Anterior1 de 4Próximo

O Vitória SC venceu o FC Porto por 2-3 e carimbou a primeira vitória da temporada. Os dragões estiveram a vencer por duas bolas a zero, resultado conseguido ainda na primeira parte, mas permitiram a reviravolta da formação de Luís Castro e deixaram assim o primeiro lugar da tabela, não aproveitando o empate entre o SL Benfica e Sporting SP.

Em noite de derby de Lisboa, os também vizinhos FC Porto e Vitória SC bateram-se e fecharam o sábado desta terceira jornada. Entre duas formações habituadas a trocas de jogadores, André André, agora em Guimarães, regressou a uma casa que conhece bem e voltou a pisar o Dragão. Também João Carlos Teixeira, o 10 às ordens de Luís Castro, defrontou o antigo clube. Já Marega, que representou o Vitória, iniciou a partida no banco dos azuis e brancos.

Com o empate entre SL Benfica e Sporting SC confirmado, o FC Porto tinha a oportunidade de se distanciar dos adversários diretos na luta pelo título e, logo aos cinco minutos, a equipa deu mostras de estar de olhos postos na baliza. Depois de uma perda de bola de João Carlos Teixeira, Sérgio Oliveira recebeu de André Pereira e serviu Herrera. O mexicano, com um remate forte à entrada da área, obrigou Douglas a mostrar serviço e, com uma boa defesa, o guarda redes do Vitória SC segurou o nulo.

Sem permitir que o adversário importunasse verdadeiramente Casillas, o FC Porto voltou a beneficiar de uma oportunidade soberana para chegar à vantagem. Na sequência de um canto batido por Alex Telles, Diogo Leite cabeceou para nova intervenção de qualidade de Douglas.

Anúncio Publicitário

Em cima da meia hora de jogo, tempo para a primeira grande ovação da noite, com o protagonista a estar do lado de fora das quatro linhas. Sérgio Conceição lançou três jogadores para aquecimento, entre eles o maliano Marega. Ultrapassada que parece estar a tensão entre atleta e clube, os adeptos fizeram questão de aplaudir aquele que consideraram como um dos heróis do título da época passada.

No terreno de jogo, os dragões não perderam o ritmo e voltaram a ameaçar o golo. Aos 35 minutos, Aboubakar, em frente à baliza, preparava-se para encostar mas foi surpreendido por João Afonso que, com um corte fundamental para canto, impediu o primeiro da partida. Ainda assim, o nulo apenas durou mais dois minutos. Aos 37, Brahimi abriu o marcador com um remate que não deixou qualquer hipótese a Douglas. Para celebrar, o argelino correu de imediato para a zona do banco e abraçou de forma efusiva Marega.

E depois de ter assistido Brahimi no primeiro, André Pereira ampliou a vantagem aos 42 minutos. Alex Telles bateu um livre à entrada da área, na esquerda do ataque, e o português formado no FC Porto não desperdiçou e assinou o 2-0. André André esteve perto de reduzir em cima do intervalo, mas o remate saiu ligeiramente ao lado do poste da baliza de Casillas.

O FC Porto saiu para descanso em vantagem por 2-0
Fonte: Bola na Rede

A partida foi para intervalo com grandes protestos por parte do banco do Vitória SC. Flávio Meireles e Armando Marques dirigiram-se à equipa de arbitragem visivelmente revoltados e acabaram por receber ordem de expulsão. Em causa, o segundo golo dos dragões, em que os visitantes consideram que André Pereira beneficiou de posição irregular. Fábio Veríssimo validou o lance e o conselho de arbitragem, segundo avançou a Sport TV, anunciou falha técnica no VAR entre os minutos 15 e 45.

Num início de segunda parte morno e com poucas investidas no ataque de parte a parte, o Vitória SC conseguiu reduzir a desvantagem aos 63 minutos, na sequência da cobrança de uma grande penalidade. Sérgio Oliveira derrubou Ola John à entrada da área e o árbitro assinalou de imediato penalti. André André foi chamado a marcar e, no frente a frente com Casillas, acabou por levar a melhor e fazer o 2-1. Enquanto o médio português se preparava para bater o pontapé da marca dos onze metros, o Dragão silenciou os assobios e deu lugar aos aplausos para saudar Marega. Sérgio Conceição fez entrar o avançado, para o lugar de Aboubakar.

Os Conquistadores conseguiram chegar à igualdade a 15 minutos dos 90. Consideravelmente melhor na partida, a formação de Luís Castro foi premiada com o empate, que chegou pelos pés de Tozé. Com pouco espaço para se afirmar na equipa, o português rematou forte e colocado e estabeleceu o 2-2. Depois de André André, também Tozé, um ex-atleta dos dragões, marcou à antiga equipa. E quando os adeptos nas bancadas esperavam o regresso do campeão à vantagem no marcador, Davidson gelou o Dragão. Com um remate potente já dentro da área, o avançado carimbou a reviravolta.

Já dentro dos cinco minutos de compensação, o FC Porto esteve perto do 3-3, mas Douglas voltou a mostrar-se atento e defendeu as tentativas de Oliver e Marega com enormes defesas, numa altura em que também o poste ajudou a impedir o golo. O campeão nacional marcou assim passo na frente da tabela e permitiu ao Vitória SC a primeira vitória da época.

Onze inicial FC Porto: Casillas, Maxi Pereira, Diogo Leite, Felipe, Alex Telles, Otávio, Herrera, Sérgio Oliveira, Brahimi (Corona, 50’), André Pereira e Aboubakar (Marega, 61’) – Corona substituído por Oliver Torres, por lesão, aos 73’,

Onze inicial Vitória SC: Douglas, Pedro Henrique, João Afonso, Welthon, João Teixeira (Davidson, 76’), André André, Sacko, Florent, Tyler Boyd (Ola John, 57’), Wakaso, Joseph (Tozé, 36’)

Anterior1 de 4Próximo

Comentários