José Marcelo Januário de Araújo, mais conhecido no mundo do futebol por Esquerdinha, faleceu na passada quarta-feira vítima de um enfarte fulminante, após um jogo de futebol com amigos em Paraíba.

O ex-futebolista tinha apenas 46 anos e ao longo da sua carreira representou o Botafogo, Corinthians, Bahia, Fluminense e Vitória antes de ter chegado a Portugal em 1999 para representar o FC Porto.

Esquerdinha venceu pelos dragões o famoso pentacampeonato, uma supertaça e duas Taças de Portugal, disputando no total 87 partidas e marcando 9 golos.

Esquerdinha foi pentacampeão pelos dragões
Fonte: FC Porto

Seguiu para os espanhóis do Zaragoza e pouco depois voltaria a Portugal em 2002/03 para representar a Académica de Coimbra. Porém as lesões impediram o seu regresso triunfante e apenas disputou três jogos pelos homens da Briosa.

Acabaria por voltar ao Brasil para representar o Góias e em 2007 terminou a carreira no Botafogo-PR.

Um enfarte num jogo de futebol amador retirou a vida deste jogador acarinhado pelos adeptos portistas e respeitado pelos adeptos de futebol. Descansa em paz Esquerdinha.

Foto de Capa: FC Porto

Artigo revisto por: Jorge Neves

Comentários

Artigo anteriorAlentejo no mapa do futsal português
Próximo artigoO estranho caso de Helton
O Nélson é estudante de Ciências da Comunicação. Jogou futebol de formação e chegou até a ter uma breve passagem pelos quadros do grande Futebol Clube do Porto. Foi através das longas palestras do seu pai sobre como posicionar-se dentro de campo que se interessou pela parte técnica e tática do desporto rei. Numa fase da sua vida, sonhou ser treinador de futebol e, apesar de ainda ter esse bichinho presente, a verdade é que não arriscou e preferiu focar-se no seu curso. Partilhando o gosto pelo futebol com o da escrita, tem agora a oportunidade de conciliar ambas as paixões e tentar alcançar o seu sonho de trabalhar profissionalmente como Jornalista Desportivo.                                                                                                                                                 O Nélson escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.