Marko Grujic, o médio-defensivo de 25 anos que vestiu a camisola azul e branca na época passada, regressou a “casa” na passada terça-feira e, desta vez, veio para ficar. Enquanto que na temporada transacta o sérvio ingressara no FC Porto a título de empréstimo sem qualquer opção de compra, desta vez, existe uma cláusula de compra obrigatória, entre os 10 e os 12 milhões de euros.

Este é um verdadeiro reforço para os dragões, dada a escassez de opções que existiam para papéis mais defensivos no centro do terreno, não esquecendo da segurança que Marko proporcionou nos jogos em que participou.

O número 16 vem suprir uma lacuna que há muito não é preenchida – o papel de nº6, um médio mais recuado e com tarefas praticamente defensivas, participando na construção de jogo a partir de trás. Papel este que foi durante muito tempo cumprido por Danilo Pereira, que abandonara os azuis e brancos no mercado de verão na época passada e fez com que Grujic fosse o escolhido como seu substituto.

Tendo jogado Uribe e Sérgio Oliveira no meio campo praticamente a época toda (Uribe faz mais o papel de 8 do que de 6), seria natural vermos um FC Porto mais desfalcado a defender por faltar uma referência no meio campo que ajudasse a defesa a destruir o jogo do adversário e a construir o próprio jogo ofensivo. E isso, Grujic fá-lo perfeitamente.

Anúncio Publicitário

De realçar a vontade que Grujic teve em regressar ao FC Porto. Segundo a comunicação social afirmou, o centro-campista sérvio rejeitou propostas oriundas da Holanda, Itália e inclusive do Sporting CP para que pudesse vestir novamente a “pele” do dragão.

Este foi um ato decisivo para a transferência de Grujic para o FC Porto e certamente que caiu bem no seio dos adeptos, da equipa técnica e também da direção do clube, que podem agora contar com um jogador que dá garantias dentro de campo e fora dele.

Marko Grujic treinou no próprio dia em que foi novamente apresentado no Estádio do Dragão e seguiu para o estágio no Algarve. Tendo em conta que Matheus Uribe saiu lesionado da Copa América e está, neste momento, na Colômbia a recuperar da mesma, é muito provável que Grujic esteja no onze inicial aquando do arranque do campeonato.

Marko Grujic
Fonte: Diogo Cardoso / Bola na Rede

É que, para além do tempo de recuperação de Uribe, o jogador terá ainda de cumprir uma quarentena de 14 dias após aterrar em Portugal e só depois poderá treinar com a equipa principal. Nasce assim uma oportunidade para Marko Grujic assumir, desde cedo, a titularidade, o que poderá originar alterações no sistema tático de Sérgio Conceição.

À partida, no centro do terreno, fará parelha com Sérgio Oliveira, isto se o português não concretizar uma transferência para outro emblema antes do início da Primeira Liga.

Sendo assim, o FC Porto adquire um médio-defensivo com 25 anos, mas ainda em ascensão, dado o percurso que a sua carreira teve até ao momento. É que, nas cinco épocas como jogador do Liverpool FC (irá agora para a sexta, pois ainda está emprestado), quatro delas foram como emprestado – um ano no Cardiff City FC, duas temporadas no Hertha Berlin SC e outra no FC Porto.

Agora, Marko Grujic tem uma perspetiva de carreira mais estável e o FC Porto conta com um médio que oferece essa mesma estabilidade no centro do terreno e uma qualidade acima da média. Bem-vindo de volta, Grujic!

Artigo revisto por Gonçalo Tristão Santos

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome