logo-BnR.png

ÚLTIMA HORA:

FC Porto Rio Ave FC

FC Porto 1-0 Rio Ave FC: Até por feijões já se jogou mais

A CRÓNICA: DUAS EQUIPAS A DEIXAREM O TEMPO PASSAR

Quarta-feira às 21h00. FC Porto já eliminado da Taça da Liga. Rio Ave FC com a maior prioridade sendo a subida à Primeira Liga. Obrigatoriedade de apresentar teste negativo à covid-19 para entrada no estádio. Todos os ingredientes perfeitos para uma noite sem grande emoção no Estádio do Dragão, com “meia dúzia de gatos pingados” nas bancadas.

E a primeira metade apresentou aos 4433 adeptos nas bancadas exatamente aquilo que se esperava. As duas equipas a jogarem a um ritmo muito baixo, poucas oportunidades. Resumindo: um jogo a feijões.

Sérgio Oliveira teve perto de marcar num remate de longe, Corona devia ter aberto o marcador por duas vezes depois de bons passes de Fábio Vieira (o único mais interessado na partida), e pouco mais aconteceu.

Numa segunda parte que seguiu na mesma toada, e que mais serviu para dar estreias – para além de Cláudio Ramos, João Marcelo e Zé Pedro de início, entraram ainda Bernardo Folha, Gonçalo Borges e João Mendes – a partida só teve alguma emoção à passagem do minuto 82.

Uma confusão na defesa portista deixou o ataque vilacondense com um dois para um, que rapidamente que se tornou numa situação de 1v1 entre Zé Manuel e Cláudio Ramos. O guarda-redes estreante, que ainda não tinha praticamente tocado na bola, faz a defesa da noite (é certo que não foram assim tantas) para negar o golo dos visitantes.

E no contra-ataque consequente, os azuis e brancos saem de forma rápida, e com recurso a um ressalto já dentro da pequena área, Pepê, lançado do banco na segunda metade, inaugura o marcador de cabeça.

E ficou-se por aí num jogo que, nada mais nada menos, serviu apenas para cumprir calendário. Sem emoção, quase sem adeptos, e com um único golo solitário.

A FIGURA

FC Porto Rio Ave FC Fábio Vieira
Fonte: Diogo Cardoso / Bola na Rede

Fábio Vieira – o jovem médio português parecia o único realmente interessado na partida e fez verdadeiramente um jogo imaculado. Poderia ter facilmente acabado os 90′ com três assistências, não fossem falhas perante o guarda-redes de Corona e Toni Martínez. Fábio continua a mostrar que não há ninguém no plantel do FC Porto que defina tão bem quanto ele o último passe. Para além do jogo com bola, fez um jogo altamente interessante também do ponto de vista defensivo.

O FORA DE JOGO

FC Porto Rio Ave FC Corona
Fonte: Diogo Cardoso / Bola na Rede

Jesús Corona – está irreconhecível. É uma pena enorme ver a evolução do nível do mexicano no dragão. Outrora o melhor jogador em Portugal, agora parece não estar minimamente interessado em jogar futebol ao mais alto patamar. Falhou golos em dois lances, incluíndo uma perdida de baliza aberta num ressalto.

ANÁLISE TÁTICA – FC PORTO

Pela segunda partida consecutiva, a equipa de Sérgio Conceição, hoje liderada por Vítor Bruno no banco de suplentes, apresentou-se em 4-3-3. Toni Martínez na frente, Francisco Conceição e Corona de cada lado, com Fábio Vieira e Sérgio Oliveira os interiores. Bruno Costa era o médio mais recuado.

Era precisamente pelo médio português que regressou ao FC Porto esta temporada que a equipa começava a construir, com os dois outros médios mais posicionados entrelinhas.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Cláudio Ramos (5)

Nanu (5)

João Marcelo (5)

Zé Pedro (5)

Manafá (5)

Bruno Costa (6)

Sérgio Oliveira (6)

Fábio Vieira (7)

Corona (4)

Francisco Conceição (5)

Toni Martínez (5)

SUBS UTILIZADOS

Danny Loader (5)

Pepê (6)

Gonçalo Borges (6)

Bernardo Folha (-)

João Mendes (-)

ANÁLISE TÁTICA – RIO AVE FC

Já o Rio Ave FC de Luís Freire chegou ao Estádio do Dragão com a sua estrutura de sempre – 3-4-3. Mas as peças usadas pelo jovem treinador português poderiam também ser as de um 4-4-2 ou 4-2-3-1. Isto porque são apenas usados dois centrais, com o terceiro a ser Sávio, um lateral-esquerdo de origem, e Fábio Ronaldo a fazer o flanco esquerdo todo.

Do outro lado, o lateral-direito avança para fazer de ala-direito. Os dois médios fazem a ligação do setor defensivo aos três da frente, com Pedro Mendes centrado, Ukra e Zé Manuel como os extremos.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Léo Vieira (5)

Alhassane Sylla (4)

Ângelo Meneses (5)

Renato Pantalon (5)

Sávio Alves (5)

Fábio Ronaldo (5)

João Graça (5)

Rúben Gonçalves (5)

Ukra (4)

Zé Manuel (4)

Pedro Mendes (4)

SUBS UTILIZADOS

Vítor Gomes (5)

Joca (4)

Costinha (5)

André Pereira (-)

Nuno Namora (-)

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

FC Porto

Nenhum elemento da equipa técnica do FC Porto compareceu à conferência de imprensa

Rio Ave FC

BnR: De acordo com as diferenças óbvias entre as equipas, era uma das coisas boas que podia levar daqui a manutenção dos seus princípios, a tentar sair a jogar como fez durante períodos de tempo, e também da importância dos jogadores jovens que hoje alinharam num palco como este?

Luís Freire: Foram vários jogadores que jogaram pela primeira vez no Dragão, e fico muito feliz como treinador que os vejo todos os dias a vê-los neste palco. Agradado pela oportunidade deles, e pela exibição. Esta Taça da Liga era muito difícil para nós, mas ganhamos ao Varzim, fizemos um bom jogo frente ao Santa Clara, mas estamos satisfeitos.

O Alexandre é um jovem que estuda Ciências da Comunicação no Porto. Apaixonado por tudo o que seja desporto, encontra a sua maior obsessão no futebol. Como não tinha grande jeito para jogar, decidiu que o melhor era apostar no jornalismo desportivo. Amante incondicional de bom futebol, não tem medo de dar a sua opinião nem de ser polémico. Sendo qualidades inerentes à profissão que deseja exercer no futuro, rege-se pela imparcialidade e pelo critério jornalístico na sua escrita.

O Alexandre é um jovem que estuda Ciências da Comunicação no Porto. Apaixonado por tudo o que seja desporto, encontra a sua maior obsessão no futebol. Como não tinha grande jeito para jogar, decidiu que o melhor era apostar no jornalismo desportivo. Amante incondicional de bom futebol, não tem medo de dar a sua opinião nem de ser polémico. Sendo qualidades inerentes à profissão que deseja exercer no futuro, rege-se pela imparcialidade e pelo critério jornalístico na sua escrita.

[my_elementor_post_nav_output]

FC PORTO vs CD TONDELA