A caminhada europeia do FC Porto terminou com uma derrota pesada diante do Bayer Leverkusen, que até podia ter sido por outros números, face à enorme superioridade evidenciada pelos alemães. A campanha dos dragões esta temporada foi um desastre e só mesmo com muita sorte à mistura é que tinham conseguido seguir em frente. Por um lado, o resultado pesado, justifica-se pela falta de qualidade que a equipa demonstrou ter.

Mas antes de analisarmos o que correu mal, é preciso perceber há quanto tempo corre mal, e a verdade é que o problema já não é de agora. Em Agosto, diante do FC Krasnodar, a equipa de Sérgio Conceição venceu na Rússia, mas depois – e para espanto de muitos – perdeu no Dragão. Começou mal esta caminhada e terminou da mesma forma. Já para não falar da fase de grupos da Liga Europa, em que teve de suar muito para ultrapassar um grupo teoricamente acessível.

A equipa foi eliminada porque foi realmente a pior equipa nas duas mãos. Não tinha condições, nem argumentos para contrariar o favoritismo do adversário. Mas a forma como encarou os jogos também deixou muito a desejar, principalmente uma equipa como o FC Porto habituada a contornar as dificuldades.

Corona tem sido uma das figuras da equipa nesta época
Fonte: Diogo Cardoso/Bola na Rede

Fora das competições europeias – depois de uma das campanhas mais fracas -, o FC Porto tem agora foco total no campeonato. Apesar de já ter reduzido a desvantagem de sete pontos para um ponto, a verdade é que este FC Porto tem um longo caminho pela frente e já não tem assim tanto tempo para mudar radicalmente algumas ideias de jogo. As exibições têm estado aquém das expectativas e o treinador não tem conseguido colocar a equipa a praticar um bom futebol. Falta raça, dinâmica e vontade de vencer.

Anúncio Publicitário

No último jogo do campeonato, diante do Portimonense SC, a equipa mostrou estar animicamente fraca, sem ideias de jogo, sem soluções e com uma linha defensiva de cortar a respiração. Este fim de semana, na deslocação aos Açores, é preciso mais. É preciso uma reação digna de uma equipa que acredita que é possível salvar esta temporada com a conquista do principal objetivo: o campeonato. O que se espera é uma resposta em campo para contornar esta eliminação.

Foto de Capa: Diogo Cardoso/Bola na Rede

Artigo revisto por Inês Vieira Brandão

Comentários