fc porto cabeçalho

Acabou. Seis jogos para o fim, nove pontos de desvantagem para o líder Benfica. É oficial: acabou. Se a derrota em Braga, há três jornadas atrás, praticamente deitou por terra as esperanças azuis e brancas de lutar pelo título, o desaire desta segunda-feira frente ao Tondela foi a machadada final nas aspirações portistas.

E não se pode dizer que a vitória dos visitantes tenha sido injusta. De todo. Ainda que o FC Porto tenha tido a iniciativa do jogo – como seria de esperar – e tenha disposto de várias oportunidades de golo, os comandados de Petit também souberam criar calafrios junto da baliza de Casillas.

A primeira parte foi praticamente de sentido único, com o FC Porto a assumir desde cedo as despesas do jogo e à procura de um golo madrugador: Danilo aos sete minutos, Aboubakar aos 11 e aos 20, e Herrera aos 18 colocaram Cláudio Ramos em sentido. O Tondela só deu sinal de si aos 24 minutos, através de um pontapé de Luís Alberto de fora da área, que passou perto do poste de Casillas.

Luís Alberto gelou o Dragão Fonte: CD Tondela
Luís Alberto gelou o Dragão
Fonte: CD Tondela

Mas na segunda parte o jogo mudou de paradigma. O FC Porto voltou a entrar melhor, procurando acelerar o jogo, mas a primeira oportunidade pertenceu aos visitantes. Depois de um desenho ofensivo muito bem conseguido pelo Tondela, Nathan Júnior, completamente sozinho à entrada da área, atirou a bola por cima da barra da baliza portista. Este lance do Tondela, aos 49 minutos, era um aviso para o que estava prestes a acontecer aos 59: o golo dos visitantes. E que golo, este! Luís Alberto, à entrada da área portista, teve todo o tempo do mundo para preparar o remate e colocar a bola no ângulo, sem dar hipóteses a Casillas.

Anúncio Publicitário

A última meia hora é fácil de contar. O FC Porto, em contra-relógio, desatou numa corrida desenfreada em busca do empate, e o Tondela foi aproveitando as saídas rápidas para assustar os da casa, mas o resultado não havia de sofrer alterações.

Um prémio justo para a raça demonstrada pelos homens de Petit, que souberam anular o desfile de vedetas do lado contrário. A falta de ambição dos jogadores azuis e brancos voltou a ser gritante e o jogo só podia ter terminado com uma vaia monumental dos poucos adeptos que se deslocaram ao Dragão.

Quanto a esta época pouco há a fazer a não ser ganhar a taça que nos sobra. É tempo de sarar as feridas e planear a época que se avizinha. Este campeonato está entregue; venha o próximo.

A Figura:

Danilo – Como diria Cristiano Ronaldo, se todos estivessem ao teu nível… Mais uma grande exibição do 22 portista, que, praticamente a solo, foi agitando as águas no miolo azul e branco. É uma pena ver um jogador com tanta qualidade numa equipa tão inconsequente.
O Fora-de-Jogo:

 Brahimi – Novamente, muito abaixo do que é exigível.

Foto de Capa: FC Porto