O FC Porto entrou em campo a saber do resultado negativo do SL Benfica e com a perceção que estavam apenas a uma vitória da liderança isolada. Além disso, a nação portista esperava uma reação à derrota em Famalicão e foi com esses dois pontos que se pode assistir a uma entrada forte dos dragões.

Com o regresso de Alex Telles ao onze, que permitiu oferecer a ala direita a Manafá e consequentemente devolver Corona a terrenos mais ofensivos, a formação portista entrou a todo o gás à procura do primeiro golo. A verdade é que esse mesmo momento não demorou muito a chegar num lance em que Corona apanha toda a gente de surpresa e faz um golaço, confirmando o seu bom período de forma. Por sua vez, os madeirenses não demoraram muito a responder ao tento dos nortenhos, já que, na jogada a seguir, o japonês Maeda esteve perto de recolocar o empate, mas a bola não chegou a entrar na baliza de Marchesín.

Apesar do susto, o FC Porto não tirou o pé do acelerador e foi à procura do segundo golo, todavia num mau passe de Sérgio Oliveira foi a equipa do CS Marítimo a ficar perto do empate, outra vez, por Maeda, que falhou de forma clamorosa. O ritmo forte do início da partida com o decorrer do tempo foi baixando, como é natural, e no primeiro tempo houve apenas mais um destaque para um remate de Sérgio Oliveira que concedeu uma defesa atenta ao guardião Charles.

O início da segunda parte parecia que ia ser igual ao da primeira, mas não. A equipa do CS Marítimo entrou com outra postura, colocando o FC Porto mais em sentido e com maior cautela no período defensivo. No entanto, a equipa insular nunca foi uma verdadeira ameaça ao atual líder do campeonato, que teve sempre na sua mão o controlo do jogo. Por conseguinte, assistiu-se a uns segundos 45 minutos mais mornos e menos entusiasmantes, sendo que só nos instantes finais do jogo é que houve maior atratividade para cada lado, com Fábio Vieira, estreia na equipa principal, a tentar matar a partida para o lado portista, enquanto que Xadas teve também o golo do empate nos seus pés.

Anúncio Publicitário

De anotar ainda a expulsão de Alex Telles, por acumulação de amarelos, que assim vai falhar o próximo desafio do FC Porto. Por fim, o resultado final sorriu para os pupilos de Sérgio Conceição, graças ao golo de Corona e assim é o atual líder isolado da liga.

A FIGURA

Fonte: Diogo Cardoso / Bola na Rede

Jesús Corona- O internacional mexicano é claramente o jogador mais preponderante, não só do FC Porto como da liga portuguesa. Seja a lateral, seja a extremo Corona não consegue deixar de espalhar magia quando toca na bola e sempre que o esférico chega aos seus pés há sempre a curiosidade em saber que truque, que passe, que drible vai tirar da cartola. Se há jogadores que justificam o preço do bilhete pela sua qualidade, “Tecatito” faz claramente parte desse lote.

O FORA DE JOGO

Fonte: Diogo Cardoso / Bola na Rede

Zé Luís – É verdade que o avançado cabo-verdiano entrou comprometido com a equipa e mostrou atitude, mas no que se pede a um atacante de uma equipa grande esteve completamente alheado do jogo, ou seja, na criação e na concretização de oportunidades de golo, além do que demonstrou sempre, está um pouco desintegrado da manobra ofensiva da sua equipa. Após um início de época prometedor da sua parte, o que tem acontecido é que tem baixado de rendimento a cada mês que passa, pelo que as notícias que apontam à sua saída não surpreendem.

ANÁLISE TÁTICA – FC PORTO         

Sérgio Conceição apostou hoje numa equipa completamente virada para o ataque com a finalidade de conseguir cedo a vantagem, procurando que com o tempo a mesma se dilatasse. Deste modo, os dragões apostaram num ritmo forte com a subida bem expressiva dos seus laterais a darem apoio ao ataque, com uma manobra ofensiva bem móvel, de maneira a conseguir destabilizar a transição defensiva dos madeirenses. De resto, assistiu-se um FC Porto igual a si mesmo, ou seja, sempre na busca pela profundidade e a apostar numa pressão alta, enquanto a frescura física assim o permitiu.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Marchesín (6)

Manafá  (7)

Mbemba (7)

Pepe (6)

Alex Telles (6)

Danilo (7)

Sérgio Oliveira (6)

Luís Diaz (7)

Corona (8)

Zé Luís  (7)

Marega (6)

SUBS UTILIZADOS

Fábio Vieira (6)

Soares (-)

Uribe (-)

Diogo Leite (-)

ANÁLISE TÁTICA – CS MARÍTIMO

A partida não começou de feição para a equipa de José Gomes com o golo sofrido aos pés de Corona, mas a formação madeirense soube responder bem a esse momento mais negativo. Como era de esperar, a equipa do CS Marítimo adotou sempre uma postura mais de contenção, mas sempre à espera da melhor oportunidade para explorar as velocidades dos seus atacantes Maeda e Joel, que chegaram a provocar alguns calafrios à defesa portista. Privilegiaram sempre a saída de bola e tentaram sempre provocar o erro do adversário para tentar criar qualquer tipo de dano para as redes de Marchesín.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Charles (7)

Bebeto (7)

Zainadine (7)

Dejan (6)

Rúben Ferreira (5)

Bambock (6)

Moreno (6)

Renê Santos (6)

Nanú (6)

Maeda (7)

Joel (6)

SUBS UTILIZADOS

Xadas (6)

Vukovic (6)

Getterson (6)

Edgar Costa (6)

Milson (6)

Artigo revisto por Inês Vieira Brandão

Comentários