Em 2003/04 o FC Porto foi campeão europeu em Gelsenkirchen. 14 anos depois, os dragões iniciam a temporada europeia num estádio onde já foram muito felizes. Será este o prenúncio de uma excelente campanha europeia?

O estádio é o mesmo, mas o adversário é diferente do de 2004. Desta vez os dragões enfrentam os “homens da casa”, os alemães do Schalke 04. Em tempos, este emblema germânico, bem como os grandes “tubarões alemães”, eram sinónimo de grandes dificuldades e intensidade. Com o decorrer dos anos, apenas o Bayen Munique se manteve como a única grande potência alemã e europeia.

Apesar da excelente temporada do Schalke 04 na temporada passada que lhes valeu a qualificação para a Champions League, a verdade é que os germânicos estão muito aquém do que já jogaram e nesta temporada ainda não venceram nenhum dos três jogos disputados.

Os dragões chegam a este jogo depois de um empate caseiro frente ao GD Chaves na Taça da Liga e por isso ainda sobram dúvidas sobre que FC Porto irá se apresentar na Alemanha, bem como o onze que Sérgio Conceição irá escolher.

Bazoer é uma das surpresas nos convocados
Fonte: FC Porto

O regresso de André Pereira à convocatória, bem como a inclusão de Diogo Costa e do recém-contratado Riechedly Bazoer, são as principais surpresas na lista do jogo de terça-feira.

O simbolismo do estádio de Gelsenkirchen não pode ser deixado de lado, naquela que é uma casa de boa memória para o adeptos portistas. Não deixa de ser curioso que o FC Porto vai-se instalar no mesmo hotel onde há 14 anos ficou hospedado e seguiu para a conquista da histórica final da Champions League frente ao AS Mónaco. Esperemos que tudo isto seja o prenúncio de uma temporada europeia de sucesso para os dragões.

Foto de Capa: FC Porto

artigo revisto por: Ana Ferreira

Comentários

Artigo anteriorOdysseas, o homem que nos faz respirar
Próximo artigoGD Estoril-Praia 1-2 CD Feirense: Manta Santos sorriu num jogo com partes distintas
O Nélson é estudante de Ciências da Comunicação. Jogou futebol de formação e chegou até a ter uma breve passagem pelos quadros do grande Futebol Clube do Porto. Foi através das longas palestras do seu pai sobre como posicionar-se dentro de campo que se interessou pela parte técnica e tática do desporto rei. Numa fase da sua vida, sonhou ser treinador de futebol e, apesar de ainda ter esse bichinho presente, a verdade é que não arriscou e preferiu focar-se no seu curso. Partilhando o gosto pelo futebol com o da escrita, tem agora a oportunidade de conciliar ambas as paixões e tentar alcançar o seu sonho de trabalhar profissionalmente como Jornalista Desportivo.                                                                                                                                                 O Nélson escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.