fc porto cabeçalhoSim, é um jogador que, passados todos estes anos de dragão ao peito parece ainda não convencer muitos dos aficionados portistas no que diz respeito às suas exibições.

Porém, neste jogo contra o Paços de Ferreira foi, sem dúvida o melhor em campo neste jogo que pouco contava para o desenrolar da época portista. Um golo que permitiu o empate no marcador e que demonstra onde reside a força deste jogador, um box-to-box por excelência e que tem capacidade de penetração na área, como ficou demonstrado no golo marcado de cabeça, após cruzamento de Corona (um excelente cabeceamento). Também conseguiu uma assistência, de forma acrobática, para golo de Diogo Jota logo no início da segunda parte.

Fonte: FC Porto
Fonte: FC Porto

A tudo isto, podemos juntar uma percentagem de acerto de passe de 89%, tocou na bola 104 vezes e entrou sete vezes na área adversária, o que demonstra a sua capacidade de médio área-a-área. Ainda ajudou nas tarefas defensivas, somando quatro desarmes, dez recuperações de posse e dez duelos ganhos em 16 disputados. Um jogo a um grande nível nos vários capítulos do jogo.
Infelizmente, na minha opinião, não lhe é dado o crédito devido porque, quando joga, não compromete e é um médio que entende os vários momentos do jogo e que tem a capacidade de entrar na área (algo que, mais uma vez, na minha humilde opinião, falta ao restante meio campo portista).

É uma incógnita a manutenção do jogador no plantel, sendo este um assunto anual quando acaba a época. Mas, convém não esquecer, que é capitão do FC Porto e que sempre deu a cara e deu tudo em campo pela equipa. A aguardar notícias futuras sobre o seu futuro.

Foto de Capa: FC Porto

Anúncio Publicitário
Artigo anteriorSporting: Juniores a uma vitória do título
Próximo artigoA capital norte-americana é, finalmente, uma cidade de basquetebol
Eterno apaixonado por futebol, tem no Porto a sua eterna paixão. A atualidade desportiva faz parte da sua génese, lendo desde muito novo os jornais desportivos cuja leitura o avô lhe incutia. Vê jogos de futebol com o seu pai desde os três meses de idade (de pequenino é que se torce o pepino). Joga futebol e futsal com os amigos sempre que pode. Tem também pelo ciclismo um apreço especial. Fora de Portugal é adepto incondicional do Tottenham Hotspur e do Real Madrid.                                                                                                                                                 O Telmo escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.