Anterior1 de 3Próximo

Depois da derrota sofrida frente ao Sporting CP nas grandes penalidades, o FC Porto regressou ao Estádio do Jamor, desta vez para defrontar o Belenenses SAD, em jogo a contar para a 13ª jornada da Liga Portuguesa.

Este é um campo tradicionalmente difícil para os dragões, sendo que o relvado não é um fator favorável ao espetáculo do futebol.

Apesar de não estarem a fazer um campeonato digno da sua história, os azuis – que agora têm a sua casa em Oeiras – vêm de uma importante vitória no reduto do CD Tondela.

Já a equipa azul e branca está num bom momento de forma, com a quinta vitória consecutiva. Recorde-se de que, recentemente, os dragões venceram o Casa Pia AC por três bolas a zero.

Anúncio Publicitário

O juiz da partida, João Pinheiro, apitou pela primeira vez, e começou a rolar a bola no mítico Estádio Nacional.

Os dragões começaram ativos na partida. Logo aos sete minutos, grande combinação no ataque portista e Otávio esteve perto de inaugurar o marcador.  O destaque vai para a grande visão de Zé Luís, que serviu da melhor forma o brasileiro.

Pouco tempo depois, foi Marega a deixar um grande aviso à defesa dos azuis. O avançado maliano ficou a reclamar grande penalidade, mas o juiz da partida mandou seguir a partida.

Era mais que evidente a entrada em “rolo compressor” do FC Porto, com dez ataques contra dois da equipa da casa. Mas, aos 13 minutos, caiu um verdadeiro balde de água fria para a equipa azul e branca. Grande golo de André Santos que inaugurou o marcador.

Não passou muito tempo e o Belenenses SAD voltou a criar perigo. Valeu Marchesín a defender o remate do ex- FC Porto Licá.

Os comandados de Sérgio Conceição chegaram mesmo a restabelecer a igualdade no marcador, mas João Pinheiro acabou por anular aquele que seria o segundo golo de Loum com a camisola azul e branca.

Aos 29 minutos, Marchesín voltou a ganhar o duelo a Licá com uma grande defesa.

Um minuto depois, o FC Porto beneficiou de uma grande penalidade que foi convertida com sucesso por Alex Telles. O brasileiro voltou a ser feliz na marca dos onze metros em pleno Estádio do Jamor.

No regresso dos jogadores ao balneário, o resultado ditava igualdade no marcador a um golo, o que não refletiu o domínio dos dragões, mas sim as oportunidades criadas por ambas as equipas.

Alex Telles foi o autor do tento que deu o empate à equipa azul e branca
Fonte: FC Porto

Com algum atraso da equipa da casa, iniciou-se a segunda parte do encontro, em que o Belenenses SAD entrou muito melhor do que no primeiro tempo.

Quando o relógio estava quase a dar uma hora de encontro, Licá esteve perto de criar perigo para os homens da casa, mas valeu ao FC Porto a má receção do jogador português.

Aos 65 minutos, grande passe de Otávio para Tecatito Corona, mas o passe do internacional mexicano morreu nas mãos de Koffi.

Sérgio Oliveira nem deixou os adeptos portistas respirarem, mas acabou por levar o individualismo demasiado a sério.

Os dragões estavam cada vez mais a crescer na partida e a encostar a equipa liderada por Pedro Ribeiro à sua área.

As bolas paradas estiveram quase a dar o segundo golo ao FC Porto, primeiro com um grande tiro de Sérgio Oliveira na cobrança de um livre direto, e depois com um “quase” canto olímpico.

Os últimos dez minutos foram de sofrimento total para ambas as equipas, com os dragões a sufocarem completamente o Belenenses SAD, que, por sua vez, ao cair do pano, estiveram perto de marcar o golo da vitória, após aproveitarem a subida de Marchesín.

Mas não houve tempo para mais, e os azuis impuseram o segundo empate para os comandados de Sérgio Conceição no campeonato. Este resultado acabou por espelhar as oportunidades criadas por ambas as equipas, pese embora o sufoco final da equipa azul e branca.

É, pois, hora de refletir e pensar nas próximas batalhas que se avizinham, sendo que uma coisa é certa: o FC Porto já não depende de si próprio na luta pelo título de Campeão Nacional.

ONZES INICIAIS E SUBSTITUIÇÕES:

Belenenses SAD: Koffi; Tiago Esgaio, Nuno Coelho, Tomás Ribeiro e Chima Akas; Show, André Santos (73 ’Hakim Ouro) e André Sousa; Licá (86’ Marco Matias) e Silvestre Varela; Mateo Cassierra (69’ Kikas).

FC Porto: Marchesín; Manafá (62’ Nakajima), Pepe, Marcano e Alex Telles; Otávio, Danilo, Loum (62 ’Sérgio Oliveira) e Tecatito Corona; Marega (81’ Soares) e Zé Luís.

Anterior1 de 3Próximo

Comentários

Artigo anteriorSporting CP 1-0 Moreirense FC: Resultado foi (muito) melhor que a exibição
Próximo artigoHiper Emoção
O João estuda jornalismo na Escola Superior de Comunicação Social. A sua grande paixão é sem dúvida o jornalismo desportivo, sendo que para ele tudo o que seja um bom jogo de futebol é bem-vindo. Pode-se dizer que esta sua paixão surgiu desde que começou a perceber que o mundo do futebol é muito mais que uma bola a passear na relva. Apesar de estar distante do clube do seu coração, procura ao máximo não perder nenhuma novidade da cidade invicta e do futebol em geral.                                                                                                                                                 O João escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.