A CRÓNICA: PRIMEIRA PARTE COZINHOU UM BOM PRATO PARA A SEGUNDA

Existia alguma expectativa em torno do duelo entre o FC Porto e o CD Santa Clara no Estádio do Dragão. Depois da paragem internacional das seleções, retomou-se o campeonato e estas duas equipas vinham com um mútuo objetivo: o de vencer. Apesar de se encontrarem em momentos diferentes e posições também elas diferentes na tabela, esperava-se um bom jogo entre ambas as equipas. O FC Porto, segundo classificado mantinha a ambição e vontade de vencer para garantir o lugar mais alto possível na classificação do campeonato, enquanto o CD Santa Clara, sétimo classificado, queria continuar a demonstrar o seu valor enquanto equipa, arrecadando o melhor resultado possível.

O jogo começou bem, mas com sabor amargo, para os insulares. Logo aos nove minutos, Carlos Jr. conseguiu introduzir a bola no fundo das redes de Marchesín, mas o lance acabou invalidado por fora de jogo. Estava aberto a partida.

Notou-se uma grande pressão defensiva por parte do CD Santa Clara que conseguiu atrasar o crescimento do FC Porto na partida, mas que acabou por aparecer a partir do primeiro quarto de hora. Sérgio Oliveira bem tentou fazer o gosto ao pé umas quantas vezes, mas a sorte não lhe esperava.

Ao passar da meia hora de jogo, foi a equipa de Daniel Ramos que começou a crescer no encontro, mas sem grandes efeitos. Parte a parte, não existiu uma oportunidade verdadeiramente flagrante de golo numa partida que até estava bem dividida entre as equipas a nível de jogo. Avizinhava-se o intervalo e uma segunda parte algo diferente.

Anúncio Publicitário

Lembram-se de ter dito que a sorte parecia não bater à porta de Sérgio Oliveira? O médio português teve de abrir a porta porque a campainha não funcionava e, logo ao abrir da segunda parte, converteu uma grande penalidade e inaugurou o marcador a favor dos Dragões. O apontar de Hugo Miguel para a marca dos onze metros surgiu após uma falta do guarda-redes Marco Pereira sobre Mehdi Taremi dentro da área, quando o avançado iraniano surgia isolado e pronto a fazer o gosto ao pé.

A verdade é que esta segunda parte parecia bem mais quente que a primeira. Depois da grande penalidade convertida por Sérgio Oliveira, o CD Santa Clara também teve essa oportunidade. Pouco mais de cinco minutos depois do golo inaugural da partida, Diogo Leite fez falta sobre Lincoln dentro da grande área e o árbitro Hugo Miguel apontou novamente para a marca dos onze metros, mas, desta vez, a favor dos insulares. Carlos Jr. não perdeu tempo e conseguiu bater Marchesín. Estava igualado resultado no Estádio do Dragão.

Com as substituições a aparecerem, o CD Santa Clara a dar tudo para arrecadar qualquer ponto e o FC Porto a lançar as fichas para a vitória, com Sérgio Conceição a refrescar o ataque, as ocasiões iam surgindo, mas nada era concretizado e tudo permanecia igual. Chegava-se bem perto do minuto final do tempo regulamentar e o resto não atava nem desatava. Ambas as equipas mantiveram total pressão ofensiva até ao apito final, mas foi o FC Porto que levou a melhor. Naquele que foi o último lance de ataque, os dragões saltaram de felicidade depois do cabeceamento de Toni Martínez que serviu o golo da vitória na mesa dos azuis e brancos. Fechou-se o pano e o FC Porto levou a melhor no duelo frente à equipa insular, vencendo por 2-1 e arrecadando os três pontos.

A FIGURA

FC Porto
Fonte: Diogo Cardoso / Bola na Rede

Sérgio Oliveira – O médio português do FC Porto não deixa ninguém indiferente, nem quem gosta de futebol nem os adversários que enfrenta. Mais um jogo de qualidade de Sérgio Oliveira que não se deixou abater pelo azar da primeira parte, concretizou na segunda e foi o grande motor do jogo ofensivo dos dragões.

O FORA DE JOGO

Fonte: Diogo Cardoso / Bola na Rede

Cryzan – O avançado do CD Santa Clara não esteve nos seus melhores dias, não tendo, praticamente, aparecido no encontro. Substituído pouco após o intervalo, Cryzan não foi feliz no duelo frente ao FC Porto.

ANÁLISE TÁTICA – FC PORTO

No retomar do campeonato após a paragem internacional, Sérgio Conceição montou um 4-4-2 com bastantes alterações relativamente ao último encontro disputado pelos dragões, em casa do Portimonense. Marchesín permaneceu a guardar as redes azuis e brancas, mas a linha defensiva foi alterada em metade: Pepe e Wilson Manafá permaneceram como titulares, mas Diogo Leite e Nanú renderam Zaidu e Chancel Mbemba.

No setor do meio-campo, Luis Díaz foi a única alteração registada, pois Sérgio Oliveira, Matheus Uribe e Otávio Monteiro mantiveram-se como escolhas principais do técnico do FC Porto. Sérgio Oliveira e Uribe ficaram encarregues de “ir buscar jogo” ao setor defensivo portista, estando o médio colombiano mais recuado, e, consequentemente, transportar a bola para os colegas mais avançados, com a ajuda de Díaz e Otávio (homens estes bastante predispostos a atacar a profundidade, a par de Corona que foi a jogo aos 66 minutos). Esses homens mais à frente no terreno foram Mehdi Taremi e Moussa Marega.

ONZE INICIAL E PONTUAÇÕES

Marchesín (6)

Manafá (6)

Diogo Leite (5)

Pepe (6)

Nanu (5)

Uribe (6)

Sérgio Oliveira (8)

Otávio (6)

Luis Díaz (7)

Marega (6)

Taremi (6)

SUBS UTILIZADOS

Corona (6)

Fábio Vieira (6)

Francisco Conceição (6)

Evanilson (6)

Toni Martínez (6)

ANÁLISE TÁTICA – CD SANTA CLARA 

Daniel Ramos montou o seu onze inicial para defrontar o FC Porto num 4-3-3 moldável em 4-4-2 aquando dos momentos defensivos, com Ukra a baixar ao meio-campo. O médio Nené atuava bastante recuado no setor para apoiar a defesa e ficava, assim, encarregue de transportar a bola após a primeira fase de construção de jogo.

Na linha defensiva ficaram João Afonso e Mikel Villanueva na zona central, enquanto Ramos e Mansur ocupavam as suas posições como laterais. No setor do meio-campo, já foi mencionado o “plano” de Nené, com Morita e Lincoln mais avançados.

Na linha da frente, Carlos Jr. e Ukra permaneciam na ajuda a Cryzan atuando como extremos e fazendo a consequente ligação aos jogadores do meio-campo da equipa insular.

ONZE INICIAL E PONTUAÇÕES

Marco Pereira (6)

Rafael Ramos (5)

João Afonso (6)

Mikel Villanueva (6)

Mansur (5)

Morita (6)

Nené (6)

Lincoln (6)

Ukra (7)

Carlos Jr. (7)

Cryzan (4)

SUBS UTILIZADOS

Rui Costa (6)

Costinha (6)

João Lucas (5)

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

FC Porto

Não foi possível colocar questões ao técnico do FC Porto, Sérgio Conceição.

CD Santa Clara

Não foi possível colocar questões ao técnico do CD Santa Clara, Daniel Ramos.