Com o Campeonato no “bolso” é hora de começar a definir o plantel da próxima época. Os milhões da presença na Liga dos Campeões (sim o campeonato já não foge) vão permitir uma abordagem mais confortável na planificação do próximo plantel.

O setor defensivo é onde existem mais incógnitas neste momento. Iker Casillas, Maxi Pereira, Iván Marcano e Diego Reyes estão em fim de contrato, Ricardo Pereira e Diogo Dalot vão entrar no último ano de ligação ao clube. Na minha opinião a administração devia fazer um esforço para manter Iker Casillas, é uma peça fundamental na equipa quer pela qualidade desportiva quer pelo peso que tem no balneário, sendo uma posição muito específica, o esforço financeiro é perfeitamente justificável. Assim sendo o tridente de guarda-redes seria: Casillas, José Sá e Vaná. Emprestar Diogo Costa e João Costa para continuarem a sua evolução.

O clube precisa de fazer mais-valias com transferências e como, quer Ricardo Pereira, quer Diogo Dalot vão entrar no último ano de contrato é perfeitamente compreensível a venda de um deles. Seria preferível a venda de Ricardo Pereira que pode facilmente render 25 milhões de euros. Com Diogo Dalot temos o futuro garantido por muitos e bons anos. Maxi Pereira dificilmente ficará no clube, por isso, a compra de um defesa direito com alguma experiência, para lutar com Dalot pelo lugar, é aconselhável.

Relativamente aos centrais, a permanência de Felipe parece ser o único dado adquirido. Marcano e Reyes, em final de contrato, dificilmente continuarão no clube e Osório deve regressar ao CD Tondela. Jorge Fernandes pode e deve regressar ao clube depois de grandes exibições ao serviço do CD Tondela. Isto significa que temos de “ir às compras” por dois centrais. Na lateral esquerda Alex Telles é imprescindível e acredito que dentro do clube se pode encontrar um suplente com qualidade. Inácio poder ser uma boa opção.

A renovação de Casillas é uma prioridade
Fonte: FC Porto
Anúncio Publicitário

No centro do terreno as mexidas não devem ser muitas, as soluções são várias e de qualidade por isso acredito que será um setor onde não é preciso fazer mexidas. A renovação de Herrera antes do Mundial deve ser prioridade.

No setor mais ofensivo alguns jogadores podem significar mais-valias sem que isso seja um grande problema ao nível desportivo. Corona, Hernâni e Aboubakar são exemplos evidentes disso, sendo que o mexicano tem o Mundial para valorizar o seu passe. Manter Brahimi, Marega e Soares deve ser a prioridade. Contratar um extremo de qualidade é uma necessidade.

É importante referir que o FC Porto tem vários jogadores emprestados que podem ser vendidos e aliviar as contas do clube.

Fica aqui um esboço de um plantel com aquisições cirúrgicas e vendas para que as contas fiquem no verde:

Guarda-redes: Casillas, José Sá, Vaná;

Defesas: Dalot, Felipe, Jorge Fernandes, Alex Telles, Inácio, aquisição de dois centrais e um defesa direito;

Médios: Danilo, Herrera, Sérgio Oliveira, Oliver, André André, Otávio e Paulinho;

Avançados: Brahimi, Marega, Soares, Gonçalo Paciência, aquisição de dois extremos;

Vendas: Ricardo Pereira, Hernâni, Corona e Aboubakar.

Foto de Capa: FC Porto

artigo revisto por: Ana Ferreira

Comentários