Se, nos últimos dias, tudo parece ser criticável ao FC Porto, há algo que, na minha ótica, escapa a essa maré negativa: a postura dos centrais portistas.

Pepe e Marcano têm sido, nas últimas partidas, os que mais têm tentado rumar contra a passividade, desleixo e desinspiração portistas. Quer o português, quer o espanhol, têm decidido tanto no setor defensivo como até ajudado no setor ofensivo, onde falta claramente o instinto de golo ultimamente.

No jogo contra o CS Marítimo, onde o FC Porto esteve a perder durante praticamente toda a partida, foi Pepe quem, mesmo sem intenção, esteve no sítio certo para a bola tabelar nele e entrar na baliza insular. Contra o CD Aves, foi Marcano quem teve de finalizar com a classe que todos os adeptos esperavam dos pontas de lança da equipa, mas que só o espanhol demonstrou. No jogo de ontem, frente ao The Rangers FC, mais uma vez foi Pepe quem criou a melhor oportunidade de golo, ficando a centímetros de distância de adicionar mais um tento à sua conta pessoal.

Marcano deu a vitória contra o CD Aves, num golpe categórico
Fonte: Diogo Cardoso/ Bola na Rede

Muitas vezes criticados, seja pela idade ou pela forma como abandonaram o clube anteriormente para agora regressarem, são eles o abono portista por estes dias. É deles que parte a voz de comando para todos os outros.

Em termos defensivos, porque ninguém é perfeito, cometem erros, decidem mal por vezes, mas são verdadeiramente os únicos em campo que, em cada bola que disputam, cada vez que atravessam o campo para irem à área adversária, levam com eles a garra e a mística que cada adepto portista sente. São eles a exceção à apatia que se tem visto nestes dias cinzentos por que tem passado o clube azul e branco.

Foto de capa: Bola na Rede

Comentários