fc porto cabeçalho 2Nenhum adepto portista fica indiferente ao imensurável número de jogos que nestes últimos dois anos o FC Porto tem apresentado falta de mística vencedora, mas tudo se torna ainda pior quando essa má imagem é refletida num dos principais líderes do grupo. Maicon Roque é o sinónimo do insucesso que se alastra ao longo deste passado recente nas hostes portistas.

O defesa de 27 anos começou muito bem a temporada, as suas exibições convenciam e ia apontando golos decisivos tanto no campeonato como na Champions (Moreirense, Estoril e Chelsea). Mas uma lesão atirou Maicon para fora das quatro linhas, sendo que a partir desse momento as suas performances e reputação caem abruptamente.

Maicon esteve ligado à derrota frente ao Sporting CP para o campeonato, às derrotas na Taça da Liga e, com a paciência dos sócios a esgotar-se, o “capitão” portista acabou a protagonizar um dos casos mais insólitos do ano até ao momento. O central esteve diretamente ligado ao segundo golo do Arouca no Estádio do Dragão, lance decisivo para a derrota azul e branca.

maicon
Ato do capitão gerou polémica
Fonte: dominiodebola.com

Neste episódio inacreditável, Maicon perde a bola em zona proibída na zona defensiva e para espanto de todos fica de joelhos no relvado queixando-se de uma eventual lesão, pedindo substituição. Como é possível que um dos jogadores mais premiados do futebol português, com títulos internacionais inclusive, possa passar esta imagem de mau profissionalismo como capitão de equipa? E ainda como se não bastasse, a sua própria família coloca em causa a profissão do departamento clínico do clube. Se não dava para jogar não jogava, agora desculpas de mau pagador é que não. Neste clube um capitão não pode dar 100, tem de dar 200 por cento.

Várias vozes importantes ligadas ao FC Porto manifestaram o seu desagrado perante o sucedido, sendo o testemunho mais gritante o de Rodolfo Reis. O antigo capitão dos dragões, no programa Playoff da SIC Notícias, admitiu que não entendia a atitude de Maicon em deixar o campo antes de ser sequer substituído. Para a posteridade fica a seguinte declaração: “Sei que ele estava perturbado, mas ele é o capitão. Não aceito, não admito. Como capitão, ainda é pior. Ele não pode jogar nem deve jogar mais no FC Porto. Se eu fosse colega do Maicon, eu não admitia nunca mais que ele jogasse comigo.” 

Com estes aparatos todos, nos últimos dias tem-se falado que José Peseiro já não vai mais contar com Maicon para o que resta da época, uma vez que a situação assumiu um carácter irreversível. O jornal O JOGO adiantou este domingo, que o defesa central poderá estar a caminho do São Paulo e terá um contrato válido até 30 de Junho.

É muito triste ver um jogador com tamanho potencial sair do FC Porto pela porta pequena. É bom recordar que Maicon esteve presente em muitas alegrias e em muitos títulos do FC Porto, marcando inclusive um golo decisivo para as contas de um campeonato nacional em pleno Estádio da Luz aos 87 minutos. Maicon será sempre recordado como o central das bolas paradas e como o menino que chegou ao dragão e gelou a Luz ao “dar” mais um campeonato, mas infelizmente estes últimos acontecimentos não dão espaço de manobra. O preocupante é o problema central que os dragões terão de resolver com Chidozie no campeonato e com Verdasca na Liga Europa, uma vez que Marcano também está lesionado.

Comentários