eternamocidade

O FC Porto venceu esta noite o Belenenses por 1-0, na 24ª jornada da Liga Portuguesa. Os portistas entravam no Dragão pressionados pela vitória do Sporting na Madeira, resultado que os “obrigava” a vencer os azuis do Restelo para continuarem a sonhar com a entrada direta na Liga dos Campeões.

Com as ausências de Danilo, Maicon, Fernando e Quaresma, Luís Castro foi obrigado a fazer várias alterações na equipa inicial, lançando Ricardo a lateral direito e incluindo Reyes, Josué e Ghilas no onze inicial. Do lado do Belenenses, e depois da saída de Marco Paulo, foi a vez de Lito Vidigal se estrear no banco da equipa lisboeta.

Os portistas não entraram fortes na partida, ainda apáticos na adaptação ao novo figurino e aos novos rostos. O Belenenses ia defendendo com os 11 homens atrás da linha da bola, procurando explorar o contra ataque. Só perto do minuto 30 se sacudiu a apatia no Dragão, após um cabeceamento para o fundo da baliza de Matt Jones, por parte de Jackson Martinez, que foi (bem) anulado por Carlos Xistra. Logo de seguida, foi Varela, com um forte cabeceamento, a criar perigo junto à baliza do Belenenses. Ainda assim, o cabeceamento do extremo português bateu no poste. O Belenenses ia segurando o empate como podia e, sem nada que o fizesse prever, esteve perto de inaugurar o marcador com um remate ao poste de Fernando Ferreira. Até ao final do primeiro tempo, a equipa forasteira acabou por sofrer um duro revés, ao ver João Afonso ser expulso após derrube sobre Jackson, quando este ia isolado.

Quintero foi decisivo Fonte: Zerozero.pt
Quintero foi decisivo
Fonte: ZeroZero

Ao intervalo, Luís Castro lançou Quintero para o lugar de Josué, e tudo se alterou na equipa portista. Mais rápida, incisiva e dinâmica, a equipa foi acumulando lances de perigo junto à baliza de Matt Jones. O Belenenses tentou diminuir o ritmo de jogo, fazendo paragens constantes, mas isso apenas foi adiando aquilo que Quintero ia construindo e que parecia inevitável: o golo do FC Porto.

Depois da entrada de Kelvin e Licá, para os lugares de Varela e Reyes, os portistas chegaram mesmo ao golo da vitória, aos 77 minutos, com Quintero a bater finalmente Matt Jones, depois de cruzamento pela direita de Licá. Até ao final do jogo, novo lance de magia do colombiano, a enviar uma bola à trave da baliza do Belenenses na cobrança de um livre direto. Três pontos e uma vitória sofrida, mas merecida, de um FC Porto que agora já só pensa no duelo da próxima quarta feira, contra o Benfica, para a Taça de Portugal. Aí, os protagonistas serão diferentes, o adversário também, e o nível de exigência nem sequer é comparável. Veremos como se comporta este FC Porto.

A Figura: Quintero – O colombiano entrou e revolucionou o jogo azul e branco, rubricando uma bela exibição na segunda parte. Golo decisivo e justo pelo que fez.

O Fora de jogo: Jackson – A falta de alegria no avançado é inexplicável. Mais um par de golos falhados e mais uma exibição desinspirada do ainda melhor marcador do campeonato.

Comentários