mística. Passo a citar: “Quem tem de decidir se se mantém a mística não são os jogadores. Aprendi a ser portista, a gostar e a defender o clube. Se conquistei alguma coisa foi com o que aprendi com os outros. Penso que não só eu, mas todos temos de ter humildade. A pessoa tem de ser humilde para perguntar quando não sabe. Independentemente da área, quem chega tem de perguntar, talvez seja por isso que se sinta essa falta de mística. É só por isso…”

Foto de capa: Facebook FC Porto