Não se pode dizer que a estreia do FC Porto na Liga dos Campeões tenha sido absolutamente brilhante, mas as indicações dadas foram positivas. Começar a fase de grupos com um empate fora, nunca pode ser considerado um mau resultado, ainda para mais quando o adversário é o vice-campeão alemão.
Foi um jogo intenso, típico das equipas alemãs mas onde o FC Porto conseguiu, de uma forma global, ter sempre o jogo minimamente controlado. Abordagem inteligente de Sérgio Conceição com a colocação de Otávio numa zona mais central do terreno de forma a ter “mais bola” e a tentar surpreender a defesa a três do FC Schalke 04 com as diagonais da direita para o centro do rapidíssimo Marega.

A recuperação de Danilo é extremamente importante para jogos deste nível de intensidade e permite ao treinador portista uma gestão mais abrangente nas diversas competições. É de destacar que no banco de suplentes estavam jogadores do nível de Sérgio Oliveira e Óliver entre outros. Quando Bazoer estiver perfeitamente integrado pode também ser uma excelente opção. O meio-campo portista possuí neste momento variadíssimas opções permitindo a Sérgio Conceição diversas abordagens e variantes em função do adversário.

O “monstro” voltou
Fonte: FC Porto

Éder Militão fez uma estreia na Liga dos Campeões brilhante, apesar de jogar como central pelo lado esquerdo, que não é a sua posição de eleição, o internacional brasileiro esteve irrepreensível e com Felipe formou uma dupla de “betão”. Não esquecendo que Mbemba ainda se encontra lesionado, as opções para o setor defensivo portista são várias e de muita qualidade. Em jogos em que seja preciso elevar a intensidade física acredito que o quarteto defensivo possa ser formado por Militão, Felipe, Mbemba e Telles. A polivalência de Militão, Mbemba e até Diogo Leite por ser esquerdino, dá ao treinador azul e branco imensas opções. Uma defesa a três em alguns jogos não deve ser posta de parte.

Um plantel que quando tiver todas as opções ao dispor do técnico portista pode permitir fazer a melhor época da última década. Sim, acredito num pleno nas competições internas e, no mínimo, nos quartos-de-final na Liga dos Campeões!

Foto de Capa: FC Porto

Comentários