Catorze anos depois, o The Rangers FC regressou ao Estádio do Dragão para um jogo a contar para a terceira jornada da Liga Europa.

Na última vez que estas duas equipas se tinham defrontado na cidade invicta, o resultado tinha sido um empate a uma bola.

Os dragões estavam num bom momento de forma, após terem eliminado o SC Coimbrões em jogo a contar para a Taça de Portugal. Contudo a nível europeu procuravam fazer renascer a chama do dragão que se tinha apagado na banheira de Roterdão, o que empurrara a equipa azul e branca para o segundo lugar do grupo G.

Já os comandados pelo lendário Steven Gerrard vinham de um empate sempre comprometedor na Liga Escocesa, mas em termos europeus vinham de uma importante vitória frente ao BSC Young Boys, ocupando, contudo, o último lugar do grupo.

Anúncio Publicitário

Nikola Dabanovic apitou para o início da partida e começou a rolar a bola no Estádio do Dragão.

Com os regressados Tecatito Corona e Luis Díaz ao onze titular, o FC Porto entrou por cima na partida procurando – muito através da posse de bola – chegar à baliza de McGregor, enquanto que o The Rangers FC tentava aproveitar ao máximo as transições e o contra-ataque.

Aos 28 minutos, a equipa azul e branca ganhou um livre direto, mas o especialista Alex Telles enviou a bola por cima das redes da equipa adversária.

O jogo estava difícil para os comandados por Sérgio Conceição, visto que a defesa dos Rangers estava bem alinhada e a posse de bola do FC Porto não parecia assustar os escoceses.

Aos 32 minutos, os dragões estiveram muito perto de inaugurar o marcador, após um cabeceamento de Zé Luís que bateu no poste.

Parecia que a defesa do Rangers estava pronta para tudo, mas Luis Díaz mostrou aos escoceses como um míssil pode estragar tudo. Grande golo do internacional colombiano que inaugurava o marcador no Estádio do Dragão ao minuto 36.

Luis Díaz foi um dos melhores jogadores em campo tendo marcado um grande golo
Fonte: Diogo Cardoso/Bola na Rede

A resposta dos comandados por Steven Gerrard não tardou muito com mais uma bola ao poste, desta vez por Morelos.

Aos 43 minutos, os The Gers restabeleceram a igualdade no marcador com um golo de Borna Barisic a aproveitar a desatenção da defesa portista.

Pouco depois, o árbitro apitou para o intervalo e todos os jogadores recolheram para o balneário com um empate na partida. Via-se assim um FC Porto a pecar pela falta de agressividade e um Rangers a aproveitar todos os segundos em que tinha bola.

No segundo tempo, pareceu-se ver um FC Porto a crescer em termos de agressividade, mas quem começou a brilhar foi Augustin Marchesín, logo aos 52 minutos, após cabeceamento de Barisic.

Com o passar dos minutos, o jogo foi ficando mais dividido com o Rangers, a crescer cada vez mais no encontro.

Um dos exemplos desse crescimento foi o livre direto que ganhou ao minuto 82, mas que não chegou para assustar o guardião portista.

Perto do fim do encontro, a equipa azul e branca esteve muito perto de marcar, mas valeu ao Rangers McGregor que manteve a baliza inviolável.

Foi desta forma que Nikola Dabanovic apitou para o fim do encontro.

O jogo ficou empatado a uma bola e o resultado acabou por afigurar-se como justo, sendo demais visível um FC Porto muitas vezes incapaz de fazer face às contrariedades que encontra no seu caminho.

Segue-se agora a receção ao líder do campeonato, o FC Famalicão, sendo que o Rangers vai receber o Motherwell FC.

ONZES INICIAIS E SUBSTITUIÇÕES:

FC Porto – Marchesín; Corona, Pepe, Marcano e Alex Telles; Otávio (60’ Bruno Costa), Danilo, Matheus Uribe e Luis Díaz (63’ Shoya Nakajima); Zé Luis (76’ Tiquinho Soares) e Marega.

The Rangers FC – McGregor; Tavernier, Goldson, Helander e Barisic; Jack (83’ Scott Arfield), Davis, Kamara e Barker (83’ Sheyi Ojo); Kent (76’ Joe Aribo) e Morelos.