fc porto cabeçalho

Deparamo-nos com uma crescente aposta na formação do clube ao invés de procurar primeiro fora. Com casos de grande sucesso, como o de André Silva ou Rúben Neves, a vontade de ver mais valorização na formação portista não mostra sinais de acabar. Um dos nomes para manter em mente, que ainda tem muito para nos dar é, nada mais nada menos, do que Federico Varela.

Fede Varela chegou à cidade invicta pela boca de um tal Lopetegui, que teve o primeiro contacto com o argentino quando este fazia parte das camadas jovens do RC Celta de Vigo. Antes de o argentino se naturalizar, Lopetegui assumiu o comando da equipa portista sem ter conseguido trabalhar com Varela nas camadas jovens da seleção espanhola, como desejava.

Lopetegui trouxe com ele para a Invicta o nome de Fede Varela, que entretanto estava ao serviço do FC Stade Nyonnais, da terceira divisão suíça. Quando Varela chegou ao Porto, já Lopetegui cá não estava.

Na equipa B, o argentino, que foi viver para Espanha aos oito anos de idade, brilhou. O pequeno (com 1,74m de altura) génio argentino-espanhol de 20 anos, médio ofensivo, é dono de uma extraordinária visão de jogo, descobre espaços e isola colegas de forma sublime, é muito ágil, rápido e possuidor de um grande qualidade técnica, facilmente dribla adversários e joga em espaços curtos.

Pelo FC Porto B disputou 70 partidas, marcou 16 golos e fez 7 assistências. Foi, em janeiro, reforço do Portimonense SC por empréstimo até ao final da temporada, o que lhe permitirá ganhar ritmo e experiência na Primeira Liga para, quiçá, conquistar o seu lugar na equipa principal na próxima época.

Foto de Capa: FC Porto

Texto revisto por: Teresa Lopes

Comentários