Desde o fim do campeonato e início da janela de transferências do FC Porto, a posição que tem sido mais debatida tem sido a de avançado. Muitos nomes têm sido associados e parece neste momento que, pelo menos, Taremi pode estar mesmo a caminho do Dragão. Isto tudo porque parecia faltar um nome forte para fazer dupla com Marega, jogador indispensável para a ideia de jogo de Conceição.

Contudo, têm surgido nos últimos dias muitas notícias que falam da recusa de um novo contrato por parte do avançado maliano, condição que seria completamente necessária para a sua continuidade no FC Porto, dado que termina contrato em junho de 2021. Se de facto Marega abandonar o clube, muda muito o paradigma da busca por avançados na mente dos dirigentes portistas. Em vez de ser necessário um jogador que complemente as qualidades do maliano, é agora fundamental encontrar um jogador mais nos moldes de Marega.

Aqui entra Boulaye Dia, avançado francês que atua, atualmente, no Stade de Reims. É forte, possante e consegue atingir velocidades bem acima da média. Com a bola nos pés, parece estar mais à vontade do que Marega, ainda que não seja um tecnicista de eleição. Marcou uns respeitáveis oito golos na passada edição da Ligue 1, sendo um dos protagonistas da boa campanha do Reims.

Anúncio Publicitário

O que parece dificultar um possível negócio pelo avançado francês pode ser o preço exigido pelo Stade de Reims. Os valores que têm sido falados devem rondar os 15 milhões de euros. Caso seja este o valor, parece-me que a transferência não se concretizará. Como é sabido, o FC Porto não passa pelo seu melhor período em termos de segurança financeira, e mesmo com o valor que receberia de Marega, é difícil imaginar os Dragões passarem sequer os 10 milhões por um jogador.

Ainda assim, algo que pode ser vantajoso neste possível negócio é a idade de Boulaye. O francês tem apenas 23 anos e tem, portanto, uma margem de progressão razoável. Considerando que muitas das compras dos últimos anos dos Dragões têm sido de jogadores mais nos 27/28/29 anos (Uribe, Marchesín, Zé Luís, Claúdio Ramos, Carraça), seria interessante ver o FC Porto a voltar a apostar em jogadores mais novos que possam significar, depois de algumas boas épocas, um forte encaixe financeiro numa consequente venda.

Artigo revisto por Joana Mendes