A CRÓNICA: COMPETITIVIDADE DO NORTE VS COMPETITIVIDADE AÇORIANA DO CD SANTA CLARA

A semana começa com a 23ª jornada, onde o CD Santa Clara e o FC Porto disputam os 3 pontos. Nesta altura, o Porto encontra-se pressionado para conseguir alcançar o tão esperado primeiro lugar na tabela classificativa. Por outro lado, temos um CD Santa Clara menos ansioso, pois encontra-se numa boa posição na tabela classificativa. Apesar disso, o objetivo, conforme o técnico da equipa açoriana referiu, na antevisão da partida, é deixar os 3 pontos nos Açores.

A partida começou algo quente. O Santa Clara começou por cima na partida, a mostrar-se mais agressivo e a conseguir chegar com mais facilidade à área do Porto. O clube do Norte tentou ainda criar linhas de passe, mas sem conseguir trazer perigo para a partida. O jogo acabou por acalmar os ânimos iniciais, mas não por muito tempo.

Depois de um passe certo de Sérgio Oliveira, Manafá remata rasteiro para o canto inferior esquerdo, desviando no poste para dentro, inaugurando, assim, o marcador aos 37 minutos.

Anúncio Publicitário

Aos 42 minutos, o árbitro da partida, Carlos Xistra, mostra a cartolina vermelha após um encontrão entre Manafá e Costinha que deixou o jogador do Santa Clara algo queixoso no chão. Após rever as imagens no VAR, Xistra retira o cartão que havia sido dado no calor do momento e, mostra a cartolina amarela por entender que seria apenas um choque entre os dois.

Apesar da agressividade das duas equipas, poucas foram as oportunidades de golo, deixando o jogo um pouco passivo e concentrado a meio campo.

O jogo retomava para a segunda parte com o Porto a entrar melhor em campo. Para quem pensava que o jogo ficaria mais calmo, engane-se. Aos 54 minutos, Carlos Jr. remata a redondinha para a trave de baliza de Marchesin, deixando o aviso da vontade de marcar. Mais tarde, aos 69 minutos, Marco Pereira, numa saída para apanhar a bola, acaba por chocar contra Otávio. O árbitro marca penálti a favor do Porto, no entanto Alex Telles marca para a barra. Este penálti deixou o povo açoriano ao rubro como se de um golo se tratasse.

Aos 75 minutos, através de um livre marcado por Sérgio Oliveira que coloca a bola na cabeça de Marcano, que coloca a bola nas redes de Marco Pereira através de um cabeceamento, deixando-o sem tempo de reação, acabando por sofrer o 2º golo da partida.

Apesar das várias tentativas de mudar o resultado, a diferença continuaria até ao apito final. Deste jogo, fica na memória o golo inesperado de Manafá e a agressividade das duas equipas para levar os três pontos.

 

A FIGURA

Fonte: Diogo Cardoso/Bola na Rede

Sérgio Oliveira – Esteve presente nas duas assistências dos dois olhos sendo fulcral para os mesmos.

 

O FORA DE JOGO

Fonte: CD Santa Clara

Marco Pereira – O guardião das redes açorianas não esteve ao nível a que estamos habituados, acabando por sofrer dois golos.

 

ANÁLISE TÁTICA – CD SANTA CLARA

O técnico da equipa Açoriana apresentou-se com o seu habitual onze e o esquema tático 4-4-2. Procurou ter maior consistência defensiva, maior posse de bola e realizar maiores transições. No entanto, não foi o suficiente para derrubar o adversário.

 

ONZES INICIAIS E PONTUAÇÕES

Marco Pereira (3)

Zaidu (6)

João Afonso (5)

Fábio Cardoso (5)

Sagna (5)

Carlos Jr. (6)

Francisco Ramos (5)

Anderson Carvalho (6)

Lincoln (6)

Thiago Santana (4)

Costinha (6)

SUBS UTILIZADOS

Ukra (5)

Cryzan (-)

Salomão (-)

 

ANÁLISE TÁTICA: FC PORTO

Sérgio Conceição adotou o esquema tático a que estamos habituados a ver, o 4-4-2 que acabaria por se desdobrar em 4-4-3. Danilo voltou à lista de convocados após ter estado fora da mesma frente ao Bayer Leverkusen e o Portimonense. Zé Luis ficou de fora dando a oportunidade a Fábio Silva de se juntar à equipa principal, apesar deste não ter jogado.

 

ONZES INICIAIS E PONTUAÇÕES

Marchesín (5)

Manafá (6)

Mbemba (6)

Marcano (6)

Alex Telles (5)

Tecatito Corona (5)

Sérgio Oliveira (7)

Danilo (6)

Otávio (6)

Marega (4)

Soares (5)

 

SUBS UTILIZADOS

Romário Baró (5)

Pepe (-)

Nakajima (-)

 

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

CD Santa Clara

BnR: A eficácia foi preponderante para o resultado final?

João Henriques: Sim, sem dúvida. O Porto teve dois remates enquadrados e deu origem a dois golos. Tivemos 3 remates enquadrados e 0 golos. Apesar disso, o Santa Clara fez um jogo com qualidade tanto individual como coletiva- Estamos num bom momento apesar da derrota e hoje deixamos os açorianos orgulhosos.

FC Porto

BnR: Sente que este foi um jogo difícil?

Sérgio Conceição: Cada jogo é um jogo e tem características diferentes. O Santa Clara é um clube com qualidade e com jogadores com essa mesma qualidade, por isso foi uma vitória difícil, mas merecida. Os meus jogadores mostraram qualidade e estiveram bem.

Foto de Capa: Raquel Roque / Bola na Rede

Artigo revisto por Joana Mendes