Depois da surpreendente derrota caseira na jornada passada frente ao Vitória SC, o FC Porto voltou a ter a oportunidade de compensar os seus adeptos ao jogar pela segunda jornada consecutiva no Dragão, desta vez frente ao Moreirense FC. Os dragões não vacilaram e alcançaram uma vitória expressiva nos regressos de Danilo e Marega e na estreia muito bem conseguida de Militão.

Sérgio Conceição não teve “mãos a medir” e face ao descalabro da jornada passada, fez alterações na equipa. O técnico promoveu a estreia de Éder Militão no setor defensivo, em detrimento de Diogo Leite que ficou no banco de suplentes e lançou Marega no onze, no primeiro jogo oficial da época do maliano, preterindo de André Pereira que nem para o banco de suplentes foi. Por falar em banco de suplentes, os adeptos portistas puderam ver de perto, um rosto bem familiar e acarinhado por todos, já que Danilo foi convocado para esta partida.

Perante um Estádio do Dragão quase cheio, os adeptos tiveram oportunidade de presenciar um jogo intenso e polémico desde o primeiro minuto. A polémica não tardou em aparecer e, em apenas dez minutos disputados, o árbitro Hélder Malheiro assinalava um pontapé de pénalti a favorecer o FC Porto depois de Aboubakar ser derrubado na área por Loum. Quando Alex Telles se preparava para cobrar a grande penalidade, o árbitro pára a partida para consultar o VAR e acaba por reverter a decisão inicial e assinalar pontapé de canto para o FC Porto.

Contudo, o lance anulado não inibiu os azuis e brancos que, apenas cinco minutos depois, faziam o primeiro golo da partida. Depois de um pontapé de canto cobrado por Alex Telles, Militão toca de cabeça na área com a bola a sobrar para Herrera que amortece a bola de peito e, na cara do golo, não tem dificuldades em bater Jhonatan.

Anúncio Publicitário
Herrera foi o melhor jogador em campo e marcou o primeiro golo do encontro
Fonte: FC Porto

Os homens de Moreira de Cónegos procuram responder aos 18’ através de Heriberto que conseguiu furar a área adversária e cruzar rasteiro mas nenhum jogador do Moreirense FC aparece na área para finalizar.

Ainda antes de meia hora de jogo, o FC Porto voltaria a festejar com Aboubakar a marcar o segundo golo da partida. Um lance bem construído pelos dragões com Otávio a lançar Marega que remata cruzado acertando no poste mais afastado, na recarga Vincent Aboubakar só tem de encostar e fazer o 2-0 da partida.

Destaque para a exibição sólida do eixo defensivo dos dragões no primeiro tempo, com Felipe a estar a um bom nível e Éder Militão a apresentar um ótimo “cartão de visita”.

O árbitro dava por encerrado os primeiros 45 minutos e, apesar do FC Porto estar por cima do jogo a maior parte do encontro, a verdade é que os pupilos de Ivo Vieira mostraram-se sempre destemidos apesar da desvantagem e mesmo não criando grandes oportunidades de perigo, pressionaram o meio-campo dos dragões durante vários momentos do jogo.

O regresso ao relvado trouxe uma vez mais um jogo intenso com o Moreirense FC a trabalhar bem para reduzir a desvantagem e aos 56’, Heriberto aproveitou uma perda de bola de Felipe e já dentro da área, o extremo de Moreira de Cónegos perdeu o duelo para Éder Militão que uma vez mais mostrou-se irrepreensível.

A resposta do FC Porto não tardou e foi pelos pés de Brahimi que os dragões estiveram perto do 3-0 com o argelino a receber de Maxi e a rematar com perigo a rasar o poste e a fazer a bola embater na malha lateral.

O FC Porto tirou o pé do acelerador e o Moreirense FC foi aproveitando e aos 68’ tiveram muito perto do golo, valendo Iker Casillas aos dragões. Um erro de Maxi a abordar a bola permitiu a Bilel receber a bola e deixar para Chiquinho que rematou forte para uma grande intervenção de Casillas.

Tal como aconteceu na jornada pasada, o FC Porto perdeu fulgor no segundo tempo e perto do minuto 80’, as estatísticas apontavam que os dragões não rematavam à baliza há 13 minutos.

No meio desta apatia, surgiu um momento de emoção com o regresso de Danilo aos relvados, depois de uma grave lesão contraída em abril, e é recebido com uma grande ovação pelos adeptos portistas.

A três minutos do final do encontro, Alex Telles esteve perto de marcar o terceiro golo da partida na cobrança de um livre que fez a bola passar perto da baliza adversária. No entanto, o terceiro golo viria mesmo a surgir e pelos pés de…Marega! O maliano, de regresso aos relvados e aos golos. Grande jogada individual de Otávio pela esquerda a servir Marega que encosta e sentencia a partida.

O FC Porto a voltar às vitórias em grande estilo depois do deslize frente ao Vitória num jogo emotivo com estreias e regressos à mistura.

Onzes Iniciais:

FC PORTO: Casillas; Maxi Pereira, Felipe, Militão e Alex Telles; Otávio, Herrera, Sérgio Oliveira (Óliver) e Brahimi (Danilo); Aboubakar (Corona) e Marega.

MOREIRENSE: Jhonatan; João Aurélio, Abarhoun, Ivanildo e Bruno Silva; Loum, Neto (Alan Schons), Pedro Nuno e Chiquinho (P.Rodríguez); Heriberto e Bilel Aouacheria (Nenê).